Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Região tem terceiro ano de queda na criminalidade

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Registros de homicídio, roubo e furto em geral e de veículos tiveram recuo em 2019 na comparação com 2018


Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

25/01/2020 | 00:01


 Pelo terceiro ano consecutivo, as ocorrências de crimes registradas no Grande ABC apresentaram queda. Números divulgados ontem pela SSP (Secretaria da Segurança Pública) do Estado de São Paulo mostram que os casos de homicídio, roubos e furtos em geral e também de veículos foram menores entre janeiro e dezembro de 2019 quando comparados ao mesmo período de 2018.

A baixa mais expressiva foi observada nos registros de roubos de veículos – -21,88% (os casos passaram de 8.641 para 6.750 nas sete cidades). Todos os municípios apresentaram queda no indicador.

No caso dos homicídios, embora duas cidades tenham registrado volume maior de pessoas assassinadas no ano passado (São Caetano, onde foram cinco mortes contra nenhuma no ano anterior, e Rio Grande da Serra, que viu subir de dois para cinco óbitos), no acumulado regional os crimes tiveram recuo de 9,55% – 178 para 161. A principal queda foi observada em Ribeirão Pires (-55,56%).

O mesmo aconteceu no indicador furto de veículos. Santo André e São Bernardo apresentaram alta nas ocorrências no período (1,76% e 9,1% acima do volume de 2018, respectivamente), no entanto, juntas, as sete cidades contabilizaram baixa de 4,25% nos registros – de 9.979 para 9.555. Neste caso, Mauá e Rio Grande da Serra tiveram destaque positivo (quedas de -24,31% e -23,08%, respectivamente).

A menor variação negativa foi contabilizada nos furtos em geral, apenas 0,41% – passaram de 21.420 ocorrências para 21.332. Apenas São Caetano destoou das demais cidades, com alta de 19,07% nos casos (de 708 para 843).

A principal justificativa para o cenário regional, conforme especialistas, é a manutenção de ações conjuntas de policiamento, envolvendo as polícias Civil, Militar e as GCMs (Guardas Civis Municipais), além da inauguração do 6º Baep (Batalhão de Ações Especiais da Polícia) de São Bernardo em outubro do ano passado. Para Jorge Lordello, especialista em segurança pública e privada, a principal vantagem do Baep é o policiamento preventivo em detrimento das ações pontuais de radiopatrulha.

Outro fator que pode ter colaborado para a queda da criminalidade é o combate aos bares ilegais e aos pancadões (baladas informais em vias públicas com aglomeração de pessoas e veículos com som alto). Todas as cidades realizam ações voltadas ao tema.

A situação regional vai ao encontro das observadas na Capital e Estado. As 2.906 pessoas assassinadas em São Paulo em 2019 representam a menor quantidade de vítimas de homicídio registrada desde 2011, quando os dados começaram ser coletados de forma uniformizada.

A SSP considera que o governo investe permanentemente na capacitação de policiais, em tecnologia e inteligência policial aplicadas ao combate à criminalidade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Região tem terceiro ano de queda na criminalidade

Registros de homicídio, roubo e furto em geral e de veículos tiveram recuo em 2019 na comparação com 2018

Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC

25/01/2020 | 00:01


 Pelo terceiro ano consecutivo, as ocorrências de crimes registradas no Grande ABC apresentaram queda. Números divulgados ontem pela SSP (Secretaria da Segurança Pública) do Estado de São Paulo mostram que os casos de homicídio, roubos e furtos em geral e também de veículos foram menores entre janeiro e dezembro de 2019 quando comparados ao mesmo período de 2018.

A baixa mais expressiva foi observada nos registros de roubos de veículos – -21,88% (os casos passaram de 8.641 para 6.750 nas sete cidades). Todos os municípios apresentaram queda no indicador.

No caso dos homicídios, embora duas cidades tenham registrado volume maior de pessoas assassinadas no ano passado (São Caetano, onde foram cinco mortes contra nenhuma no ano anterior, e Rio Grande da Serra, que viu subir de dois para cinco óbitos), no acumulado regional os crimes tiveram recuo de 9,55% – 178 para 161. A principal queda foi observada em Ribeirão Pires (-55,56%).

O mesmo aconteceu no indicador furto de veículos. Santo André e São Bernardo apresentaram alta nas ocorrências no período (1,76% e 9,1% acima do volume de 2018, respectivamente), no entanto, juntas, as sete cidades contabilizaram baixa de 4,25% nos registros – de 9.979 para 9.555. Neste caso, Mauá e Rio Grande da Serra tiveram destaque positivo (quedas de -24,31% e -23,08%, respectivamente).

A menor variação negativa foi contabilizada nos furtos em geral, apenas 0,41% – passaram de 21.420 ocorrências para 21.332. Apenas São Caetano destoou das demais cidades, com alta de 19,07% nos casos (de 708 para 843).

A principal justificativa para o cenário regional, conforme especialistas, é a manutenção de ações conjuntas de policiamento, envolvendo as polícias Civil, Militar e as GCMs (Guardas Civis Municipais), além da inauguração do 6º Baep (Batalhão de Ações Especiais da Polícia) de São Bernardo em outubro do ano passado. Para Jorge Lordello, especialista em segurança pública e privada, a principal vantagem do Baep é o policiamento preventivo em detrimento das ações pontuais de radiopatrulha.

Outro fator que pode ter colaborado para a queda da criminalidade é o combate aos bares ilegais e aos pancadões (baladas informais em vias públicas com aglomeração de pessoas e veículos com som alto). Todas as cidades realizam ações voltadas ao tema.

A situação regional vai ao encontro das observadas na Capital e Estado. As 2.906 pessoas assassinadas em São Paulo em 2019 representam a menor quantidade de vítimas de homicídio registrada desde 2011, quando os dados começaram ser coletados de forma uniformizada.

A SSP considera que o governo investe permanentemente na capacitação de policiais, em tecnologia e inteligência policial aplicadas ao combate à criminalidade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;