Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Deputado propõe homenagem a Pinochet na Alesp



20/11/2019 | 19:08


O deputado estadual Frederico d'Avila (PSL-SP) solicitou um ato solene em memória do ditador Augusto Pinochet, que governou o Chile entre 1973 e 1990.

A homenagem foi marcada na agenda oficial da Alesp para ocorrer às 18h do dia 10 de dezembro. Para d'Avila, o ditador chileno "conduziu seu governo de forma brilhante, impedindo que o cenário ditatorial e violador de direitos humanos cubano e soviético da época se instalasse no seio da sociedade chilena".

Para o deputado, "a visão comunista" não consegue entender "o bem que ele fez aquele país e à América Latina". A ditadura militar chilena, uma das mais sanguinárias do continente, levou 200 mil pessoas ao exílio, torturou milhares e deixou mais de três mil mortos, fora os desaparecidos.

"Acabou a era de exaltar terroristas como se heróis fosse", escreve o parlamentar, para quem Pinochet "transformou o Chile na economia mais pujante da América Latina".

Pinochet morreu em 2006, aos 91 anos.

Deputado do PSL propõe homenagem a Pinochet na Alesp



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Deputado propõe homenagem a Pinochet na Alesp


20/11/2019 | 19:08


O deputado estadual Frederico d'Avila (PSL-SP) solicitou um ato solene em memória do ditador Augusto Pinochet, que governou o Chile entre 1973 e 1990.

A homenagem foi marcada na agenda oficial da Alesp para ocorrer às 18h do dia 10 de dezembro. Para d'Avila, o ditador chileno "conduziu seu governo de forma brilhante, impedindo que o cenário ditatorial e violador de direitos humanos cubano e soviético da época se instalasse no seio da sociedade chilena".

Para o deputado, "a visão comunista" não consegue entender "o bem que ele fez aquele país e à América Latina". A ditadura militar chilena, uma das mais sanguinárias do continente, levou 200 mil pessoas ao exílio, torturou milhares e deixou mais de três mil mortos, fora os desaparecidos.

"Acabou a era de exaltar terroristas como se heróis fosse", escreve o parlamentar, para quem Pinochet "transformou o Chile na economia mais pujante da América Latina".

Pinochet morreu em 2006, aos 91 anos.

Deputado do PSL propõe homenagem a Pinochet na Alesp

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;