Fechar
Publicidade

Sábado, 29 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Pastor ganha ação contra vereador, mas desiste

Cícero Monteiro cobrava R$ 30 mil em dívida de Companheiro Sérgio, mas aceitou receber R$ 2,8 mil


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

24/01/2020 | 18:45


Cícero Monteiro Cavalcante, conhecido como Pastor Cícero, teve aval da Justiça de Diadema para receber do vereador Companheiro Sérgio (Cidadania), dívida estimada em quase R$ 30 mil, mas desistiu da ação e concordou em levar R$ 2.800, o que representa menos de 10% da quantia inicialmente cobrada.

O débito diz respeito à disputa judicial que se iniciou em 2016. Naquele ano, pastor Cícero entrou na Justiça para obrigar Companheiro Sérgio, que ainda não exercia mandato, a fornecer cópias das chaves da sede de associação do qual eram dirigentes - o pastor era vice do hoje parlamentar.

Na ocasião, a juíza Marisa da Costa Alves Ferreira, da 4ª Vara Cível da cidade, condenou Companheiro Sérgio a permitir o acesso do pastor às dependências da entidade, sob o risco de pena diária no valor de R$ 100 em caso de descumprimento. O hoje vereador, porém, não cumpriu a decisão e o caso se arrastou. No fim do ano passado, quando Companheiro Sérgio já exercia mandato no Legislativo, Cícero voltou a acionar a Justiça para executar os valores da multa. Em outubro, o juiz Rafael Bragagnolo Takejima, determinou que a Câmara diademense descontasse parte do salário de Companheiro Sérgio como forma de garantir a quitação do débito.

O caso foi revelado pelo site ABCD Jornal na manhã desta sexta-feira. Curiosamente, à tarde, Cícero protocolou nos tribunais onde a ação tramita pedido para extinção do processo alegando que havia entrado em acordo com o parlamentar. Ainda ontem, o mesmo magistrado que concedeu a execução da dívida deferiu o arquivamento da ação e comunicou a Câmara para que cesse os descontos no subsídio do parlamentar - receber R$ 10,1 mil por mês.

Ao Diário, Companheiro Sérgio minimizou o caso e afirmou que não chegou a ter parte da remuneração suprimida. “Foi feito um acordo e ele (Cícero) retirou a ação. Vou pagar apenas parte dos honorários advocatícios. Ele entendeu que o processo teve motivação banal. Ele era meu vice na associação e queria as chaves do lugar para realizar atividades particulares, o que não é permitido. Eu apenas cumpri o estatuto (da entidade)”, justificou o vereador.

Cícero não foi localizado para comentar o assunto. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pastor ganha ação contra vereador, mas desiste

Cícero Monteiro cobrava R$ 30 mil em dívida de Companheiro Sérgio, mas aceitou receber R$ 2,8 mil

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

24/01/2020 | 18:45


Cícero Monteiro Cavalcante, conhecido como Pastor Cícero, teve aval da Justiça de Diadema para receber do vereador Companheiro Sérgio (Cidadania), dívida estimada em quase R$ 30 mil, mas desistiu da ação e concordou em levar R$ 2.800, o que representa menos de 10% da quantia inicialmente cobrada.

O débito diz respeito à disputa judicial que se iniciou em 2016. Naquele ano, pastor Cícero entrou na Justiça para obrigar Companheiro Sérgio, que ainda não exercia mandato, a fornecer cópias das chaves da sede de associação do qual eram dirigentes - o pastor era vice do hoje parlamentar.

Na ocasião, a juíza Marisa da Costa Alves Ferreira, da 4ª Vara Cível da cidade, condenou Companheiro Sérgio a permitir o acesso do pastor às dependências da entidade, sob o risco de pena diária no valor de R$ 100 em caso de descumprimento. O hoje vereador, porém, não cumpriu a decisão e o caso se arrastou. No fim do ano passado, quando Companheiro Sérgio já exercia mandato no Legislativo, Cícero voltou a acionar a Justiça para executar os valores da multa. Em outubro, o juiz Rafael Bragagnolo Takejima, determinou que a Câmara diademense descontasse parte do salário de Companheiro Sérgio como forma de garantir a quitação do débito.

O caso foi revelado pelo site ABCD Jornal na manhã desta sexta-feira. Curiosamente, à tarde, Cícero protocolou nos tribunais onde a ação tramita pedido para extinção do processo alegando que havia entrado em acordo com o parlamentar. Ainda ontem, o mesmo magistrado que concedeu a execução da dívida deferiu o arquivamento da ação e comunicou a Câmara para que cesse os descontos no subsídio do parlamentar - receber R$ 10,1 mil por mês.

Ao Diário, Companheiro Sérgio minimizou o caso e afirmou que não chegou a ter parte da remuneração suprimida. “Foi feito um acordo e ele (Cícero) retirou a ação. Vou pagar apenas parte dos honorários advocatícios. Ele entendeu que o processo teve motivação banal. Ele era meu vice na associação e queria as chaves do lugar para realizar atividades particulares, o que não é permitido. Eu apenas cumpri o estatuto (da entidade)”, justificou o vereador.

Cícero não foi localizado para comentar o assunto. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;