Fechar
Publicidade

Sábado, 14 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Ambiente externo tranquilo beneficia Ibovespa, mas dólar e feriado ficam no radar

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


19/11/2019 | 11:20


A alta das bolsas internacionais estimula nesta terça-feira 919), ganho moderado ao Ibovespa, que fechou a segunda-feira (18), em queda de 0,27%, aos 106.269,25 pontos. Analistas chamam a atenção ainda para o movimento do câmbio, que ontem registrou o maior valor nominal, sem levar em conta a inflação, da história do Plano Real. A moeda atingiu R$ 4,2055 e teve alta de 0,29%.

Às 11h05, o Ibovespa subia 0,26%, aos 106.545,84 pontos, reduzindo a alta, após marcar máxima aos 106.949,81 pontos. O dólar à vista cedia 0,05%, a R$ 4,2032.

Neste sentido, os investidores estão atentos às palavras do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, cuja sessão começou há pouco na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. Por enquanto, ele fala apenas para três senadores presentes.

No mercado, o investidor quer ver se Campos Neto dará algum sinal sobre política monetária e cambial. Um operador de câmbio ressalta que o mercado quer saber se haverá alguma atuação direta de venda no mercado à vista, após o dólar à vista chegar perto de R$ 4,22 mais cedo.

Fontes afirmaram ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) que questões técnicas pesaram para que fossem cancelados os leilões cambiais de hoje. Uma das dificuldades está ligada à ptax que serviria de referência para o leilão de swap reverso.

Para o economista-chefe da ModalMais, Álvaro Bandeira, o Ibovespa pode tentar um recuperação hoje, já que lá fora as bolsas estão em alta. No entanto, diante da falta de notícias internas, impasse em relação às conversas comerciais entre Estados Unidos e China, incertezas na América Latina e o feriado de amanhã, a Bolsa pode ter um desempenho moderado.

"Pode retomar os ganhos. Precisa avançar com rapidez e atingir o nível dos 107.700 pontos, o que seria importante graficamente, pois mostra uma consistência maior", diz, completando que, apesar da expectativa de alguma realização no dólar, isso não tende a atrapalhar uma elevação do Ibovespa hoje. "Mas o feriado desta quarta pode atrapalhar um pouco", acrescenta. Amanhã, dia da Consciência Negra, a B3 ficará fechada e haverá negócios com câmbio em poucas praças.

O recuo do petróleo no exterior esta manhã também inibe ganhos fortes na Bolsa brasileira. Além disso, apesar da notícia de aumento nos preços dos combustíveis pela Petrobras, um operador avalia que isso não deve beneficiar as ações consideravelmente. "Os preços ainda estão defasados em relação ao exterior", diz.

A Petrobras anunciou alta de 2,77% (ou R$ 0,05) no preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias. Com a mudança, o valor foi para R$ 1,855 o litro. A estatal elevou ainda em 1,18% (ou R$ 0,026) o preço médio do litro da diesel nas refinarias, que passou para R$ 2,229 o litro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ambiente externo tranquilo beneficia Ibovespa, mas dólar e feriado ficam no radar


19/11/2019 | 11:20


A alta das bolsas internacionais estimula nesta terça-feira 919), ganho moderado ao Ibovespa, que fechou a segunda-feira (18), em queda de 0,27%, aos 106.269,25 pontos. Analistas chamam a atenção ainda para o movimento do câmbio, que ontem registrou o maior valor nominal, sem levar em conta a inflação, da história do Plano Real. A moeda atingiu R$ 4,2055 e teve alta de 0,29%.

Às 11h05, o Ibovespa subia 0,26%, aos 106.545,84 pontos, reduzindo a alta, após marcar máxima aos 106.949,81 pontos. O dólar à vista cedia 0,05%, a R$ 4,2032.

Neste sentido, os investidores estão atentos às palavras do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, cuja sessão começou há pouco na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado. Por enquanto, ele fala apenas para três senadores presentes.

No mercado, o investidor quer ver se Campos Neto dará algum sinal sobre política monetária e cambial. Um operador de câmbio ressalta que o mercado quer saber se haverá alguma atuação direta de venda no mercado à vista, após o dólar à vista chegar perto de R$ 4,22 mais cedo.

Fontes afirmaram ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) que questões técnicas pesaram para que fossem cancelados os leilões cambiais de hoje. Uma das dificuldades está ligada à ptax que serviria de referência para o leilão de swap reverso.

Para o economista-chefe da ModalMais, Álvaro Bandeira, o Ibovespa pode tentar um recuperação hoje, já que lá fora as bolsas estão em alta. No entanto, diante da falta de notícias internas, impasse em relação às conversas comerciais entre Estados Unidos e China, incertezas na América Latina e o feriado de amanhã, a Bolsa pode ter um desempenho moderado.

"Pode retomar os ganhos. Precisa avançar com rapidez e atingir o nível dos 107.700 pontos, o que seria importante graficamente, pois mostra uma consistência maior", diz, completando que, apesar da expectativa de alguma realização no dólar, isso não tende a atrapalhar uma elevação do Ibovespa hoje. "Mas o feriado desta quarta pode atrapalhar um pouco", acrescenta. Amanhã, dia da Consciência Negra, a B3 ficará fechada e haverá negócios com câmbio em poucas praças.

O recuo do petróleo no exterior esta manhã também inibe ganhos fortes na Bolsa brasileira. Além disso, apesar da notícia de aumento nos preços dos combustíveis pela Petrobras, um operador avalia que isso não deve beneficiar as ações consideravelmente. "Os preços ainda estão defasados em relação ao exterior", diz.

A Petrobras anunciou alta de 2,77% (ou R$ 0,05) no preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias. Com a mudança, o valor foi para R$ 1,855 o litro. A estatal elevou ainda em 1,18% (ou R$ 0,026) o preço médio do litro da diesel nas refinarias, que passou para R$ 2,229 o litro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;