Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Deslizamento de terra deixa três mortos e um desaparecido em Minas



24/01/2020 | 20:31


Três pessoas morreram e uma está desaparecida depois de um deslizamento de terra registrado nesta sexta-feira, 24, em Ibirité, em Minas Gerais, durante as fortes chuvas que atingem o Estado. As áreas mais castigadas são Belo Horizonte e a região metropolitana da capital, onde fica Ibirité.

Das três vítimas confirmadas, duas são crianças. Uma delas tinha seis anos. O deslizamento ocorreu no bairro Vila Ideal. Segundo a Defesa Civil, a pessoa desaparecida pode estar soterrada. Há ainda 1.940 desalojados e 403 desabrigados em 16 cidades do Estado.

No município de Rio Piracicaba, na região central de MG, 40 detentas estão sendo retiradas do presídio por causa da elevação do rio e transferidas para Ponte Nova, na Zona da Mata.

Desde a manhã de quinta, 23, chove muito em Belo Horizonte e Grande BH. Encostas desabaram e os rios tiveram aumento de nível. A capital registrou inundações em vias que margeiam ribeirões e a no entorno da Lagoa da Pampulha. Até o momento, não há registro de vítimas na cidade.

Informes enviados à população da cidade por mensagens de SMS mostravam a possibilidade de chuvas na capital em volume entre 130 milímetros e 150 milímetros entre 8 horas desta sexta e o mesmo horário de sábado, 25. A média para o mês de janeiro é de 274 milímetros.

No Espírito Santo, chuva já provocou sete mortes

No Espírito Santo, estado castigado pelas tempestades na semana passada, a Defesa Civil contabilizou sete mortes, sendo quatro em Iconha, município de 13 mil habitantes na região sul capixaba. A cidade parou. "Está tudo destruído", diz o taxista Natanael Belmock Novatti, de 29 anos, morador da cidade.

Em Iconha, no Espírito Santo, pontes foram destruídas e o calçamento das ruas arrancado. "Comerciantes aqui estão dizendo que não vão voltar a funcionar, de tanto prejuízo", afirma o taxista. "A prefeitura está tentando arrumar, mas é muita destruição. Trafegar de carro é praticamente impossível. Corrida aqui hoje é uma na vida outra na morte", diz o motorista, que é casado e tem um filho de um ano e meio.

Além das quatro mortes em Iconha, o Espírito Santo registra outros três óbitos pelas chuvas no município de Alfredo Chaves, também no sul do Espírito Santo. Todas as mortes ocorreram na semana passada. O Estado contabiliza 3.231 desalojados, sendo o maior contingente, 1.107, em Alfredo Chaves, que tem cerca de 15 mil habitantes. A previsão é de mais chuvas neste sábado tanto para Minas Gerais quanto para o Espírito Santo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Deslizamento de terra deixa três mortos e um desaparecido em Minas


24/01/2020 | 20:31


Três pessoas morreram e uma está desaparecida depois de um deslizamento de terra registrado nesta sexta-feira, 24, em Ibirité, em Minas Gerais, durante as fortes chuvas que atingem o Estado. As áreas mais castigadas são Belo Horizonte e a região metropolitana da capital, onde fica Ibirité.

Das três vítimas confirmadas, duas são crianças. Uma delas tinha seis anos. O deslizamento ocorreu no bairro Vila Ideal. Segundo a Defesa Civil, a pessoa desaparecida pode estar soterrada. Há ainda 1.940 desalojados e 403 desabrigados em 16 cidades do Estado.

No município de Rio Piracicaba, na região central de MG, 40 detentas estão sendo retiradas do presídio por causa da elevação do rio e transferidas para Ponte Nova, na Zona da Mata.

Desde a manhã de quinta, 23, chove muito em Belo Horizonte e Grande BH. Encostas desabaram e os rios tiveram aumento de nível. A capital registrou inundações em vias que margeiam ribeirões e a no entorno da Lagoa da Pampulha. Até o momento, não há registro de vítimas na cidade.

Informes enviados à população da cidade por mensagens de SMS mostravam a possibilidade de chuvas na capital em volume entre 130 milímetros e 150 milímetros entre 8 horas desta sexta e o mesmo horário de sábado, 25. A média para o mês de janeiro é de 274 milímetros.

No Espírito Santo, chuva já provocou sete mortes

No Espírito Santo, estado castigado pelas tempestades na semana passada, a Defesa Civil contabilizou sete mortes, sendo quatro em Iconha, município de 13 mil habitantes na região sul capixaba. A cidade parou. "Está tudo destruído", diz o taxista Natanael Belmock Novatti, de 29 anos, morador da cidade.

Em Iconha, no Espírito Santo, pontes foram destruídas e o calçamento das ruas arrancado. "Comerciantes aqui estão dizendo que não vão voltar a funcionar, de tanto prejuízo", afirma o taxista. "A prefeitura está tentando arrumar, mas é muita destruição. Trafegar de carro é praticamente impossível. Corrida aqui hoje é uma na vida outra na morte", diz o motorista, que é casado e tem um filho de um ano e meio.

Além das quatro mortes em Iconha, o Espírito Santo registra outros três óbitos pelas chuvas no município de Alfredo Chaves, também no sul do Espírito Santo. Todas as mortes ocorreram na semana passada. O Estado contabiliza 3.231 desalojados, sendo o maior contingente, 1.107, em Alfredo Chaves, que tem cerca de 15 mil habitantes. A previsão é de mais chuvas neste sábado tanto para Minas Gerais quanto para o Espírito Santo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;