Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Auricchio apresenta projeto de melhorias para o bairro Fundação

Bia Moço/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Programa prevê ações de combate às enchentes, mobilidade urbana, revitalizações e a recuperação do complexo Matarazzo


Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

07/12/2019 | 13:40


O tradicional bairro Fundação, em São Caetano, estará de cara nova em até seis anos, após amplo processo de revitalização que inclui, dentre os quatro pilares da ação, estratégias para o combate às enchentes. Para os moradores, o anúncio do programa, denominado Re-Fundação, feito neste sábado (7) pelo prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), no CER Oscar Gasberlotto, é a realização de um sonho. Cerca de 600 pessoas acompanharam o evento.

 A ação pretende transformar o bairro que deu início à história da cidade e custará, em sua totalidade, R$ 150 milhões, provenientes do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento) e CAF (Corporação Andina de Fomento, banco de investimento da América Latina).

Entre as medidas estão ainda projetos de sustentabilidade e meio ambiente, operações urbanas para o desenvolvimento econômico – como a recuperação do complexo Matarazzo, avanços gerais, que incluem reforma e ampliação de escolas e unidades de saúde, assim como destinação para o Edifício Di Thiene, que será votada por meio de consulta pública eletrônica. Dentre as possibilidades estarão um novo campus da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), a transferência do Atende Fácil, prédios administrativos da Prefeitura ou a construção de uma escola de Ensino Fundamental com o conceito de escola parque. 

“Gostamos muito do que nos foi apresentado. Todas as ações são promessas de campanha, boa parte já cumpridas e outras que sairão do papel agora”, disse Vera Botteon, 70 anos. 

Presidente da associação Amigos do Bairro, Luiz Antonio de Carvalho, 69, diz que está confiante. “A expectativa é a melhor possível. É um sonho saindo do papel, que foi reivindicado há muito anos e agora, enfim, teremos o que pedimos”, disse orgulhoso.

O prefeito garantiu à população que encerrará seu mandato, em dezembro de 2020, com pilares do projeto entregues e o restante encaminhado para que não haja como, posteriormente, outros políticos deixarem de lado o programa. “Sem medo de errar, é o maior conjunto de intervenções urbanas da história da cidade em um único bairro. O plano diretor de reformulação está, tecnicamente, definido. Alguns em fase de projeto, outros já em execução, mas o fundamental que garantimos é que cada um deles já tem financiamento assegurado e, no que depender de mim, vai acontecer”, disse Auricchio.

AÇÕES

Para combater as cheias serão instalados dois piscinões na Avenida dos Estados, com capacidade de captação de até 165 mil m³. Um dos reservatórios ficará entre os dois clubes do bairro (Fundação e São Caetano Esporte Clube), em terreno público. O segundo será instalado próximo a supermercado, entretanto, por se tratar de área privada, o chefe do Executivo preferiu, ainda, não divulgar o local exato.

Além desta medida, quatro quilômetros de muro de contenção de enchentes serão instalados em toda a extensão da margem da Avenida dos Estados. O plano diretor de contenção das cheias prevê ainda a instalação de sete quilômetros de tubulações de macrodrenagem — galerias que captam água dos pontos mais altos e levam para o rio. Além disto, o projeto conta ainda com a reforma e ampliação de todas as vias, instalação de galerias fluviais para aumentar a drenagem e vazão das águas pluviais, alteamento viário e elevação da Avenida dos Estados para diminuir o desnível que há entre a cidade de São Caetano com a Capital.

As obras para combate às enchentes devem ter início em até um ano, já que dependem de licitações de padrão internacional. Intervenções nos âmbitos de sustentabilidade e meio ambiente terão início já no mês de janeiro. As licitações estarão divulgadas nesta semana. As revitalizações previstas no programa, no entanto, já estão em curso e serão finalizadas até o fim de 2020.

MATARAZZO

Segundo o prefeito, do projeto total, o mais complexo de ser feito é a revitalização do espaço Matarazzo, que trata-se de uma operação urbana específica, de gestação pública, prevista no estatuto das cidades. Os 300 mil m² serão completamente recuperados e, este sim, Auricchio aposta em seis anos para finalização.

Há duas semanas, a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) autorizou a prefeitura a construir, no lugar de área que pertence ao município, um parque para o lazer da população. A licitação saíra às ruas nesta semana. A previsão é de que o início das obras seja entre fevereiro e março e, em até 180 dias, o espaço esteja aberto à população.

Já as demais áreas, segundo o prefeito, demandam da parceria com a iniciativa privada. Entretanto, adiantou que a ideia é utilizar o espaço, que está contaminado, para construção de empreendimentos e retomar o poder econômico do local.

“Tratar uma área que já trouxe tanta riqueza para a cidade com menosprezo, é até uma falta de respeito. Temos de ter seriedade e, sobretudo, criatividade”, disse o prefeito.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Auricchio apresenta projeto de melhorias para o bairro Fundação

Programa prevê ações de combate às enchentes, mobilidade urbana, revitalizações e a recuperação do complexo Matarazzo

Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

07/12/2019 | 13:40


O tradicional bairro Fundação, em São Caetano, estará de cara nova em até seis anos, após amplo processo de revitalização que inclui, dentre os quatro pilares da ação, estratégias para o combate às enchentes. Para os moradores, o anúncio do programa, denominado Re-Fundação, feito neste sábado (7) pelo prefeito José Auricchio Júnior (PSDB), no CER Oscar Gasberlotto, é a realização de um sonho. Cerca de 600 pessoas acompanharam o evento.

 A ação pretende transformar o bairro que deu início à história da cidade e custará, em sua totalidade, R$ 150 milhões, provenientes do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento) e CAF (Corporação Andina de Fomento, banco de investimento da América Latina).

Entre as medidas estão ainda projetos de sustentabilidade e meio ambiente, operações urbanas para o desenvolvimento econômico – como a recuperação do complexo Matarazzo, avanços gerais, que incluem reforma e ampliação de escolas e unidades de saúde, assim como destinação para o Edifício Di Thiene, que será votada por meio de consulta pública eletrônica. Dentre as possibilidades estarão um novo campus da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), a transferência do Atende Fácil, prédios administrativos da Prefeitura ou a construção de uma escola de Ensino Fundamental com o conceito de escola parque. 

“Gostamos muito do que nos foi apresentado. Todas as ações são promessas de campanha, boa parte já cumpridas e outras que sairão do papel agora”, disse Vera Botteon, 70 anos. 

Presidente da associação Amigos do Bairro, Luiz Antonio de Carvalho, 69, diz que está confiante. “A expectativa é a melhor possível. É um sonho saindo do papel, que foi reivindicado há muito anos e agora, enfim, teremos o que pedimos”, disse orgulhoso.

O prefeito garantiu à população que encerrará seu mandato, em dezembro de 2020, com pilares do projeto entregues e o restante encaminhado para que não haja como, posteriormente, outros políticos deixarem de lado o programa. “Sem medo de errar, é o maior conjunto de intervenções urbanas da história da cidade em um único bairro. O plano diretor de reformulação está, tecnicamente, definido. Alguns em fase de projeto, outros já em execução, mas o fundamental que garantimos é que cada um deles já tem financiamento assegurado e, no que depender de mim, vai acontecer”, disse Auricchio.

AÇÕES

Para combater as cheias serão instalados dois piscinões na Avenida dos Estados, com capacidade de captação de até 165 mil m³. Um dos reservatórios ficará entre os dois clubes do bairro (Fundação e São Caetano Esporte Clube), em terreno público. O segundo será instalado próximo a supermercado, entretanto, por se tratar de área privada, o chefe do Executivo preferiu, ainda, não divulgar o local exato.

Além desta medida, quatro quilômetros de muro de contenção de enchentes serão instalados em toda a extensão da margem da Avenida dos Estados. O plano diretor de contenção das cheias prevê ainda a instalação de sete quilômetros de tubulações de macrodrenagem — galerias que captam água dos pontos mais altos e levam para o rio. Além disto, o projeto conta ainda com a reforma e ampliação de todas as vias, instalação de galerias fluviais para aumentar a drenagem e vazão das águas pluviais, alteamento viário e elevação da Avenida dos Estados para diminuir o desnível que há entre a cidade de São Caetano com a Capital.

As obras para combate às enchentes devem ter início em até um ano, já que dependem de licitações de padrão internacional. Intervenções nos âmbitos de sustentabilidade e meio ambiente terão início já no mês de janeiro. As licitações estarão divulgadas nesta semana. As revitalizações previstas no programa, no entanto, já estão em curso e serão finalizadas até o fim de 2020.

MATARAZZO

Segundo o prefeito, do projeto total, o mais complexo de ser feito é a revitalização do espaço Matarazzo, que trata-se de uma operação urbana específica, de gestação pública, prevista no estatuto das cidades. Os 300 mil m² serão completamente recuperados e, este sim, Auricchio aposta em seis anos para finalização.

Há duas semanas, a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) autorizou a prefeitura a construir, no lugar de área que pertence ao município, um parque para o lazer da população. A licitação saíra às ruas nesta semana. A previsão é de que o início das obras seja entre fevereiro e março e, em até 180 dias, o espaço esteja aberto à população.

Já as demais áreas, segundo o prefeito, demandam da parceria com a iniciativa privada. Entretanto, adiantou que a ideia é utilizar o espaço, que está contaminado, para construção de empreendimentos e retomar o poder econômico do local.

“Tratar uma área que já trouxe tanta riqueza para a cidade com menosprezo, é até uma falta de respeito. Temos de ter seriedade e, sobretudo, criatividade”, disse o prefeito.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;