Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Caoa desiste de compra da Ford em São Bernardo

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Empresas confirmam oficialmente que negociações não evoluíram e futuro da unidade é incerto


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

13/01/2020 | 23:35


A Caoa desistiu de comprar a fábrica da Ford em São Bernardo. A informação foi divulgada ontem pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e confirmada posteriormente pelas empresas. De acordo com Doria, o grupo brasileiro deve fazer investimentos no Estado ainda neste ano, mas que não contemplam a possibilidade de adquirir a planta localizada no bairro Taboão. Ou seja, a unidade da região permanece sem destino, após 76 dias do encerramento da produção de caminhões e há quase um ano do anúncio da montadora norte-americana sobre a decisão do fechamento.

Doria falou sobre o assunto em coletiva de imprensa no evento Couromoda, realizado no Expo Center Norte. “Não é fácil vender uma fábrica instalada, é difícil. Sobre certos aspectos, é mais fácil você motivar a implantação de uma fábrica do que a venda, porque ela tem que ser muito ajustada. Uma coisa é você fazer um terno e, outra, é vender o terno pronto para número muito pequeno de usuários”, disse.

Apesar disso, o governador afirmou que ainda não desistiu das negociações. “Há um entendimento novo com dois fabricantes chineses (a montadora chinesa BYD seria uma das empresas, conforme sinalizado em dezembro do ano passado, mas, questionada sobre o assunto, ela preferiu não se posicionar), que estão em curso. Nós não temos propagado, até para que eles possam seguir com tranquilidade, sem a pressão do tempo. Com a Caoa não foi possível viabilizar nesse caso específico, mas ela deve anunciar em 2020 um novo e forte investimento com um fabricante chinês na indústria automobilística em São Paulo.”

Em setembro do ano passado, no Palácio dos Bandeirantes, foi feito anúncio à imprensa, com a presença do próprio governador, do prefeito Orlando Morando (PSDB) e de representantes de ambas as empresas, de que a Caoa era a única interessada na compra da fábrica da Ford na região. À época, a expectativa era a de que o grupo assumisse 850 ex-funcionários da fábrica –, no início do ano passado, a planta mantinha 2.800 – com possibilidade de redução de até 30% no valor dos salários. A empresa sinalizou que iria assumir a linha de montagens de caminhões, incluindo a Cargo, e que pretendia produzir novo automóvel.

“A Caoa acabou não consolidando a compra da unidade da Ford exatamente porque o investidor chinês queria um espaço maior e uma indústria fisicamente maior para a produção automobilística”, afirmou o governador, reiterando que o novo investimento do grupo será feito no Estado em 2020.

A unidade no bairro Taboão, que completou 52 anos em 2019, entretanto, possui terreno com área total de 1,1 milhão de metros quadrados.

Questionada sobre o assunto pelo Diário, a Caoa apenas confirmou que, no momento, não negocia mais com a Ford para a compra da fábrica de São Bernardo. A montadora norte-americana também assinalou que as negociações com a Caoa não progrediram. “No entanto, há potenciais compradores interessados e engajados em conversações com a Ford em relação às instalações de São Bernardo. A Ford reitera que continua fazendo todos os esforços cabíveis para alcançar resultado positivo”, informou, por meio de nota.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC afirmou que já havia solicitado, nos últimos dias, reunião com a Ford para falar sobre o andamento das negociações. A expectativa é a de que o encontro aconteça ainda nesta semana.


Prefeitura diz que não foi comunicada

O Diário questionou a Prefeitura de São Bernardo a respeito das declarações do governador que informaram sobre a desistência da Caoa de comprar a unidade da Ford do bairro Taboão. Isso porque, desde o início, o prefeito Orlando Morando (PSDB) era um dos interlocutores da negociação.

“Sobre os questionamentos, a Prefeitura de São Bernardo esclarece que não foi comunicada pelo governo do Estado e que não foi procurada por outros investidores”, informou a administração municipal, por meio de nota.

Em julho do ano passado, Morando tinha afirmado que a empresa que faria a gestão da fábrica da Ford seria anunciada ainda em agosto, sendo que ao menos duas empresas estariam interessadas em adquirir a planta, e uma delas estaria disposta a manter os postos de trabalho e abrir mais 1.000 vagas na fábrica, somando mais de 3.000. Em novembro, o prefeito havia afirmado que as negociações com a Caoa continuavam em andamento.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Caoa desiste de compra da Ford em São Bernardo

Empresas confirmam oficialmente que negociações não evoluíram e futuro da unidade é incerto

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

13/01/2020 | 23:35


A Caoa desistiu de comprar a fábrica da Ford em São Bernardo. A informação foi divulgada ontem pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e confirmada posteriormente pelas empresas. De acordo com Doria, o grupo brasileiro deve fazer investimentos no Estado ainda neste ano, mas que não contemplam a possibilidade de adquirir a planta localizada no bairro Taboão. Ou seja, a unidade da região permanece sem destino, após 76 dias do encerramento da produção de caminhões e há quase um ano do anúncio da montadora norte-americana sobre a decisão do fechamento.

Doria falou sobre o assunto em coletiva de imprensa no evento Couromoda, realizado no Expo Center Norte. “Não é fácil vender uma fábrica instalada, é difícil. Sobre certos aspectos, é mais fácil você motivar a implantação de uma fábrica do que a venda, porque ela tem que ser muito ajustada. Uma coisa é você fazer um terno e, outra, é vender o terno pronto para número muito pequeno de usuários”, disse.

Apesar disso, o governador afirmou que ainda não desistiu das negociações. “Há um entendimento novo com dois fabricantes chineses (a montadora chinesa BYD seria uma das empresas, conforme sinalizado em dezembro do ano passado, mas, questionada sobre o assunto, ela preferiu não se posicionar), que estão em curso. Nós não temos propagado, até para que eles possam seguir com tranquilidade, sem a pressão do tempo. Com a Caoa não foi possível viabilizar nesse caso específico, mas ela deve anunciar em 2020 um novo e forte investimento com um fabricante chinês na indústria automobilística em São Paulo.”

Em setembro do ano passado, no Palácio dos Bandeirantes, foi feito anúncio à imprensa, com a presença do próprio governador, do prefeito Orlando Morando (PSDB) e de representantes de ambas as empresas, de que a Caoa era a única interessada na compra da fábrica da Ford na região. À época, a expectativa era a de que o grupo assumisse 850 ex-funcionários da fábrica –, no início do ano passado, a planta mantinha 2.800 – com possibilidade de redução de até 30% no valor dos salários. A empresa sinalizou que iria assumir a linha de montagens de caminhões, incluindo a Cargo, e que pretendia produzir novo automóvel.

“A Caoa acabou não consolidando a compra da unidade da Ford exatamente porque o investidor chinês queria um espaço maior e uma indústria fisicamente maior para a produção automobilística”, afirmou o governador, reiterando que o novo investimento do grupo será feito no Estado em 2020.

A unidade no bairro Taboão, que completou 52 anos em 2019, entretanto, possui terreno com área total de 1,1 milhão de metros quadrados.

Questionada sobre o assunto pelo Diário, a Caoa apenas confirmou que, no momento, não negocia mais com a Ford para a compra da fábrica de São Bernardo. A montadora norte-americana também assinalou que as negociações com a Caoa não progrediram. “No entanto, há potenciais compradores interessados e engajados em conversações com a Ford em relação às instalações de São Bernardo. A Ford reitera que continua fazendo todos os esforços cabíveis para alcançar resultado positivo”, informou, por meio de nota.

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC afirmou que já havia solicitado, nos últimos dias, reunião com a Ford para falar sobre o andamento das negociações. A expectativa é a de que o encontro aconteça ainda nesta semana.


Prefeitura diz que não foi comunicada

O Diário questionou a Prefeitura de São Bernardo a respeito das declarações do governador que informaram sobre a desistência da Caoa de comprar a unidade da Ford do bairro Taboão. Isso porque, desde o início, o prefeito Orlando Morando (PSDB) era um dos interlocutores da negociação.

“Sobre os questionamentos, a Prefeitura de São Bernardo esclarece que não foi comunicada pelo governo do Estado e que não foi procurada por outros investidores”, informou a administração municipal, por meio de nota.

Em julho do ano passado, Morando tinha afirmado que a empresa que faria a gestão da fábrica da Ford seria anunciada ainda em agosto, sendo que ao menos duas empresas estariam interessadas em adquirir a planta, e uma delas estaria disposta a manter os postos de trabalho e abrir mais 1.000 vagas na fábrica, somando mais de 3.000. Em novembro, o prefeito havia afirmado que as negociações com a Caoa continuavam em andamento.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;