Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

PF mira em desvios de R$ 17 milhões no transporte escolar de Rondônia

Policia Federal/fotos Publicas  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


13/12/2019 | 10:24


A Polícia Federal (PF) e a Controladoria Geral da União (CGU) desencadearam, na manhã desta sexta-feira, 13, uma operação para combater desvios de mais de R$ 17 milhões envolvendo os recursos do Programa Nacional de Transporte Escolar (PNATE) em Rondônia. Batizada de Rapina, a ação investiga fraudes no âmbito de dois contratos da Secretaria Municipal de Educação e da Controladoria Geral do Município de Ji-Paraná, localizado a cerca de 375 km de Porto Velho.

Segundo a PF, um único grupo econômico fraudava licitações e mantinha o contrato para o transporte escolar da cidade desde de 2012. No certame, participavam empresas de fachada e havia sobrepreço das propostas vencedoras, diz a corporação.

Agentes cumprem 52 mandados judiciais em Rondônia, Pernambuco e Piauí. As ordens, expedidas pela Justiça Federal em Ji-Paraná, incluem cinco mandados de prisão temporária, três de prisão preventiva, 30 de busca e apreensão e 14 de sequestro de bens.

A Secretaria de Educação e Controladoria Geral do Município de Ji-Paraná estão entre os alvos das buscas em Rondônia. Além delas, a PF vasculha ainda endereços das empresas envolvidas e residências dos investigados em Porto Velho, Cacoal, Machadinho do Oeste e Alto Paraíso do Oeste. Em Pernambuco, as medidas são cumpridas em Paulista e, no Piauí, em Teresina.

Segundo a PF, as investigações tiveram como base um relatório da Controladoria Geral da União em Rondônia e um parecer da 5ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal.

As análises identificaram uma organização criminosa composta por empresários e agentes públicos que fraudavam licitações e contratos da Secretaria Municipal de Educação de Ji-Paraná, obtendo vantagens ilícitas dos recursos do Programa Nacional de Transporte Escolar.

A Polícia Federal indicou que os dois processos licitatórios investigados teriam sido fraudados por meio de um conluio entre as empresas participantes e resultaram em um superfaturamento de mais de R$ R$ 17 milhões, segundo aponta o relatório da CGU.

Os investigados podem responder pelos crimes de organização criminosa, fraude à licitação, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Defesa

A reportagem busca contato com a Prefeitura de Ji-Paraná. O espaço está aberto para manifestações de defesa.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PF mira em desvios de R$ 17 milhões no transporte escolar de Rondônia


13/12/2019 | 10:24


A Polícia Federal (PF) e a Controladoria Geral da União (CGU) desencadearam, na manhã desta sexta-feira, 13, uma operação para combater desvios de mais de R$ 17 milhões envolvendo os recursos do Programa Nacional de Transporte Escolar (PNATE) em Rondônia. Batizada de Rapina, a ação investiga fraudes no âmbito de dois contratos da Secretaria Municipal de Educação e da Controladoria Geral do Município de Ji-Paraná, localizado a cerca de 375 km de Porto Velho.

Segundo a PF, um único grupo econômico fraudava licitações e mantinha o contrato para o transporte escolar da cidade desde de 2012. No certame, participavam empresas de fachada e havia sobrepreço das propostas vencedoras, diz a corporação.

Agentes cumprem 52 mandados judiciais em Rondônia, Pernambuco e Piauí. As ordens, expedidas pela Justiça Federal em Ji-Paraná, incluem cinco mandados de prisão temporária, três de prisão preventiva, 30 de busca e apreensão e 14 de sequestro de bens.

A Secretaria de Educação e Controladoria Geral do Município de Ji-Paraná estão entre os alvos das buscas em Rondônia. Além delas, a PF vasculha ainda endereços das empresas envolvidas e residências dos investigados em Porto Velho, Cacoal, Machadinho do Oeste e Alto Paraíso do Oeste. Em Pernambuco, as medidas são cumpridas em Paulista e, no Piauí, em Teresina.

Segundo a PF, as investigações tiveram como base um relatório da Controladoria Geral da União em Rondônia e um parecer da 5ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal.

As análises identificaram uma organização criminosa composta por empresários e agentes públicos que fraudavam licitações e contratos da Secretaria Municipal de Educação de Ji-Paraná, obtendo vantagens ilícitas dos recursos do Programa Nacional de Transporte Escolar.

A Polícia Federal indicou que os dois processos licitatórios investigados teriam sido fraudados por meio de um conluio entre as empresas participantes e resultaram em um superfaturamento de mais de R$ R$ 17 milhões, segundo aponta o relatório da CGU.

Os investigados podem responder pelos crimes de organização criminosa, fraude à licitação, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Defesa

A reportagem busca contato com a Prefeitura de Ji-Paraná. O espaço está aberto para manifestações de defesa.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;