Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 15 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Ludmilla rebate críticas sobre objetificação de mulheres em festa com Tyga: - A gente não vai parar só porque vocês não foram convidados



29/01/2020 | 17:10


Ludmilla aproveitou a passagem de Tyga pelo Brasil e convidou o rapper para o Fervo da Lud, uma festa super exclusiva em sua casa. O ex de Kylie Jenner amou a recepção e gravou alguns vídeos sobre o momento, em que mostra várias mulheres de biquíni rebolando. No entanto, nem todo mundo gostou da festança.

Na internet, algumas pessoas criticaram a cantora por objetificar o corpo das mulheres, ao invés de mostrarem outras coisas do Brasil para Tyga, e disseram que isso contribuía para a visão que os gringos têm do país. Uma internauta escreveu:

Entendi, Ludmilla encheu a casa de mulheres com biquíni pra agradar o Tyga, teve a chance de fazer várias coisas legais e mostrar nossa cultura de forma diferente pra ele, mas preferiu reforçar que mulheres de calcinha e sutiã rebolando são o que temos de melhor.

Sem papas na língua, Lud recorreu ao seus stories do Instagram para rebater os comentários negativos, e foi bem direta em relação ao assunto. Ela começou explicando que a repercussão dos vídeos de Tyga é o motivo pelo qual não costuma deixar as pessoas entrarem com celular em suas festas.

- As festas na minha casa sempre são assim, a gente não costuma deixar entrar celular exatamente por isso, pra a gente ficar à vontade, se divertir, se jogar. Tô vendo um bando de gente chocada, [falando]: Ai gente, é objeto. Objeto teu c*, cara. Tu viu alguém sendo objeto de alguém ali? Você viu um bando de mulher que paga suas contas, são donas do seu nariz, dançando, rebolando do jeito que elas querem.

Ela continuou, dizendo que em suas festas as pessoas costumam chegar bem arrumadas, mas acabam ficando mais à vontade com o decorrer da comemoração.

- Os convidados vêm todos vestidos, mas está aqui, todo mundo se sentindo à vontade, está um calor infernal, as pessoas estão se sentindo bem, vai ficar de roupa pra quê?

Ela continuou, dizendo que as mulheres que quiseram aparecer no Instagram do rapper, e por isso estavam rebolando para ele, e pediu para que as pessoas parassem de julgar as outras na internet:

- Em qualquer canto do mundo as meninas dançam de calcinha, de biquíni, de saia e está tudo bem, e aqui no Brasil vocês querem xingar as minas. Parem de querer ficar subjugando, diminuindo as coisas que a gente tem aqui. As meninas daqui são lindas, as bundas daqui são lindas, o som daqui é lindo, os gringos admiram demais.

Lud, que é casada com a dançarina Brunna Gonçalves, ainda criticou a visão de que mulheres só podem dançar funk para agradar homens.

- O mal de vocês é achar que a vida da gente gira em torno de macho. Que a gente precisa de macho pra sobreviver, que precisa de macho estar presente pra a gente querer dançar e rebolar nossa raba. Mores, acorda, século 21.

Por fim, a funkeira ainda disse que continuará dando suas festas e atribuiu os comentários negativos à inveja:

- A gente se divertiu muito e aquela foi a primeira de muitas. A gente não vai parar de fazer fervo só porque vocês não gostaram e não foram convidados.

Eita! E aí, o que acha?



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ludmilla rebate críticas sobre objetificação de mulheres em festa com Tyga: - A gente não vai parar só porque vocês não foram convidados


29/01/2020 | 17:10


Ludmilla aproveitou a passagem de Tyga pelo Brasil e convidou o rapper para o Fervo da Lud, uma festa super exclusiva em sua casa. O ex de Kylie Jenner amou a recepção e gravou alguns vídeos sobre o momento, em que mostra várias mulheres de biquíni rebolando. No entanto, nem todo mundo gostou da festança.

Na internet, algumas pessoas criticaram a cantora por objetificar o corpo das mulheres, ao invés de mostrarem outras coisas do Brasil para Tyga, e disseram que isso contribuía para a visão que os gringos têm do país. Uma internauta escreveu:

Entendi, Ludmilla encheu a casa de mulheres com biquíni pra agradar o Tyga, teve a chance de fazer várias coisas legais e mostrar nossa cultura de forma diferente pra ele, mas preferiu reforçar que mulheres de calcinha e sutiã rebolando são o que temos de melhor.

Sem papas na língua, Lud recorreu ao seus stories do Instagram para rebater os comentários negativos, e foi bem direta em relação ao assunto. Ela começou explicando que a repercussão dos vídeos de Tyga é o motivo pelo qual não costuma deixar as pessoas entrarem com celular em suas festas.

- As festas na minha casa sempre são assim, a gente não costuma deixar entrar celular exatamente por isso, pra a gente ficar à vontade, se divertir, se jogar. Tô vendo um bando de gente chocada, [falando]: Ai gente, é objeto. Objeto teu c*, cara. Tu viu alguém sendo objeto de alguém ali? Você viu um bando de mulher que paga suas contas, são donas do seu nariz, dançando, rebolando do jeito que elas querem.

Ela continuou, dizendo que em suas festas as pessoas costumam chegar bem arrumadas, mas acabam ficando mais à vontade com o decorrer da comemoração.

- Os convidados vêm todos vestidos, mas está aqui, todo mundo se sentindo à vontade, está um calor infernal, as pessoas estão se sentindo bem, vai ficar de roupa pra quê?

Ela continuou, dizendo que as mulheres que quiseram aparecer no Instagram do rapper, e por isso estavam rebolando para ele, e pediu para que as pessoas parassem de julgar as outras na internet:

- Em qualquer canto do mundo as meninas dançam de calcinha, de biquíni, de saia e está tudo bem, e aqui no Brasil vocês querem xingar as minas. Parem de querer ficar subjugando, diminuindo as coisas que a gente tem aqui. As meninas daqui são lindas, as bundas daqui são lindas, o som daqui é lindo, os gringos admiram demais.

Lud, que é casada com a dançarina Brunna Gonçalves, ainda criticou a visão de que mulheres só podem dançar funk para agradar homens.

- O mal de vocês é achar que a vida da gente gira em torno de macho. Que a gente precisa de macho pra sobreviver, que precisa de macho estar presente pra a gente querer dançar e rebolar nossa raba. Mores, acorda, século 21.

Por fim, a funkeira ainda disse que continuará dando suas festas e atribuiu os comentários negativos à inveja:

- A gente se divertiu muito e aquela foi a primeira de muitas. A gente não vai parar de fazer fervo só porque vocês não gostaram e não foram convidados.

Eita! E aí, o que acha?

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;