Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Serviços e Comércio puxaram geração de vagas formais em 2019, mostra Caged



24/01/2020 | 11:15


A abertura de 644.079 empregos com carteira assinada em 2019 foi puxada pelos setores de Serviços e Comércio, mas o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) registrou resultado positivo em todos os setores da economia no ano passado.

O saldo de Serviços no ano foi positivo em 382.525 vagas, seguido pelo Comércio, com a abertura de 145.475 postos de trabalho no ano.

A Construção Civil abriu 71.115 vagas em 2019, seguida pela Indústria da Transformação (18.341 vagas), Agropecuária (14.366 vagas), Serviços Industriais de Utilidade Pública (6.430 vagas), Extração Mineral (5.005 vagas) e Administração Pública (822 vagas).

Dezembro

Por outro lado, como é comum para meses de dezembro, o fechamento de 307.311 vagas no último mês do ano decorre do saldo negativo em quase todos os setores, com exceção do Comércio, que ainda abriu 19.122 postos formais.

A maior demissão líquida ocorreu no setor de Serviços, com o fechamento de 113.852 vagas no último mês de 2019. Na sequência, a Indústria de Transformação fechou 104.634 postos de trabalho em dezembro.

A Construção fechou 46.886 vagas em dezembro, seguida por Agropecuária (-43.972 vagas), Administração Pública (-15.410 vagas), Extração Mineral (-1.394 vagas) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (-285 vagas).

Regiões

Com abertura de 644.079 empregos com carteira assinada no País em 2019, o Caged registrou saldo positivo em todas as regiões do País.

A criação de vagas no ano passado foi liderada pela região Sudeste com saldo positivo de 318.219 postos de trabalho, seguido pelas regiões Sul (143.273 vagas), Nordeste (76.561 vagas), Centro-Oeste (73.450) e Norte (32.576).

O Caged também registrou saldo positivo em todos os Estados em 2019. Os Estados que criaram mais empregos com carteira no ano passado foram São Paulo (184.133 vagas), Minas Gerais (97.720 vagas) e Santa Catarina (71.406 vagas).

Na outra ponta, os menores saldos positivos de 2019 ocorreram no Amapá (352 vagas), Acre (353 vagas) e Alagoas (731 vagas).

Salário de admissão

O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada teve queda real de 0,15% em dezembro de 2019 ante igual mês de 2018, para R$ 1.595,53, segundo dados do Caged. No mesmo mês do ano anterior, o salário médio de admissão foi de R$ 1.597,94.

Na comparação com novembro de 2019, houve queda de 0,97%, informou nesta sexta-feira o Ministério da Economia. Em novembro, o salário médio de contratação foi de R$ 1.611,14.

O maior salário médio de admissão em dezembro ocorreu na extração mineral, com R$ 2.860,53, influenciado pelas contratações da Petrobras. Já o menor salário médio de admissão foi registrado na agropecuária, com R$ 1.391,77.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Serviços e Comércio puxaram geração de vagas formais em 2019, mostra Caged


24/01/2020 | 11:15


A abertura de 644.079 empregos com carteira assinada em 2019 foi puxada pelos setores de Serviços e Comércio, mas o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) registrou resultado positivo em todos os setores da economia no ano passado.

O saldo de Serviços no ano foi positivo em 382.525 vagas, seguido pelo Comércio, com a abertura de 145.475 postos de trabalho no ano.

A Construção Civil abriu 71.115 vagas em 2019, seguida pela Indústria da Transformação (18.341 vagas), Agropecuária (14.366 vagas), Serviços Industriais de Utilidade Pública (6.430 vagas), Extração Mineral (5.005 vagas) e Administração Pública (822 vagas).

Dezembro

Por outro lado, como é comum para meses de dezembro, o fechamento de 307.311 vagas no último mês do ano decorre do saldo negativo em quase todos os setores, com exceção do Comércio, que ainda abriu 19.122 postos formais.

A maior demissão líquida ocorreu no setor de Serviços, com o fechamento de 113.852 vagas no último mês de 2019. Na sequência, a Indústria de Transformação fechou 104.634 postos de trabalho em dezembro.

A Construção fechou 46.886 vagas em dezembro, seguida por Agropecuária (-43.972 vagas), Administração Pública (-15.410 vagas), Extração Mineral (-1.394 vagas) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (-285 vagas).

Regiões

Com abertura de 644.079 empregos com carteira assinada no País em 2019, o Caged registrou saldo positivo em todas as regiões do País.

A criação de vagas no ano passado foi liderada pela região Sudeste com saldo positivo de 318.219 postos de trabalho, seguido pelas regiões Sul (143.273 vagas), Nordeste (76.561 vagas), Centro-Oeste (73.450) e Norte (32.576).

O Caged também registrou saldo positivo em todos os Estados em 2019. Os Estados que criaram mais empregos com carteira no ano passado foram São Paulo (184.133 vagas), Minas Gerais (97.720 vagas) e Santa Catarina (71.406 vagas).

Na outra ponta, os menores saldos positivos de 2019 ocorreram no Amapá (352 vagas), Acre (353 vagas) e Alagoas (731 vagas).

Salário de admissão

O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada teve queda real de 0,15% em dezembro de 2019 ante igual mês de 2018, para R$ 1.595,53, segundo dados do Caged. No mesmo mês do ano anterior, o salário médio de admissão foi de R$ 1.597,94.

Na comparação com novembro de 2019, houve queda de 0,97%, informou nesta sexta-feira o Ministério da Economia. Em novembro, o salário médio de contratação foi de R$ 1.611,14.

O maior salário médio de admissão em dezembro ocorreu na extração mineral, com R$ 2.860,53, influenciado pelas contratações da Petrobras. Já o menor salário médio de admissão foi registrado na agropecuária, com R$ 1.391,77.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;