Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas de NY fecham sem direção única, com S&P 500 em nível recorde



14/11/2019 | 19:35


As bolsas de Nova York fecharam sem direção única nesta quinta-feira, 14, com o índice S&P 500 renovando o oitavo recorde de fechamento em três semanas. Os mercados internacionais operaram com dúvidas sobre os desdobramentos das negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China.

O índice Dow Jones fechou estável, em 27.784,61 pontos, o Nasdaq teve leve recuo de 0,04%, a 8.479,02 pontos, e o S&P 500 subiu 0,09%, a 3.096,82 pontos.

A abertura dos negócios foi negativa, com os investidores cautelosos diante de versões divergentes sobre a guerra comercial sino-americana.

Na noite de quarta-feira, o assessor de comércio da Casa Branca, Peter Navarro, negou que as conversas para a assinatura da chamada "fase 1" do acordo comercial entre Estados Unidos e China tenham travado, como havia informado mais cedo a Dow Jones Newswires.

Nesta quinta-feira, no entanto, fontes ouvidas pelo Financial Times confirmaram que Pequim e Washington enfrentam dificuldades para chegar a um consenso sobre questões como propriedade intelectual, compras agrícolas e remoção de tarifas.

No início da tarde, as bolsas americanas chegaram a reduzir perdas, em meio a discursos de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Entre outras coisas, o presidente da distrital de Nova York do Fed, John Williams, disse que prevê crescimento moderado do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA. Já o presidente da distrital de St. Louis, James Bullard, afirmou que a economia americana enfrenta risco de desaceleração maior do que o esperado.

Os investidores acompanharam, ainda, o segundo dia de discurso do presidente do Fed, Jerome Powell, no Congresso americano. O banqueiro central disse, entre outras coisas, que não vê "sinais alarmantes" e que a inflação não tem enfrentado muita pressão do "forte" mercado de trabalho.

Entre as ações em destaque, Apple recuou 0,69%, o que pressionou o Nasdaq. Já entre os bancos, Goldman Sachs subiu 0,05%, JPMorgan avançou 0,09% e Citigroup recuou 0,09%.

Entre os setores, o subíndice de energia do S&P500 liderou as perdas (-0,29%), seguido pelo do setor de consumo básico (-0,13%) e o do setor de tecnologia (-0,13%). Já o subíndice do setor imobiliário liderou os ganhos (+0,84%).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas de NY fecham sem direção única, com S&P 500 em nível recorde


14/11/2019 | 19:35


As bolsas de Nova York fecharam sem direção única nesta quinta-feira, 14, com o índice S&P 500 renovando o oitavo recorde de fechamento em três semanas. Os mercados internacionais operaram com dúvidas sobre os desdobramentos das negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China.

O índice Dow Jones fechou estável, em 27.784,61 pontos, o Nasdaq teve leve recuo de 0,04%, a 8.479,02 pontos, e o S&P 500 subiu 0,09%, a 3.096,82 pontos.

A abertura dos negócios foi negativa, com os investidores cautelosos diante de versões divergentes sobre a guerra comercial sino-americana.

Na noite de quarta-feira, o assessor de comércio da Casa Branca, Peter Navarro, negou que as conversas para a assinatura da chamada "fase 1" do acordo comercial entre Estados Unidos e China tenham travado, como havia informado mais cedo a Dow Jones Newswires.

Nesta quinta-feira, no entanto, fontes ouvidas pelo Financial Times confirmaram que Pequim e Washington enfrentam dificuldades para chegar a um consenso sobre questões como propriedade intelectual, compras agrícolas e remoção de tarifas.

No início da tarde, as bolsas americanas chegaram a reduzir perdas, em meio a discursos de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Entre outras coisas, o presidente da distrital de Nova York do Fed, John Williams, disse que prevê crescimento moderado do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA. Já o presidente da distrital de St. Louis, James Bullard, afirmou que a economia americana enfrenta risco de desaceleração maior do que o esperado.

Os investidores acompanharam, ainda, o segundo dia de discurso do presidente do Fed, Jerome Powell, no Congresso americano. O banqueiro central disse, entre outras coisas, que não vê "sinais alarmantes" e que a inflação não tem enfrentado muita pressão do "forte" mercado de trabalho.

Entre as ações em destaque, Apple recuou 0,69%, o que pressionou o Nasdaq. Já entre os bancos, Goldman Sachs subiu 0,05%, JPMorgan avançou 0,09% e Citigroup recuou 0,09%.

Entre os setores, o subíndice de energia do S&P500 liderou as perdas (-0,29%), seguido pelo do setor de consumo básico (-0,13%) e o do setor de tecnologia (-0,13%). Já o subíndice do setor imobiliário liderou os ganhos (+0,84%).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;