Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Azevêdo: coronavírus pode reduzir previsão de crescimento, mas é cedo para aferir



28/01/2020 | 08:33


O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, afirmou que o coronavírus pode reduzir a previsão do crescimento global, mas que ainda é cedo para medir o impacto do problema na expansão da economia mundial. Em entrevista à rádio CBN na manhã desta terça-feira, 28, Azevêdo disse que, por enquanto, há apenas especulação dos economistas apontando revisão para baixo dos números.

"Tem muito de especulação, alguns mais apocalípticos apostam numa queda maior", disse o diretor-geral da OMC, que classificou a retração nas bolsas como "um movimento de apostas". Para ele, "é difícil usar o mercado como indicador do impacto na economia mundial". Por fim, Azevêdo ponderou que a organização deve esperar novas estimativas de crescimento econômico para basear suas expectativas sobre o impacto do vírus.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Azevêdo: coronavírus pode reduzir previsão de crescimento, mas é cedo para aferir


28/01/2020 | 08:33


O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, afirmou que o coronavírus pode reduzir a previsão do crescimento global, mas que ainda é cedo para medir o impacto do problema na expansão da economia mundial. Em entrevista à rádio CBN na manhã desta terça-feira, 28, Azevêdo disse que, por enquanto, há apenas especulação dos economistas apontando revisão para baixo dos números.

"Tem muito de especulação, alguns mais apocalípticos apostam numa queda maior", disse o diretor-geral da OMC, que classificou a retração nas bolsas como "um movimento de apostas". Para ele, "é difícil usar o mercado como indicador do impacto na economia mundial". Por fim, Azevêdo ponderou que a organização deve esperar novas estimativas de crescimento econômico para basear suas expectativas sobre o impacto do vírus.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;