Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Ele trouxe humanidade à Perimetral

A mais legítima criatividade popular passava pela Banca do Fattori, na Avenida Perimetral, humanizada, acalorada e politicamente construtiva quando o Brasil se preparava para eleger o primeiro presidente da República depois do regime militar


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

13/12/2019 | 07:00


“Vota Brasil”, escreveu Hermenegildo Fattori, em letras imensas, junto à sua banca, na área verde localizada entre as ruas Coronel Francisco Amaro e Coronel Alfredo Flaquer, na Perimetral Alta, em Santo André.

Jornais e revistas abriam grandes manchetes ligadas à eleição à Presidência da República. Num dos canteiros de flores e folhagens, o mesmo Hermenegildo Fattori escrevia: “Enquanto nossa bandeira estiver a tremular, a esperança no Brasil não vai acabar”.

Era 1989, o ano da reconquista democrática brasileira. Em 1988 o Brasil ganhava a Constituição Cidadã, nas palavras de Ulysses Magalhães. Agora, a grande maioria dos eleitores brasileiros votava duas vezes para a escolha do seu presidente, no primeiro e segundo turnos.

Hermenegildo Fattori não declarava voto publicamente. Mas fazia propaganda boca a boca, como todo comunicador que tem os seus candidatos, mas que não os declara nos jornais em que trabalha.

Pois o repórter-fotográfico Wilson Magão foi até a Banca do Fattori e fez mais um lindo ensaio fotográfico para a reportagem intitulada ‘Jornaleiro Hermenegildo Fattori transforma praça em jornal mural’.

Era 6 de dezembro de 1989. No Natal de 2017, Sr. Hermenegildo concedeu uma emocionada entrevista ao DGABC TV. Chegou a contar até três antes de responder à primeira pergunta. Depois conheceu a Redação. Já não tinha banca na praça da Perimetral, mas continuava agitando positivamente no seu bairro, o Casa Branca.

Três meses depois, a partida. E a justa homenagem: Santo André ganhou uma nova praça, a Praça Hermenegildo Fattori, no mesmo espaço onde o patrono manteve, por 33 anos, a sua banca, verdadeiro espaço cultural voltado, em especial, ao estudante andreense desta “livre terra querida”. 

Diário há 30 anos

Quarta-feira, 13 de dezembro de 1989 – ano 32, edição 7247

Manchete – Bolsas disparam, dólar cai, mercado já teme o calote 

Eleições Presidenciais – Emissário de Lula conversa com embaixador sobre dívida externa; Collor abandona postura calma e usará agressividade no debate; PRN explora passado de Lula com acusações de sua ex-mulher, Miriam Cordeiro.

Fórmula 1 – Ayrton Senna, a bordo de uma escavadeira, vistoria as obras do autódromo de Interlagos e sugere alteração no traçado. O repórter-fotográfico Paulo de Souza, o querido e saudoso Paulão, do Diário, acompanha. E registra. 

Em 13 de dezembro de...

1519 – O piloto português Fernão de Magalhães, a serviço da Espanha, chega à baia do Rio de Janeiro. Seguirá, depois do Natal, na primeira viagem de navegação do globo. Missão: descobrir o estreito que hoje traz o seu nome. 

1914 – A I guerra. Da manchete do Estadão: os alemães abandonam a margem a Oeste do Yser, que é ocupada pelos aliados. 

1939 – A II Guerra. Do noticiário do Estadão: a URSS rejeitou o apelo da sociedade das nações.

1954 – O Primeiro Congresso Brasileiro de Cerâmica, aberto na véspera, promove visita a quatro indústrias do nascente Grande ABC: Cerâmica São Caetano, em São Caetano, e Porcelana Mauá, Cerâmica Cerqueira Leite e Porcelana Real, em Mauá. 

Borracheiros de São Paulo e Santo André assinam acordo com os patrões: os salários da categoria são reajustados em 22%.

2014 – Nasce a Biblioteca Poeta Edson Bueno de Camargo. O poeta da cidade de Mauá passa a denominar a biblioteca de CEU de Artes do Parque das Américas. A biblioteca fica na esquina das ruas América do Norte e América do Sul.

Hoje

- Dia do Pessoa com Deficiência Visual

- Dia do Marinheiro

- Dia do Pedreiro

- Dia do Lapidador

- Dia Nacional do Forró

Santos do dia

- Odila (ou Otília)

- João Marimoni

Municípios brasileiros

Celebram aniversários em 13 de dezembro:

- Em São Paulo, Guaiçara, Luís Antonio, Ourinhos e Palmeira d’Oeste

- No Pará, Água Azul do Norte, Brasil Novo, Breu Branco, Eldorado dos Carajás, Goianésia do Pará, Ipixuna do Pará, Jacareacanga, Novo Progresso, Palestina do Pará, Santa Bárbara do Pará, Santa Luzia do Pará, Terra Santa, Trairão, Ulianópolis e Vitória do Xingú

- No Paraná, Carambeí, Cruzmaltina, Diamante do Norte, Japurá, Porto Barreiro e Tamarana

- Em Pernambuco, Gameleira

- Em Santa Catarina, Itá

- Em Goiás, Luziânia

- No Piauí, Massapê do Piauí, Nazária e São Miguel da Baixa Grande

- Em Minas Gerais, Pequeri

- Na Paraíba, Serra Grande

Fonte:IBGE.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ele trouxe humanidade à Perimetral

A mais legítima criatividade popular passava pela Banca do Fattori, na Avenida Perimetral, humanizada, acalorada e politicamente construtiva quando o Brasil se preparava para eleger o primeiro presidente da República depois do regime militar

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

13/12/2019 | 07:00


“Vota Brasil”, escreveu Hermenegildo Fattori, em letras imensas, junto à sua banca, na área verde localizada entre as ruas Coronel Francisco Amaro e Coronel Alfredo Flaquer, na Perimetral Alta, em Santo André.

Jornais e revistas abriam grandes manchetes ligadas à eleição à Presidência da República. Num dos canteiros de flores e folhagens, o mesmo Hermenegildo Fattori escrevia: “Enquanto nossa bandeira estiver a tremular, a esperança no Brasil não vai acabar”.

Era 1989, o ano da reconquista democrática brasileira. Em 1988 o Brasil ganhava a Constituição Cidadã, nas palavras de Ulysses Magalhães. Agora, a grande maioria dos eleitores brasileiros votava duas vezes para a escolha do seu presidente, no primeiro e segundo turnos.

Hermenegildo Fattori não declarava voto publicamente. Mas fazia propaganda boca a boca, como todo comunicador que tem os seus candidatos, mas que não os declara nos jornais em que trabalha.

Pois o repórter-fotográfico Wilson Magão foi até a Banca do Fattori e fez mais um lindo ensaio fotográfico para a reportagem intitulada ‘Jornaleiro Hermenegildo Fattori transforma praça em jornal mural’.

Era 6 de dezembro de 1989. No Natal de 2017, Sr. Hermenegildo concedeu uma emocionada entrevista ao DGABC TV. Chegou a contar até três antes de responder à primeira pergunta. Depois conheceu a Redação. Já não tinha banca na praça da Perimetral, mas continuava agitando positivamente no seu bairro, o Casa Branca.

Três meses depois, a partida. E a justa homenagem: Santo André ganhou uma nova praça, a Praça Hermenegildo Fattori, no mesmo espaço onde o patrono manteve, por 33 anos, a sua banca, verdadeiro espaço cultural voltado, em especial, ao estudante andreense desta “livre terra querida”. 

Diário há 30 anos

Quarta-feira, 13 de dezembro de 1989 – ano 32, edição 7247

Manchete – Bolsas disparam, dólar cai, mercado já teme o calote 

Eleições Presidenciais – Emissário de Lula conversa com embaixador sobre dívida externa; Collor abandona postura calma e usará agressividade no debate; PRN explora passado de Lula com acusações de sua ex-mulher, Miriam Cordeiro.

Fórmula 1 – Ayrton Senna, a bordo de uma escavadeira, vistoria as obras do autódromo de Interlagos e sugere alteração no traçado. O repórter-fotográfico Paulo de Souza, o querido e saudoso Paulão, do Diário, acompanha. E registra. 

Em 13 de dezembro de...

1519 – O piloto português Fernão de Magalhães, a serviço da Espanha, chega à baia do Rio de Janeiro. Seguirá, depois do Natal, na primeira viagem de navegação do globo. Missão: descobrir o estreito que hoje traz o seu nome. 

1914 – A I guerra. Da manchete do Estadão: os alemães abandonam a margem a Oeste do Yser, que é ocupada pelos aliados. 

1939 – A II Guerra. Do noticiário do Estadão: a URSS rejeitou o apelo da sociedade das nações.

1954 – O Primeiro Congresso Brasileiro de Cerâmica, aberto na véspera, promove visita a quatro indústrias do nascente Grande ABC: Cerâmica São Caetano, em São Caetano, e Porcelana Mauá, Cerâmica Cerqueira Leite e Porcelana Real, em Mauá. 

Borracheiros de São Paulo e Santo André assinam acordo com os patrões: os salários da categoria são reajustados em 22%.

2014 – Nasce a Biblioteca Poeta Edson Bueno de Camargo. O poeta da cidade de Mauá passa a denominar a biblioteca de CEU de Artes do Parque das Américas. A biblioteca fica na esquina das ruas América do Norte e América do Sul.

Hoje

- Dia do Pessoa com Deficiência Visual

- Dia do Marinheiro

- Dia do Pedreiro

- Dia do Lapidador

- Dia Nacional do Forró

Santos do dia

- Odila (ou Otília)

- João Marimoni

Municípios brasileiros

Celebram aniversários em 13 de dezembro:

- Em São Paulo, Guaiçara, Luís Antonio, Ourinhos e Palmeira d’Oeste

- No Pará, Água Azul do Norte, Brasil Novo, Breu Branco, Eldorado dos Carajás, Goianésia do Pará, Ipixuna do Pará, Jacareacanga, Novo Progresso, Palestina do Pará, Santa Bárbara do Pará, Santa Luzia do Pará, Terra Santa, Trairão, Ulianópolis e Vitória do Xingú

- No Paraná, Carambeí, Cruzmaltina, Diamante do Norte, Japurá, Porto Barreiro e Tamarana

- Em Pernambuco, Gameleira

- Em Santa Catarina, Itá

- Em Goiás, Luziânia

- No Piauí, Massapê do Piauí, Nazária e São Miguel da Baixa Grande

- Em Minas Gerais, Pequeri

- Na Paraíba, Serra Grande

Fonte:IBGE.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;