Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 21 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Triste coincidência


Triste coincidência

10/12/2019 | 10:20


No dia em que o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC lançou programa destinado a recuperar homens que agridem mulheres, ocorreu a 11ª morte por crime de feminicídio na região neste ano. Na média, é praticamente uma vítima por mês. O que destaca ainda mais a importância do serviço apresentado pelo colegiado.


O crime cometido ontem teve enredo semelhante a tantas outras ocorrências. Relacionamento conturbado, histórico de agressões, separação (muitas vezes não aceita), volta, novas discussões e agressões e o desfecho trágico.

A iniciativa do Consórcio, a primeira em âmbito regional no País, poderá evitar a perda de outras vidas. O objetivo é conscientizar e reeducar homens que foram condenados a penas inferiores a dois anos.

Eles deverão participar obrigatoriamente de 20 encontros, sendo um por semana, além de quatro atividades trimestrais e duas semestrais, o que totaliza dois anos de acompanhamento.


A aposta dos organizadores é que os participantes repensem as atitudes que vinham tomando. Que se reconheçam machistas e violentos e, a partir daí, mudem de comportamento. Serão homens falando para homens e isso facilitará o entendimento, segundo o responsável por iniciativa desenvolvida em Santo André desde 2014, com o nome de E Agora, José? E que em cinco anos de atividade já atendeu 300 homens.


A violência não pode ser aceita em hipótese alguma. Toda e qualquer proposta para que esse mal seja combatido precisa ser urgentemente colocada em prática. É inadmissível e intolerável que uma pessoa seja ameaçada ou morta pela simples condição de ser mulher.


Passou da hora de dar um basta nessa situação e isso só vai acontecer por meio da educação. É preciso que mulheres e homens sejam conscientes com relação aos seus direitos e deveres. E para que isso ocorra é fundamental que existam projetos como o que o Consórcio Intermunicipal colocará em prática. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Triste coincidência

Triste coincidência

10/12/2019 | 10:20


No dia em que o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC lançou programa destinado a recuperar homens que agridem mulheres, ocorreu a 11ª morte por crime de feminicídio na região neste ano. Na média, é praticamente uma vítima por mês. O que destaca ainda mais a importância do serviço apresentado pelo colegiado.


O crime cometido ontem teve enredo semelhante a tantas outras ocorrências. Relacionamento conturbado, histórico de agressões, separação (muitas vezes não aceita), volta, novas discussões e agressões e o desfecho trágico.

A iniciativa do Consórcio, a primeira em âmbito regional no País, poderá evitar a perda de outras vidas. O objetivo é conscientizar e reeducar homens que foram condenados a penas inferiores a dois anos.

Eles deverão participar obrigatoriamente de 20 encontros, sendo um por semana, além de quatro atividades trimestrais e duas semestrais, o que totaliza dois anos de acompanhamento.


A aposta dos organizadores é que os participantes repensem as atitudes que vinham tomando. Que se reconheçam machistas e violentos e, a partir daí, mudem de comportamento. Serão homens falando para homens e isso facilitará o entendimento, segundo o responsável por iniciativa desenvolvida em Santo André desde 2014, com o nome de E Agora, José? E que em cinco anos de atividade já atendeu 300 homens.


A violência não pode ser aceita em hipótese alguma. Toda e qualquer proposta para que esse mal seja combatido precisa ser urgentemente colocada em prática. É inadmissível e intolerável que uma pessoa seja ameaçada ou morta pela simples condição de ser mulher.


Passou da hora de dar um basta nessa situação e isso só vai acontecer por meio da educação. É preciso que mulheres e homens sejam conscientes com relação aos seus direitos e deveres. E para que isso ocorra é fundamental que existam projetos como o que o Consórcio Intermunicipal colocará em prática. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;