Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Perrella detona antecessores e condiciona permanência: 'Fico se a torcida quiser'



08/12/2019 | 19:55


Assim como nas últimas semanas, Zezé Perrella voltou neste domingo a dar entrevista à imprensa, desta vez com o Cruzeiro já rebaixado no Campeonato Brasileiro. Responsável pela gestão do futebol desde outubro, o dirigente fez inúmeras críticas aos seus antecessores após a derrota para o Palmeiras por 2 a 0, no estádio do Mineirão.

Perrella voltou a criticar a administração do presidente Wagner Pires de Sá. Citou que a ambição de ser campeão foi maior que a vontade de ver o Cruzeiro saneando as dívidas acumuladas. E que uma a hora a conta iria chegar, como chegou.

"Foram temerárias as coisas que foram feitas aqui. Em busca de ganhar um título, ser bicampeão brasileiro, ser isso, ser aquilo, e não pensaram nas consequências. Isso tem um preço. Uma hora essa conta chega. E a conta chegou", comentou o gestor.

O dirigente ainda expôs números para contextualizar a caótica situação administrativa e financeira que o clube vive. Zezé Perrella disse que o Cruzeiro tem R$ 700 milhões em dívidas. "O Wagner (Pires de Sá) que teria que ter entrado para sanear, sabendo que pegou um clube com mais de R$ 500 milhões de dívida, aumentou essa dívida para R$ 700 milhões. Tinha que ter se preocupado em pagar", esbravejou.

Em meio aos ataques aos dirigentes, Zezé Perrella pediu o apoio do torcedor neste momento, principalmente para colaborar visando o acesso na próxima temporada. O dirigente citou a campanha de sócios do Vasco e espera o mesmo dos cruzeirenses neste momento delicado, tanto dentro como fora das quatro linhas.

"Eu aceitei assumir o cargo, mas sabia das dificuldades que não enfrentaríamos. Infelizmente, o time caiu e agora temos que pensar em recomeçar. Seguir o caminho de clubes (Corinthians e Internacional) que foram rebaixados e depois foram campeões do mundo", lembrou.

Depois comentou sobre o seu futuro. "Eu pretendia livrar o time desta situação de rebaixamento e depois sair. Mas agora me coloco à disposição parar ajudar. Quem vai decidir isso é a torcida", completou.

Com a derrota para o Palmeiras, o Cruzeiro permaneceu na 17.ª posição, com 36 pontos conquistados. Foi rebaixado à Série B de 2020 ao lado de CSA, Chapecoense e Avaí.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Perrella detona antecessores e condiciona permanência: 'Fico se a torcida quiser'


08/12/2019 | 19:55


Assim como nas últimas semanas, Zezé Perrella voltou neste domingo a dar entrevista à imprensa, desta vez com o Cruzeiro já rebaixado no Campeonato Brasileiro. Responsável pela gestão do futebol desde outubro, o dirigente fez inúmeras críticas aos seus antecessores após a derrota para o Palmeiras por 2 a 0, no estádio do Mineirão.

Perrella voltou a criticar a administração do presidente Wagner Pires de Sá. Citou que a ambição de ser campeão foi maior que a vontade de ver o Cruzeiro saneando as dívidas acumuladas. E que uma a hora a conta iria chegar, como chegou.

"Foram temerárias as coisas que foram feitas aqui. Em busca de ganhar um título, ser bicampeão brasileiro, ser isso, ser aquilo, e não pensaram nas consequências. Isso tem um preço. Uma hora essa conta chega. E a conta chegou", comentou o gestor.

O dirigente ainda expôs números para contextualizar a caótica situação administrativa e financeira que o clube vive. Zezé Perrella disse que o Cruzeiro tem R$ 700 milhões em dívidas. "O Wagner (Pires de Sá) que teria que ter entrado para sanear, sabendo que pegou um clube com mais de R$ 500 milhões de dívida, aumentou essa dívida para R$ 700 milhões. Tinha que ter se preocupado em pagar", esbravejou.

Em meio aos ataques aos dirigentes, Zezé Perrella pediu o apoio do torcedor neste momento, principalmente para colaborar visando o acesso na próxima temporada. O dirigente citou a campanha de sócios do Vasco e espera o mesmo dos cruzeirenses neste momento delicado, tanto dentro como fora das quatro linhas.

"Eu aceitei assumir o cargo, mas sabia das dificuldades que não enfrentaríamos. Infelizmente, o time caiu e agora temos que pensar em recomeçar. Seguir o caminho de clubes (Corinthians e Internacional) que foram rebaixados e depois foram campeões do mundo", lembrou.

Depois comentou sobre o seu futuro. "Eu pretendia livrar o time desta situação de rebaixamento e depois sair. Mas agora me coloco à disposição parar ajudar. Quem vai decidir isso é a torcida", completou.

Com a derrota para o Palmeiras, o Cruzeiro permaneceu na 17.ª posição, com 36 pontos conquistados. Foi rebaixado à Série B de 2020 ao lado de CSA, Chapecoense e Avaí.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;