Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Ponte Preta perde força no Moisés Lucarelli e sucumbe na briga por acesso



14/11/2019 | 17:23


O Estádio Moisés Lucarelli passou de "arma" para a Ponte Preta vencer os adversários à "casa de reabilitação dos desesperados" nesta edição da Série B do Campeonato Brasileiro.Afinal, das cinco derrotas sofridas pela equipe em Campinas no torneio nacional, quatro foram diante de oponentes que estavam com a corda no pescoço.

O primeiro vacilo foi em 30 de julho, pela 13ª rodada. Na ocasião, o América-MG era o lanterna com sete pontos e com menos de 20% de aproveitamento. À época sob comando de Jorginho, o time era o oitavo, na cola do G4, mas levou gol nos acréscimos e perdeu invencibilidade de dez meses no seu estádio.

O CRB foi o único visitante com perspectiva de acesso a sair com os três pontos do Moisés Lucarelli - foi a Campinas e fez 1 a 0. Naquele momento, a equipe alvinegra estava no G4 ao vencer o Figueirense em Florianópolis e, ao perder, despencou três posições na tabela, o que gerou pressão para a demissão do treinador, o que ocorreu na rodada posterior.

No terceiro jogo sob o comando de Gilson Kleina, a Ponte deu vexame e, sem inspirações, foi batida pelo Vila Nova, pelo placar mínimo. O time goiano desembarcou no Majestoso em 18º lugar e deu sobrevida ao técnico Marcelo Cabo, demitido semanas depois. Hoje, o time de Goiânia está praticamente rebaixado à Série C de 2020.

Em um dos capítulos mais melancólicos da temporada, dois dias após explodir a crise política com as denúncias de supostas irregularidades de Eric Silveira, ex-diretor de marketing, a Ponte foi superada pelo Vitória, por 2 a 1, com gol nos acréscimos. O detalhe mais doloroso é que o Vitória jogou com um a menos desde a metade do primeiro tempo, mas se superou e ganhou vida na luta contra a degola.

Por fim, mas não menos vexatório, o Figueirense fez o que quis em Campinas e, sem sofrer, construiu vitória por 3 a 1. Curiosamente, o clube catarinense passou um turno sem vencer, deu W.O. em Cuiabá e já era tido como rebaixado há um mês, mas ressurgiu e deixou a zona da degola com o resultado positivo em Campinas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ponte Preta perde força no Moisés Lucarelli e sucumbe na briga por acesso


14/11/2019 | 17:23


O Estádio Moisés Lucarelli passou de "arma" para a Ponte Preta vencer os adversários à "casa de reabilitação dos desesperados" nesta edição da Série B do Campeonato Brasileiro.Afinal, das cinco derrotas sofridas pela equipe em Campinas no torneio nacional, quatro foram diante de oponentes que estavam com a corda no pescoço.

O primeiro vacilo foi em 30 de julho, pela 13ª rodada. Na ocasião, o América-MG era o lanterna com sete pontos e com menos de 20% de aproveitamento. À época sob comando de Jorginho, o time era o oitavo, na cola do G4, mas levou gol nos acréscimos e perdeu invencibilidade de dez meses no seu estádio.

O CRB foi o único visitante com perspectiva de acesso a sair com os três pontos do Moisés Lucarelli - foi a Campinas e fez 1 a 0. Naquele momento, a equipe alvinegra estava no G4 ao vencer o Figueirense em Florianópolis e, ao perder, despencou três posições na tabela, o que gerou pressão para a demissão do treinador, o que ocorreu na rodada posterior.

No terceiro jogo sob o comando de Gilson Kleina, a Ponte deu vexame e, sem inspirações, foi batida pelo Vila Nova, pelo placar mínimo. O time goiano desembarcou no Majestoso em 18º lugar e deu sobrevida ao técnico Marcelo Cabo, demitido semanas depois. Hoje, o time de Goiânia está praticamente rebaixado à Série C de 2020.

Em um dos capítulos mais melancólicos da temporada, dois dias após explodir a crise política com as denúncias de supostas irregularidades de Eric Silveira, ex-diretor de marketing, a Ponte foi superada pelo Vitória, por 2 a 1, com gol nos acréscimos. O detalhe mais doloroso é que o Vitória jogou com um a menos desde a metade do primeiro tempo, mas se superou e ganhou vida na luta contra a degola.

Por fim, mas não menos vexatório, o Figueirense fez o que quis em Campinas e, sem sofrer, construiu vitória por 3 a 1. Curiosamente, o clube catarinense passou um turno sem vencer, deu W.O. em Cuiabá e já era tido como rebaixado há um mês, mas ressurgiu e deixou a zona da degola com o resultado positivo em Campinas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;