Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Campos aciona Doria por carona a aliados

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

22/01/2020 | 00:01


Deputado estadual e presidente paulista do PTB, Campos Machado formulou representação junto ao Ministério Público contra o governador do Estado, João Doria (PSDB), que utilizou helicóptero do governo para dar caronas a aliados políticos e de fazer agendas casadas com voos pagos pelo Palácio dos Bandeirantes.

Em seu requerimento, Campos se baseou em reportagens veiculadas pelo jornal Folha de S.Paulo entre os dias 15 e 16 de janeiro. Segundo a representação do parlamentar, Doria teria incorrido em crime de improbidade administrativa como prevê a lei federal número 8.249 de 2 de junho de 1992, o que evidenciaria o alinhamento dos interesses corporativos de Doria com suas atividades políticas.

“É certo que a utilização de aeronaves custeadas pelos cofres estaduais para a participação em quaisquer desses eventos, seja para fins de participação em eventos do grupo privado Lide (fundado por Doria e do qual se afastou em 2016), seja para participação em eventos partidários, que fazem de interesses absolutamente particulares, como narra a reportagem da Folha de S.Paulo, torna extremamente duvidosas a legalidade e a probidade dos atos praticados pelo governador de São Paulo”, diz parte da peça apresentada pelo petebista.

Por meio de nota, o Palácio do Bandeirantes alegou que obedece aos princípios elencados no artigo 37 da Constituição Federal. E que é atribuição da Casa Militar planejar, organizar, dirigir e executar a segurança e o atendimento funcional do governador do Estado. E que também cabe à Casa Militar fiscalizar o uso de veículos oficiais do Poder Executivo estadual. O Palácio dos Bandeirantes ainda declarou que as viagens foram realizadas para cumprir compromissos funcionais, com otimização de tempo de agenda e de compromissos, assim como para preservar a segurança dos dirigentes.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Campos aciona Doria por carona a aliados

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

22/01/2020 | 00:01


Deputado estadual e presidente paulista do PTB, Campos Machado formulou representação junto ao Ministério Público contra o governador do Estado, João Doria (PSDB), que utilizou helicóptero do governo para dar caronas a aliados políticos e de fazer agendas casadas com voos pagos pelo Palácio dos Bandeirantes.

Em seu requerimento, Campos se baseou em reportagens veiculadas pelo jornal Folha de S.Paulo entre os dias 15 e 16 de janeiro. Segundo a representação do parlamentar, Doria teria incorrido em crime de improbidade administrativa como prevê a lei federal número 8.249 de 2 de junho de 1992, o que evidenciaria o alinhamento dos interesses corporativos de Doria com suas atividades políticas.

“É certo que a utilização de aeronaves custeadas pelos cofres estaduais para a participação em quaisquer desses eventos, seja para fins de participação em eventos do grupo privado Lide (fundado por Doria e do qual se afastou em 2016), seja para participação em eventos partidários, que fazem de interesses absolutamente particulares, como narra a reportagem da Folha de S.Paulo, torna extremamente duvidosas a legalidade e a probidade dos atos praticados pelo governador de São Paulo”, diz parte da peça apresentada pelo petebista.

Por meio de nota, o Palácio do Bandeirantes alegou que obedece aos princípios elencados no artigo 37 da Constituição Federal. E que é atribuição da Casa Militar planejar, organizar, dirigir e executar a segurança e o atendimento funcional do governador do Estado. E que também cabe à Casa Militar fiscalizar o uso de veículos oficiais do Poder Executivo estadual. O Palácio dos Bandeirantes ainda declarou que as viagens foram realizadas para cumprir compromissos funcionais, com otimização de tempo de agenda e de compromissos, assim como para preservar a segurança dos dirigentes.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;