Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Allione deixará Palmeiras de graça em julho e vai gerar prejuízo para Paulo Nobre



20/01/2020 | 13:00


O meia argentino Agustín Allione, do Palmeiras, acertou dias atrás um contrato de empréstimo por seis meses com o Central Córdoba, da Argentina, e não voltará a ter vínculo com o clube paulista. Como o acordo com a nova equipe termina em julho de 2020, mesmo prazo do vínculo entre o atleta e a equipe alviverde, o jogador sairá de graça e vai gerar um prejuízo para o ex-presidente Paulo Nobre, que bancou a sua compra em 2014.

Allione chegou ao clube pelo valor de R$ 6 milhões como parte de um pacote de reforços argentinos pedido pelo então técnico Ricardo Gareca em julho de 2014. Junto com o meia, vieram o zagueiro Fernando Tobio e os atacantes Pablo Mouche e Jonathan Cristaldo. Exceto Tobio, que veio de graça, todos chegaram em uma modalidade de compra em que Nobre se comprometeu a pagar com recursos próprios as contratações.

As operações custaram R$ 23 milhões na época. Nobre se comprometeu a assumir o prejuízo e só teria o dinheiro de volta caso as vendas cobrissem o valor investido. Gareca comandou o Palmeiras por apenas 13 jogos. Atualmente ele dirige a seleção peruana. Depois da saída do treinador, os argentinos tiveram pouco espaço e começaram a ter empréstimos seguidos para outros times.

O meia argentino inicialmente tinha contrato com o Palmeiras somente até julho de 2019, mas em janeiro de 2018 a diretoria resolveu esticar o vínculo até julho de 2020. Allione defendeu a equipe alviverde pela última vez em 2016, para depois acertar três empréstimos seguidos. Foram dois contratos de uma temporada com Bahia e depois, em 2019, ele foi cedido ao Rosário Central, da Argentina.

No início deste ano o Central Córdoba procurou o jogador do Palmeiras. O clube argentino acaba de ser promovido à elite e confirma ter assinado com Allione por seis meses. Segundo o empresário de Allione, Tomás Budelli, depois de julho o atleta estará livre no mercado. "Não há mais outro contrato com o Palmeiras para depois de julho. Ele vai ficar livre no mercado. Talvez fique mais um tempo no Central", disse ele, ao Estado.

O Palmeiras tentou nesta janela de transferências incluir Allione em algumas negociações. Uma das conversas foi com o Cruzeiro. O jogador tem 25 anos. Pelo clube alviverde, ele participou das campanhas dos títulos da Copa do Brasil de 2015 e do Campeonato Brasileiro de 2016. Antes de vir ao futebol brasileiro, ele havia atuado pelo Vélez Sarsfield.

Dos três reforços comprados por Paulo Nobre, apenas Cristaldo trouxe retorno financeiro ao ex-presidente. O argentino veio por R$ 8 milhões e, em junho de 2016, saiu ao futebol mexicano por R$ 10 milhões. Os R$ 2 milhões de diferença ficaram com o ex-dirigente. Mouche custou em 2014 cerca de R$ 9 milhões e acumulou vários empréstimos do início de 2016 até junho de 2019, quando terminou o contrato de cinco anos com o Palmeiras.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Allione deixará Palmeiras de graça em julho e vai gerar prejuízo para Paulo Nobre


20/01/2020 | 13:00


O meia argentino Agustín Allione, do Palmeiras, acertou dias atrás um contrato de empréstimo por seis meses com o Central Córdoba, da Argentina, e não voltará a ter vínculo com o clube paulista. Como o acordo com a nova equipe termina em julho de 2020, mesmo prazo do vínculo entre o atleta e a equipe alviverde, o jogador sairá de graça e vai gerar um prejuízo para o ex-presidente Paulo Nobre, que bancou a sua compra em 2014.

Allione chegou ao clube pelo valor de R$ 6 milhões como parte de um pacote de reforços argentinos pedido pelo então técnico Ricardo Gareca em julho de 2014. Junto com o meia, vieram o zagueiro Fernando Tobio e os atacantes Pablo Mouche e Jonathan Cristaldo. Exceto Tobio, que veio de graça, todos chegaram em uma modalidade de compra em que Nobre se comprometeu a pagar com recursos próprios as contratações.

As operações custaram R$ 23 milhões na época. Nobre se comprometeu a assumir o prejuízo e só teria o dinheiro de volta caso as vendas cobrissem o valor investido. Gareca comandou o Palmeiras por apenas 13 jogos. Atualmente ele dirige a seleção peruana. Depois da saída do treinador, os argentinos tiveram pouco espaço e começaram a ter empréstimos seguidos para outros times.

O meia argentino inicialmente tinha contrato com o Palmeiras somente até julho de 2019, mas em janeiro de 2018 a diretoria resolveu esticar o vínculo até julho de 2020. Allione defendeu a equipe alviverde pela última vez em 2016, para depois acertar três empréstimos seguidos. Foram dois contratos de uma temporada com Bahia e depois, em 2019, ele foi cedido ao Rosário Central, da Argentina.

No início deste ano o Central Córdoba procurou o jogador do Palmeiras. O clube argentino acaba de ser promovido à elite e confirma ter assinado com Allione por seis meses. Segundo o empresário de Allione, Tomás Budelli, depois de julho o atleta estará livre no mercado. "Não há mais outro contrato com o Palmeiras para depois de julho. Ele vai ficar livre no mercado. Talvez fique mais um tempo no Central", disse ele, ao Estado.

O Palmeiras tentou nesta janela de transferências incluir Allione em algumas negociações. Uma das conversas foi com o Cruzeiro. O jogador tem 25 anos. Pelo clube alviverde, ele participou das campanhas dos títulos da Copa do Brasil de 2015 e do Campeonato Brasileiro de 2016. Antes de vir ao futebol brasileiro, ele havia atuado pelo Vélez Sarsfield.

Dos três reforços comprados por Paulo Nobre, apenas Cristaldo trouxe retorno financeiro ao ex-presidente. O argentino veio por R$ 8 milhões e, em junho de 2016, saiu ao futebol mexicano por R$ 10 milhões. Os R$ 2 milhões de diferença ficaram com o ex-dirigente. Mouche custou em 2014 cerca de R$ 9 milhões e acumulou vários empréstimos do início de 2016 até junho de 2019, quando terminou o contrato de cinco anos com o Palmeiras.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;