Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Vereadores recorrem contra rejeição de CPI da Suzantur

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

12/11/2019 | 06:56


Os vereadores Fernando Rubinelli (PDT) e Adelto Cachorrão (Avante), de Mauá, protocolaram recurso no TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) para reverter a rejeição de pedido de liminar para que a Câmara instaure a CPI da Suzantur.
No dia 1º de outubro, a despeito de o pedido de comissão investigativa da atuação da concessionária do transporte coletivo de Mauá ter assinatura de um terço da casa, o Legislativo negou a instauração do bloco.

Os oposicionistas recorreram à Justiça, uma vez que coletaram rubricas de ao menos um terço dos parlamentares, quórum constitucional para abertura de CPIs – a medida está amparada no artigo 58º da Constituição Federal. Porém, no dia 23 de outubro, juíza Maria Eugênia Pires Zampol, da 1ª Vara Cível da cidade, rejeitou o pleito dos parlamentares na análise da liminar – o mérito segue em discussão.

Rubinelli e Cachorrão apresentaram ontem, ao TJ-SP, agravo de instrumento no mandado de segurança protocolado anteriormente no Fórum de Mauá. “Estamos recorrendo da liminar que foi negada para a instalação da CPI, pois infelizmente Mauá sofre com um péssimo serviço de transporte”, declarou o pedetista.

Entre as falhas que a CPI pretende investigar, uma delas salta aos olhos de Rubinelli: o fato de a empresa circular com 25 ônibus a menos da frota mínima exigida em contrato e admitir a irregularidade sem que o governo do prefeito Atila Jacomussi (PSB) tome providências administrativas. “Esses 25 veículos podiam estar circulando e ajudando a vida do povo. Precisamos investigar”, pontuou.

Além do deficit de veículos à disposição dos usuários, a CPI tem intenção de investigar a ligação da Suzantur com o banco Caruana, que utiliza espaço público no terminal de ônibus para vender cartão de crédito. O presidente da Casa, Vanderley Cavalcante da Silva, o Neycar (SD), já avisou que, se a Justiça determinar, vai instalar a CPI da Suzantur. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vereadores recorrem contra rejeição de CPI da Suzantur

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

12/11/2019 | 06:56


Os vereadores Fernando Rubinelli (PDT) e Adelto Cachorrão (Avante), de Mauá, protocolaram recurso no TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) para reverter a rejeição de pedido de liminar para que a Câmara instaure a CPI da Suzantur.
No dia 1º de outubro, a despeito de o pedido de comissão investigativa da atuação da concessionária do transporte coletivo de Mauá ter assinatura de um terço da casa, o Legislativo negou a instauração do bloco.

Os oposicionistas recorreram à Justiça, uma vez que coletaram rubricas de ao menos um terço dos parlamentares, quórum constitucional para abertura de CPIs – a medida está amparada no artigo 58º da Constituição Federal. Porém, no dia 23 de outubro, juíza Maria Eugênia Pires Zampol, da 1ª Vara Cível da cidade, rejeitou o pleito dos parlamentares na análise da liminar – o mérito segue em discussão.

Rubinelli e Cachorrão apresentaram ontem, ao TJ-SP, agravo de instrumento no mandado de segurança protocolado anteriormente no Fórum de Mauá. “Estamos recorrendo da liminar que foi negada para a instalação da CPI, pois infelizmente Mauá sofre com um péssimo serviço de transporte”, declarou o pedetista.

Entre as falhas que a CPI pretende investigar, uma delas salta aos olhos de Rubinelli: o fato de a empresa circular com 25 ônibus a menos da frota mínima exigida em contrato e admitir a irregularidade sem que o governo do prefeito Atila Jacomussi (PSB) tome providências administrativas. “Esses 25 veículos podiam estar circulando e ajudando a vida do povo. Precisamos investigar”, pontuou.

Além do deficit de veículos à disposição dos usuários, a CPI tem intenção de investigar a ligação da Suzantur com o banco Caruana, que utiliza espaço público no terminal de ônibus para vender cartão de crédito. O presidente da Casa, Vanderley Cavalcante da Silva, o Neycar (SD), já avisou que, se a Justiça determinar, vai instalar a CPI da Suzantur. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;