Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

O último a saber


Do Diário do Grande ABC

14/01/2020 | 09:28


O término das negociações entre a Ford e a Caoa para aquisição das instalações nas quais a marca norte-americana produziu veículos em São Bernardo por 52 anos foi informado ontem pelo governador de São Paulo, João Doria, e confirmado pelas duas empresas. Assim, de forma definitiva, encerra-se uma novela cujo primeiro capítulo foi protagonizado em 26 de fevereiro do ano passado, sete dias depois de a montadora anunciar que iria encerrar as atividades na unidade do Grande ABC.


Foi o próprio Doria quem, à época do comunicado, declarou que a Caoa e outras duas fabricantes estariam interessadas na planta. As tratativas, entretanto, passaram por vários estágios e prazos. O número de possíveis compradores caiu para dois e, posteriormente, se restringiu à Caoa. Até uma coletiva de imprensa foi convocada para o Palácio dos Bandeirantes. Tudo levava a crer que seria o anúncio da aquisição, mas o que houve foi a sinalização de mais um adiamento.


O tempo passou, os últimos veículos foram montados (dia 30 de outubro), o acordo não se concretizou e os funcionários da produção acabaram dispensados. Fim da linha.


Vários foram os personagens que se envolveram nessa história. O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, foi um deles. Logo no início, se declarou indignado por não ter sido informado pela Ford da intenção de deixar a cidade. Tentou falar com o presidente da companhia norte-americana, mas não foi recebido. Depois disso, garantiu ele que em agosto a montadora do bairro Taboão teria um novo dono, que um dos interessados tinha planos de manter os empregos e ainda gerar mais 1.000 vagas. O que também não se concretizou.


Ontem, em evento da área calçadista na Capital, Doria relatou o fim das negociações com a Caoa, as partes corroboraram e a Prefeitura são-bernardense, assim como no anúncio da venda, nada sabia.


Prefeito Orlando Morando, as coisas estão acontecendo no seu quintal. A população espera mais envolvimento na condução de assunto tão delicado.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

O último a saber

Do Diário do Grande ABC

14/01/2020 | 09:28


O término das negociações entre a Ford e a Caoa para aquisição das instalações nas quais a marca norte-americana produziu veículos em São Bernardo por 52 anos foi informado ontem pelo governador de São Paulo, João Doria, e confirmado pelas duas empresas. Assim, de forma definitiva, encerra-se uma novela cujo primeiro capítulo foi protagonizado em 26 de fevereiro do ano passado, sete dias depois de a montadora anunciar que iria encerrar as atividades na unidade do Grande ABC.


Foi o próprio Doria quem, à época do comunicado, declarou que a Caoa e outras duas fabricantes estariam interessadas na planta. As tratativas, entretanto, passaram por vários estágios e prazos. O número de possíveis compradores caiu para dois e, posteriormente, se restringiu à Caoa. Até uma coletiva de imprensa foi convocada para o Palácio dos Bandeirantes. Tudo levava a crer que seria o anúncio da aquisição, mas o que houve foi a sinalização de mais um adiamento.


O tempo passou, os últimos veículos foram montados (dia 30 de outubro), o acordo não se concretizou e os funcionários da produção acabaram dispensados. Fim da linha.


Vários foram os personagens que se envolveram nessa história. O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, foi um deles. Logo no início, se declarou indignado por não ter sido informado pela Ford da intenção de deixar a cidade. Tentou falar com o presidente da companhia norte-americana, mas não foi recebido. Depois disso, garantiu ele que em agosto a montadora do bairro Taboão teria um novo dono, que um dos interessados tinha planos de manter os empregos e ainda gerar mais 1.000 vagas. O que também não se concretizou.


Ontem, em evento da área calçadista na Capital, Doria relatou o fim das negociações com a Caoa, as partes corroboraram e a Prefeitura são-bernardense, assim como no anúncio da venda, nada sabia.


Prefeito Orlando Morando, as coisas estão acontecendo no seu quintal. A população espera mais envolvimento na condução de assunto tão delicado.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;