Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Indústria de SP cresce em outubro, mas produção está 18,6% abaixo de pico



10/12/2019 | 17:46


A indústria paulista mostrou crescimento em outubro, mas a produção local ainda está 18,6% abaixo do pico alcançado em março de 2011. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A produção industrial cresceu em sete dos 15 locais que integram a pesquisa, na passagem de setembro para outubro. Em São Paulo, maior parque industrial do País, houve uma elevação de 1,5%, eliminando a perda de 0,7% registrada no mês anterior. Na média global, a indústria nacional avançou 0,8% em outubro ante setembro.

"São Paulo puxou essa alta na média nacional. Esse impulso foi devido ao setor de veículos automotores, puxado por automóveis, mas essa atividade está com um comportamento errático. E teve influência também de alimentos, que foi pela maior produção de açúcar", explicou o analista da Coordenação de Indústria do IBGE, Bernardo Almeida.

Na comparação com outubro do ano passado, a indústria paulista cresceu 5,0% em outubro deste ano, também a maior influência positiva sobre o avanço de 1,0% na média nacional. Metade dos 18 setores que compõem a indústria de São Paulo aumentou a produção nesse tipo de comparação, com destaque para a maior fabricação de açúcar, sucos concentrados de laranja e combustíveis.

No entanto, ainda não é possível afirmar que o parque fabril local tenha engatado uma recuperação.

"A gente consegue visualizar pelos setores mais fortes em São Paulo, que são veículos e alimentos, que ainda não têm uma trajetória sustentada de crescimento, mas sim cautelosa e lenta", avaliou Almeida.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Indústria de SP cresce em outubro, mas produção está 18,6% abaixo de pico


10/12/2019 | 17:46


A indústria paulista mostrou crescimento em outubro, mas a produção local ainda está 18,6% abaixo do pico alcançado em março de 2011. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A produção industrial cresceu em sete dos 15 locais que integram a pesquisa, na passagem de setembro para outubro. Em São Paulo, maior parque industrial do País, houve uma elevação de 1,5%, eliminando a perda de 0,7% registrada no mês anterior. Na média global, a indústria nacional avançou 0,8% em outubro ante setembro.

"São Paulo puxou essa alta na média nacional. Esse impulso foi devido ao setor de veículos automotores, puxado por automóveis, mas essa atividade está com um comportamento errático. E teve influência também de alimentos, que foi pela maior produção de açúcar", explicou o analista da Coordenação de Indústria do IBGE, Bernardo Almeida.

Na comparação com outubro do ano passado, a indústria paulista cresceu 5,0% em outubro deste ano, também a maior influência positiva sobre o avanço de 1,0% na média nacional. Metade dos 18 setores que compõem a indústria de São Paulo aumentou a produção nesse tipo de comparação, com destaque para a maior fabricação de açúcar, sucos concentrados de laranja e combustíveis.

No entanto, ainda não é possível afirmar que o parque fabril local tenha engatado uma recuperação.

"A gente consegue visualizar pelos setores mais fortes em São Paulo, que são veículos e alimentos, que ainda não têm uma trajetória sustentada de crescimento, mas sim cautelosa e lenta", avaliou Almeida.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;