Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas da Europa fecham na maioria em baixa, por cautela com comércio global



20/11/2019 | 14:38


As bolsas da Europa fecharam na maioria em território negativo nesta quarta-feira, influenciadas por uma novidade vista como ruim para o andamento das negociações comerciais entre Estados Unidos e China. Além disso, a política do Reino Unido continuou no radar, com investidores também à espera da ata da mais recente reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), que seria divulgada apenas após o fechamento local.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,42%, em 403,82 pontos.

Na terça-feira, o Senado americano aprovou por unanimidade um projeto de lei em apoio a manifestantes em Hong Kong. O Ministério das Relações Exteriores chinês criticou nesta quarta a medida, deixando analistas e investidores mais temerosos sobre eventuais problemas para o diálogo comercial por causa disso. O Stifel, por exemplo, destaca em relatório as críticas imediatas de Pequim e as preocupações que isso gera sobre o acordo comercial.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em baixa de 0,84%, a 7.262,49 pontos. A varejista britânica Kingfisher teve o pior desempenho nesse índice, com queda de 7,1% após desempenho pior que o esperado no terceiro trimestre. Já o destaque positivo foi Scottish Mortgage Investment Trust, em alta de 1,7%. Na política britânica, há cautela sobre a eleição de 12 de dezembro, após uma pesquisa sugerir divisão sobre quem ganhou o primeiro debate televisivo entre o premiê Boris Johnson e o líder do oposicionista Partido Trabalhista, Jerome Corbyn. Em relatório, o Commerzbank comenta que o quadro macroeconômico para o Reino Unido antes da eleição é menos favorável do que em 2017, em parte pelas incertezas no processo de saída do país da União Europeia (Brexit).

Em Frankfurt, o índice DAX caiu 0,48%, a 13.158,14 pontos. Entre as ações mais negociadas, Steinhoff recuou 4,50% e Commerzbank cedeu 0,97%, mas Deutsche Bank subiu 0,17%.

O índice CAC-40, da bolsa de Paris, teve baixa de 0,25%, a 5.894,03 pontos.

Na bolsa de Milão, o índice FTSE-MIB foi na contramão dos demais e avançou 0,10%, a 23.351,78 pontos. Telecom Italia se destacou, em alta de 2,41%, mas Banco BPM caiu 0,94%.

Em Madri, o índice IBEX-35 recuou 0,37%, a 9.225,40 pontos. O banco espanhol Santander caiu 0,44%, mas Banco de Sabadell teve ganho de 0,95%. Na bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 teve queda de 0,77%, a 5.219,58 pontos. / Com informações da Dow Jones Newswires



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas da Europa fecham na maioria em baixa, por cautela com comércio global


20/11/2019 | 14:38


As bolsas da Europa fecharam na maioria em território negativo nesta quarta-feira, influenciadas por uma novidade vista como ruim para o andamento das negociações comerciais entre Estados Unidos e China. Além disso, a política do Reino Unido continuou no radar, com investidores também à espera da ata da mais recente reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), que seria divulgada apenas após o fechamento local.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,42%, em 403,82 pontos.

Na terça-feira, o Senado americano aprovou por unanimidade um projeto de lei em apoio a manifestantes em Hong Kong. O Ministério das Relações Exteriores chinês criticou nesta quarta a medida, deixando analistas e investidores mais temerosos sobre eventuais problemas para o diálogo comercial por causa disso. O Stifel, por exemplo, destaca em relatório as críticas imediatas de Pequim e as preocupações que isso gera sobre o acordo comercial.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em baixa de 0,84%, a 7.262,49 pontos. A varejista britânica Kingfisher teve o pior desempenho nesse índice, com queda de 7,1% após desempenho pior que o esperado no terceiro trimestre. Já o destaque positivo foi Scottish Mortgage Investment Trust, em alta de 1,7%. Na política britânica, há cautela sobre a eleição de 12 de dezembro, após uma pesquisa sugerir divisão sobre quem ganhou o primeiro debate televisivo entre o premiê Boris Johnson e o líder do oposicionista Partido Trabalhista, Jerome Corbyn. Em relatório, o Commerzbank comenta que o quadro macroeconômico para o Reino Unido antes da eleição é menos favorável do que em 2017, em parte pelas incertezas no processo de saída do país da União Europeia (Brexit).

Em Frankfurt, o índice DAX caiu 0,48%, a 13.158,14 pontos. Entre as ações mais negociadas, Steinhoff recuou 4,50% e Commerzbank cedeu 0,97%, mas Deutsche Bank subiu 0,17%.

O índice CAC-40, da bolsa de Paris, teve baixa de 0,25%, a 5.894,03 pontos.

Na bolsa de Milão, o índice FTSE-MIB foi na contramão dos demais e avançou 0,10%, a 23.351,78 pontos. Telecom Italia se destacou, em alta de 2,41%, mas Banco BPM caiu 0,94%.

Em Madri, o índice IBEX-35 recuou 0,37%, a 9.225,40 pontos. O banco espanhol Santander caiu 0,44%, mas Banco de Sabadell teve ganho de 0,95%. Na bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 teve queda de 0,77%, a 5.219,58 pontos. / Com informações da Dow Jones Newswires

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;