Fechar
Publicidade

Sábado, 14 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

AEB: Acordo comercial agrícola entre China e EUA seria muito ruim para Brasil



21/11/2019 | 19:13


Um acordo comercial que obrigue a China a adquirir produtos agrícolas dos Estados Unidos pode ser muito ruim para o Brasil, avalia o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro.

A discussão acontece no âmbito das negociações da guerra comercial entre os dois países e prevê um compromisso de compras de US$ 30 bilhões a US$ 50 bilhões de fornecedores do agronegócio norte-americano.

Castro acredita que a China deve resistir ao máximo a um acordo que "a coloca numa camisa de força". Por outro lado, o governo Donald Trump é pressionado pelos agricultores - uma parcela importante entre os eleitores do atual titular da Casa Branca -, que já reclamam subsídios como alternativa a um fracasso do acordo.

A negociação com os chineses é uma tentativa dos americanos de reduzir os impactos do acordo entre Mercosul e União Europeia, que isola o país ao dar prioridade aos produtos brasileiros. Os Estados Unidos e o Brasil são os grandes fornecedores mundiais de commodities agrícolas. A China é o principal destino dos cerca de US$ 100 bilhões exportados anualmente pelo agronegócio nacional.

"Se por acaso a China for obrigada a comprar dos Estados Unidos, aí o Brasil vai ficar com o resto. Os Estados Unidos vão colocar preços mais elevados. Claro que a China não quer um acordo que a coloca em uma camisa de força", disse Castro, durante o Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), no Rio.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

AEB: Acordo comercial agrícola entre China e EUA seria muito ruim para Brasil


21/11/2019 | 19:13


Um acordo comercial que obrigue a China a adquirir produtos agrícolas dos Estados Unidos pode ser muito ruim para o Brasil, avalia o presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro.

A discussão acontece no âmbito das negociações da guerra comercial entre os dois países e prevê um compromisso de compras de US$ 30 bilhões a US$ 50 bilhões de fornecedores do agronegócio norte-americano.

Castro acredita que a China deve resistir ao máximo a um acordo que "a coloca numa camisa de força". Por outro lado, o governo Donald Trump é pressionado pelos agricultores - uma parcela importante entre os eleitores do atual titular da Casa Branca -, que já reclamam subsídios como alternativa a um fracasso do acordo.

A negociação com os chineses é uma tentativa dos americanos de reduzir os impactos do acordo entre Mercosul e União Europeia, que isola o país ao dar prioridade aos produtos brasileiros. Os Estados Unidos e o Brasil são os grandes fornecedores mundiais de commodities agrícolas. A China é o principal destino dos cerca de US$ 100 bilhões exportados anualmente pelo agronegócio nacional.

"Se por acaso a China for obrigada a comprar dos Estados Unidos, aí o Brasil vai ficar com o resto. Os Estados Unidos vão colocar preços mais elevados. Claro que a China não quer um acordo que a coloca em uma camisa de força", disse Castro, durante o Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), no Rio.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;