Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Alcolumbre insiste em segurar segunda instância e esperar Câmara



04/12/2019 | 20:25


O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, insiste em segurar a tramitação do projeto que autoriza a prisão após condenação em segunda instância para esperar a Câmara votar uma proposta sobre o tema.

Mais cedo, a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), anunciou que colocaria o projeto para a próxima sessão do colegiado. Alcolumbre, por sua vez, anunciou sessões do Congresso Nacional ao longo da próxima semana, colocando em risco o funcionamento da comissão.

Em entrevista, o presidente do Senado argumentou que continua defendendo um acordo com a Câmara para a construção de um texto em consenso com os deputados. A negociação foi feita em reunião na semana passada. "Eu vou tentar ouvir os senadores para ver qual é o procedimento. Na minha cabeça, tem um procedimento estabelecido", disse Alcolumbre.

No Senado, apenas dois líderes partidários foram contra o acordo de Alcolumbre com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ): PSL e Podemos. Os senadores favoráveis à proposta, no entanto, afirmam que a maioria da Casa quer votar a proposta, na contramão do que pensam os líderes das bancadas. O impasse gerou uma revolta de liderados, que se estendeu para aliados de Alcolumbre.

Perguntado sobre o apelo dos liderados, Alcolumbre reagiu. "Os liderados substituem os seus líderes para o ano que vem, que esse ano não dá mais", respondeu.

Simone Tebet, por sua vez, manteve a posição de votar a proposta, mesmo se a realização de sessões do Congresso atrapalhar. "De qualquer forma, eu estou pautando na CCJ. Está tudo certo", declarou, acrescentando que a sessão da CCJ vai acontecer "em um horário ou em outro".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alcolumbre insiste em segurar segunda instância e esperar Câmara


04/12/2019 | 20:25


O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, insiste em segurar a tramitação do projeto que autoriza a prisão após condenação em segunda instância para esperar a Câmara votar uma proposta sobre o tema.

Mais cedo, a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), anunciou que colocaria o projeto para a próxima sessão do colegiado. Alcolumbre, por sua vez, anunciou sessões do Congresso Nacional ao longo da próxima semana, colocando em risco o funcionamento da comissão.

Em entrevista, o presidente do Senado argumentou que continua defendendo um acordo com a Câmara para a construção de um texto em consenso com os deputados. A negociação foi feita em reunião na semana passada. "Eu vou tentar ouvir os senadores para ver qual é o procedimento. Na minha cabeça, tem um procedimento estabelecido", disse Alcolumbre.

No Senado, apenas dois líderes partidários foram contra o acordo de Alcolumbre com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ): PSL e Podemos. Os senadores favoráveis à proposta, no entanto, afirmam que a maioria da Casa quer votar a proposta, na contramão do que pensam os líderes das bancadas. O impasse gerou uma revolta de liderados, que se estendeu para aliados de Alcolumbre.

Perguntado sobre o apelo dos liderados, Alcolumbre reagiu. "Os liderados substituem os seus líderes para o ano que vem, que esse ano não dá mais", respondeu.

Simone Tebet, por sua vez, manteve a posição de votar a proposta, mesmo se a realização de sessões do Congresso atrapalhar. "De qualquer forma, eu estou pautando na CCJ. Está tudo certo", declarou, acrescentando que a sessão da CCJ vai acontecer "em um horário ou em outro".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;