Fechar
Publicidade

Domingo, 9 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Governo avalia impacto de eventual subsídio a templos religiosos, diz secretário

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


14/01/2020 | 12:44


O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, admitiu nesta terça-feira (14) que, apesar da diretriz geral de redução de benefícios fiscais, novos subsídios poderão ser criados, se forem considerados meritórios pelo governo. "Governar é definir quais prioridades serão dadas. Para a criação de um novo gasto tributário, sempre é preciso haver compensação", respondeu.

Waldery evitou comentar sobre a proposta de subsídio para o consumo de energia elétrica por templos religiosos - uma ideia do presidente Jair Bolsonaro. "O Ministério de Minas e Energia pode falar sobre o tema. (O impacto) ainda está em análise", completou.

O secretário enfatizou que o governo tem como política a redução dos benefícios tributários, financeiros e creditícios. "A diretriz é de redução dos benefícios tributários para 2% do PIB em prazo de 10 anos", lembrou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Governo avalia impacto de eventual subsídio a templos religiosos, diz secretário


14/01/2020 | 12:44


O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, admitiu nesta terça-feira (14) que, apesar da diretriz geral de redução de benefícios fiscais, novos subsídios poderão ser criados, se forem considerados meritórios pelo governo. "Governar é definir quais prioridades serão dadas. Para a criação de um novo gasto tributário, sempre é preciso haver compensação", respondeu.

Waldery evitou comentar sobre a proposta de subsídio para o consumo de energia elétrica por templos religiosos - uma ideia do presidente Jair Bolsonaro. "O Ministério de Minas e Energia pode falar sobre o tema. (O impacto) ainda está em análise", completou.

O secretário enfatizou que o governo tem como política a redução dos benefícios tributários, financeiros e creditícios. "A diretriz é de redução dos benefícios tributários para 2% do PIB em prazo de 10 anos", lembrou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;