Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Após oscilar, dólar sobe ante real com impasse entre EUA-China e peso chileno

Marcello Casal JR/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


21/11/2019 | 10:17


O dólar futuro de dezembro opera em alta leve na manhã desta quinta-feira, 21, se ajustando à valorização da moeda americana ontem no exterior, quando foi feriado em São Paulo e a B3 ficou fechada. Já o dólar no mercado à vista passou a subir, após oscilar nos primeiros negócios. Na quarta-feira, a moeda no mercado spot foi negociada em outras praças do País e fechou com leve alta, em R$ 4,2037, acompanhando o sinal externo da divisa americana ante moedas principais e emergentes.

A calibrando no mercado cambial nesta manhã leva em conta ainda o dólar fraco no exterior hoje, em meio a informações contraditórias sobre a possibilidade de um acordo entre Estados Unidos e China ainda este ano. Também é monitorado o avanço do dólar ante o peso chileno nesta manhã, na contramão da queda predominante da divisa dos EUA ante outras emergentes.

Os agentes de câmbio digerem ainda a fala de ontem do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Ele disse que o importante para a instituição é "como o câmbio alimenta o canal de inflação".

Ressaltou que "é importante ver se este movimento de câmbio está fazendo com que a expectativa de inflação à frente esteja sendo elevada, porque isso acaba contaminando a curva de expectativa de inflação". Campos Neto acrescentou que, caso isso esteja ocorrendo, o BC agirá por meio da política monetária, e não do câmbio.

Às 9h43, o dólar à vista voltava a exibir viés de alta, a R$ 4,2055 (+0,04%), após ter registrado mínima em R$ 4,1955 (-0,20%) e máxima, em R$ 4,2165 (+0,30%). No mercado futuro, o dólar para dezembro subia 0,24%, a R$ 4,2070, após já ter oscilado de R$ 4,1980 (+0,02%) a R$ 4,2195 (+0,54%).

Em relação a outras moedas emergentes ligadas a commodities, o dólar destoava e subia 0,83% ante o peso chileno, cotado a 797,66 pesos chilenos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Após oscilar, dólar sobe ante real com impasse entre EUA-China e peso chileno


21/11/2019 | 10:17


O dólar futuro de dezembro opera em alta leve na manhã desta quinta-feira, 21, se ajustando à valorização da moeda americana ontem no exterior, quando foi feriado em São Paulo e a B3 ficou fechada. Já o dólar no mercado à vista passou a subir, após oscilar nos primeiros negócios. Na quarta-feira, a moeda no mercado spot foi negociada em outras praças do País e fechou com leve alta, em R$ 4,2037, acompanhando o sinal externo da divisa americana ante moedas principais e emergentes.

A calibrando no mercado cambial nesta manhã leva em conta ainda o dólar fraco no exterior hoje, em meio a informações contraditórias sobre a possibilidade de um acordo entre Estados Unidos e China ainda este ano. Também é monitorado o avanço do dólar ante o peso chileno nesta manhã, na contramão da queda predominante da divisa dos EUA ante outras emergentes.

Os agentes de câmbio digerem ainda a fala de ontem do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Ele disse que o importante para a instituição é "como o câmbio alimenta o canal de inflação".

Ressaltou que "é importante ver se este movimento de câmbio está fazendo com que a expectativa de inflação à frente esteja sendo elevada, porque isso acaba contaminando a curva de expectativa de inflação". Campos Neto acrescentou que, caso isso esteja ocorrendo, o BC agirá por meio da política monetária, e não do câmbio.

Às 9h43, o dólar à vista voltava a exibir viés de alta, a R$ 4,2055 (+0,04%), após ter registrado mínima em R$ 4,1955 (-0,20%) e máxima, em R$ 4,2165 (+0,30%). No mercado futuro, o dólar para dezembro subia 0,24%, a R$ 4,2070, após já ter oscilado de R$ 4,1980 (+0,02%) a R$ 4,2195 (+0,54%).

Em relação a outras moedas emergentes ligadas a commodities, o dólar destoava e subia 0,83% ante o peso chileno, cotado a 797,66 pesos chilenos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;