Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Linguagens artísticas unidas

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sinfônica andreense e grupo de balé Quartier Latin apresentam a obra ‘O Quebra-Nozes’


Vinícius Castelli
Diário do Grande ABC

06/12/2019 | 07:00


Balé e música clássica sempre andaram de mãos dadas. E agora, esse casamento vai acontecer, ao vivo, em Santo André. Isso graças a parceria da Ossa (Orquestra Sinfônica de Santo André) com o grupo andreense Quartier Latin. Juntos eles apresentam no sábado, às 20h, e domingo, a partir das 19h, no Teatro Municipal Flavio Florence (Praça IV Centenário), uma das obras mais importantes da história da dança, O Quebra-Nozes. A entrada é gratuita e os ingressos devem ser retirados na bilheteria do teatro duas horas antes do início do espetáculo.

Sob a batuta do maestro Abel Rocha, a orquestra do município apresenta repertório assinado pelo russo Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893). E para contar a história, sobem ao palco 60 bailarinos, entre profissionais e alunos.

O Quebra-Nozes, cuja estreia aconteceu no dia 18 de dezembro de 1892, em São Petersburgo, na Rússia, conta de Clara e Fritz, filhos do casal Stahlbaum. Na noite de Natal, a garota ganha um boneco quebra-nozes – um soldadinho de chumbo. Quando todos vão para a cama, ela pega no sono ao lado da árvore natalina e embarca em um sonho cheio de aventuras em que o presente se torna o salvador da situação.

Marisa Ballarini, responsável pelo Quartier Latin, adianta que não se trata de exibição de trechos da obra escolhida, mas sim da peça inteira. O Quebra-Nozes, aliás, é conhecido do repertório do conjunto. Ela conta que embarcar em um projeto desses é “muito mais enriquecedor, completo e gratificante do que desafiador.”

Ela celebra a oportunidade de apresentar sua escola junto da Sinfônica andreense. “A junção de música e dança ao vivo torna rica qualquer produção. É importante para todos e quem mais usufrui é o público”, afirma.

O maestro Abel Rocha lembra que a orquestra vem desenvolvendo esse tipo de parceria, com diversas formações artísticas, ao longo dos anos. Ele diz que o Sinfônica já trabalhou com a Cia Ópera de São Paulo, quando executaram a ópera Madama Buterfly, fez ainda espetáculo com o grupo circense Parlapatões, além de concerto com a soprano italiana Maria Pia Piscitell.

Para o regente, esse tipo de ação, com diferentes linguagens artísticas se conversando, é uma maneira de apresentar ao público “programação diversificada, de altíssima qualidade. O Quebra-Nozes é um espetáculo ao vivo, ímpar e completo para a cidade”, afirma. <EM>

A companhia de dança também se apresenta no mesmo espaço, mas sem a participação da Sinfônica andrreense, hoje, às 20h30; sábado, às 16h; e domingo, a partir das 17h. Os ingressos custam R$ 25 e podem ser adquiridos no local.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Linguagens artísticas unidas

Sinfônica andreense e grupo de balé Quartier Latin apresentam a obra ‘O Quebra-Nozes’

Vinícius Castelli
Diário do Grande ABC

06/12/2019 | 07:00


Balé e música clássica sempre andaram de mãos dadas. E agora, esse casamento vai acontecer, ao vivo, em Santo André. Isso graças a parceria da Ossa (Orquestra Sinfônica de Santo André) com o grupo andreense Quartier Latin. Juntos eles apresentam no sábado, às 20h, e domingo, a partir das 19h, no Teatro Municipal Flavio Florence (Praça IV Centenário), uma das obras mais importantes da história da dança, O Quebra-Nozes. A entrada é gratuita e os ingressos devem ser retirados na bilheteria do teatro duas horas antes do início do espetáculo.

Sob a batuta do maestro Abel Rocha, a orquestra do município apresenta repertório assinado pelo russo Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893). E para contar a história, sobem ao palco 60 bailarinos, entre profissionais e alunos.

O Quebra-Nozes, cuja estreia aconteceu no dia 18 de dezembro de 1892, em São Petersburgo, na Rússia, conta de Clara e Fritz, filhos do casal Stahlbaum. Na noite de Natal, a garota ganha um boneco quebra-nozes – um soldadinho de chumbo. Quando todos vão para a cama, ela pega no sono ao lado da árvore natalina e embarca em um sonho cheio de aventuras em que o presente se torna o salvador da situação.

Marisa Ballarini, responsável pelo Quartier Latin, adianta que não se trata de exibição de trechos da obra escolhida, mas sim da peça inteira. O Quebra-Nozes, aliás, é conhecido do repertório do conjunto. Ela conta que embarcar em um projeto desses é “muito mais enriquecedor, completo e gratificante do que desafiador.”

Ela celebra a oportunidade de apresentar sua escola junto da Sinfônica andreense. “A junção de música e dança ao vivo torna rica qualquer produção. É importante para todos e quem mais usufrui é o público”, afirma.

O maestro Abel Rocha lembra que a orquestra vem desenvolvendo esse tipo de parceria, com diversas formações artísticas, ao longo dos anos. Ele diz que o Sinfônica já trabalhou com a Cia Ópera de São Paulo, quando executaram a ópera Madama Buterfly, fez ainda espetáculo com o grupo circense Parlapatões, além de concerto com a soprano italiana Maria Pia Piscitell.

Para o regente, esse tipo de ação, com diferentes linguagens artísticas se conversando, é uma maneira de apresentar ao público “programação diversificada, de altíssima qualidade. O Quebra-Nozes é um espetáculo ao vivo, ímpar e completo para a cidade”, afirma. <EM>

A companhia de dança também se apresenta no mesmo espaço, mas sem a participação da Sinfônica andrreense, hoje, às 20h30; sábado, às 16h; e domingo, a partir das 17h. Os ingressos custam R$ 25 e podem ser adquiridos no local.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;