Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

CVM fecha acordo de R$ 450 mil em caso envolvendo executivos da Biosev



29/01/2020 | 11:46


A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) fechou um acordo no valor de R$ 450 mil para encerrar um processo sancionador movido contra três ex-executivos da processadora de cana-de-açúcar Biosev: Enrico Biancheri (ex-diretor e hoje membro do conselho de administração), Paulo Prignolato (ex-diretor de RI) e Rui Chammas (ex-diretor presidente).

Os três foram acusados pela Superintendência de Relações com Empresas na qualidade de membros da Comissão de Riscos da Biosev por não tomarem as providências devidas para evitar os prejuízos sofridos pela companhia em função de operações realizadas com a Louis Dreyfus Company Brasil S/A (LDC), do mesmo grupo.

A LDC teria tido ganhos indevidos com operações com opções sobre taxa de câmbio de reais por dólar comercial no período de 3 de setembro de 2015 a 29 de janeiro de 2016, em detrimento da Biosev. As ordens foram emitidas por Fernando Waldman Villa, acusado em outro processo, assim como a companhia.

Após analisar o caso, o Comitê de Termo de Compromisso (CTC) sugeriu a aceitação da proposta.

O colegiado da CVM seguiu a recomendação e deu o sinal verde para o acordo.

Cada um dos envolvidos vai arcar com R$ 150 mil.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

CVM fecha acordo de R$ 450 mil em caso envolvendo executivos da Biosev


29/01/2020 | 11:46


A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) fechou um acordo no valor de R$ 450 mil para encerrar um processo sancionador movido contra três ex-executivos da processadora de cana-de-açúcar Biosev: Enrico Biancheri (ex-diretor e hoje membro do conselho de administração), Paulo Prignolato (ex-diretor de RI) e Rui Chammas (ex-diretor presidente).

Os três foram acusados pela Superintendência de Relações com Empresas na qualidade de membros da Comissão de Riscos da Biosev por não tomarem as providências devidas para evitar os prejuízos sofridos pela companhia em função de operações realizadas com a Louis Dreyfus Company Brasil S/A (LDC), do mesmo grupo.

A LDC teria tido ganhos indevidos com operações com opções sobre taxa de câmbio de reais por dólar comercial no período de 3 de setembro de 2015 a 29 de janeiro de 2016, em detrimento da Biosev. As ordens foram emitidas por Fernando Waldman Villa, acusado em outro processo, assim como a companhia.

Após analisar o caso, o Comitê de Termo de Compromisso (CTC) sugeriu a aceitação da proposta.

O colegiado da CVM seguiu a recomendação e deu o sinal verde para o acordo.

Cada um dos envolvidos vai arcar com R$ 150 mil.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;