Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Ian Somerhalder fala da nova série de vampiros

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


06/12/2019 | 07:20


Ian Somerhalder está de volta às telas. O ator, conhecido pelos trabalhos em Lost, Smallville e por viver o vampiro Damon Salvatore, durante as oito temporada de The Vampire Diaries, retorna aos trabalhos como o Dr. Luther Swann em Apocalipse V (V-Wars), nova aposta da Netflix. Com 10 episódios, a série acaba de chegar ao catálogo da empresa de streaming e promete cativar os fãs do gênero. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o ator americano garante que a nova produção é diferente de tudo o que já fez até hoje.

"É muito diferente de Vampire Diaries, trazendo uma visão moderna desse gênero, que é fascinante, e podemos trabalhar de várias maneiras com ele. A diferença é que não existe nada de sobrenatural nesses vampiros de V Wars", disse Ian.

Baseada no best-seller homônimo de Jonathan Maberry, a história de Apocalipse V gira em torno de um surto genético mutante, que leva à primeira guerra entre vampiros e humanos. O desenrolar da trama traz temas do cotidiano das sociedades de forma geral. "Eu amo o quão relevante Apocalipse V é por discutir temas com que estamos lidando agora no nosso mundo, como mudanças climáticas, fronteiras, racismo, doenças e o medo", contou o ator, que é também um defensor dos direitos humanos.

Na série, o Dr. Luther Swann (Ian) busca a cura para uma doença misteriosa, responsável por transformar os humanos em vampiros. Ele entra em cena ao saber que o melhor amigo, Michael Fayne, interpretado pelo ator Adrian Holmes, se transformou em um vampiro que se alimenta de outros seres humanos.

À medida que a doença se espalha e mais pessoas são contaminadas, a sociedade se fragmenta em campos opostos, colocando pessoas normais, que escaparam do surto, contra o crescente número de sanguíneos, como são chamados os vampiros na série.

O doutor Swann corre contra o tempo para entender o que está acontecendo, enquanto o melhor amigo se torna o poderoso líder subterrâneo da sociedade vampiresca, que ameaça toda a sociedade.

"Essa é uma série que fala sobre o mundo. Começa nos Estados Unidos, mas rapidamente se torna global", disse Ian. A ideia é mostrar vampiros de vários lugares do mundo. Sobre a possibilidade de haver um vampiro brasileiro, James Gibb, produtor executivo da série, conta como poderia ser esse personagem: "Eles podem ser sexy, super-rápidos, muito agressivos".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ian Somerhalder fala da nova série de vampiros


06/12/2019 | 07:20


Ian Somerhalder está de volta às telas. O ator, conhecido pelos trabalhos em Lost, Smallville e por viver o vampiro Damon Salvatore, durante as oito temporada de The Vampire Diaries, retorna aos trabalhos como o Dr. Luther Swann em Apocalipse V (V-Wars), nova aposta da Netflix. Com 10 episódios, a série acaba de chegar ao catálogo da empresa de streaming e promete cativar os fãs do gênero. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o ator americano garante que a nova produção é diferente de tudo o que já fez até hoje.

"É muito diferente de Vampire Diaries, trazendo uma visão moderna desse gênero, que é fascinante, e podemos trabalhar de várias maneiras com ele. A diferença é que não existe nada de sobrenatural nesses vampiros de V Wars", disse Ian.

Baseada no best-seller homônimo de Jonathan Maberry, a história de Apocalipse V gira em torno de um surto genético mutante, que leva à primeira guerra entre vampiros e humanos. O desenrolar da trama traz temas do cotidiano das sociedades de forma geral. "Eu amo o quão relevante Apocalipse V é por discutir temas com que estamos lidando agora no nosso mundo, como mudanças climáticas, fronteiras, racismo, doenças e o medo", contou o ator, que é também um defensor dos direitos humanos.

Na série, o Dr. Luther Swann (Ian) busca a cura para uma doença misteriosa, responsável por transformar os humanos em vampiros. Ele entra em cena ao saber que o melhor amigo, Michael Fayne, interpretado pelo ator Adrian Holmes, se transformou em um vampiro que se alimenta de outros seres humanos.

À medida que a doença se espalha e mais pessoas são contaminadas, a sociedade se fragmenta em campos opostos, colocando pessoas normais, que escaparam do surto, contra o crescente número de sanguíneos, como são chamados os vampiros na série.

O doutor Swann corre contra o tempo para entender o que está acontecendo, enquanto o melhor amigo se torna o poderoso líder subterrâneo da sociedade vampiresca, que ameaça toda a sociedade.

"Essa é uma série que fala sobre o mundo. Começa nos Estados Unidos, mas rapidamente se torna global", disse Ian. A ideia é mostrar vampiros de vários lugares do mundo. Sobre a possibilidade de haver um vampiro brasileiro, James Gibb, produtor executivo da série, conta como poderia ser esse personagem: "Eles podem ser sexy, super-rápidos, muito agressivos".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;