Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Nadal e Djokovic brigam por topo e Federer tenta ampliar recorde no ATP Finals

Reprodução/Instagram Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


10/11/2019 | 05:30


Considerados por muitos como os melhores da história, Rafael Nadal, Novak Djokovic e Roger Federer terão no ATP Finals, a partir deste domingo, mais um capítulo de uma disputa direta por recordes e pelo topo do ranking. Será a primeira vez desde 2015 que o trio estará junto em Londres, na competição que encerra a temporada ao reunir os oito melhores do ano.

Nadal e Djokovic vão fazer um duelo direto pela liderança do ranking. O espanhol reassumiu a posição de número 1 na semana passada, mesmo depois de o sérvio faturar o título do Masters 1000 de Paris. Apenas 640 pontos separam os dois tenistas.

Campeão em Roland Garros e no US Open, Nadal precisa chegar à final de forma invicta para se manter no topo e terminar o ano como número 1 pela quinta vez em sua carreira. Se isso acontecer, o tenista de 33 anos será o mais velho a obter este feito. Caso não tenha sucesso nesta busca, o espanhol verá Djokovic alcançar o recorde do norte-americano Pete Sampras, único a fechar a temporada na ponta por seis vezes.

O sérvio, contudo, terá que buscar o título na quadra dura de Londres e também torcer por tropeços de Nadal. Se for campeão, Djokovic igualará outro recorde, desta vez de Federer, único hexacampeão da competição - o sérvio soma cinco troféus até agora. Nadal, surpreendentemente, ainda mira sua primeira conquista no ATP Finals.

"Será uma tarefa extremamente difícil, levando em conta os adversários que vou enfrentar", admite o sérvio, campeão do Aberto da Austrália e de Wimbledon neste ano. Apesar disso, um fator extraquadra poderá ajudar o sérvio. Nadal se recupera de lesão muscular no abdome e, longe de estar 100%, poderá abandonar a competição no meio.

Sem chance de brigar pelo topo do ranking, Federer corre por fora nesta briga. O número três do mundo não venceu nenhum Grand Slam no ano e tenta o troféu do Finals para ampliar o seu recorde de conquistas. De quebra, poderá aumentar seu currículo para 104 títulos, de olho na marca histórica de 109, do americano Jimmy Connors.

Os três grandes tenistas vão voltar a se enfrentar na competição que encerra a temporada da ATP após quatro anos. Nas últimas edições, uma série de problemas físicos com o trio impediu que estivessem juntos na Arena O2.

Nesta disputa por recordes e marcas grandiosas, o trio terá o já recorrente duelo de gerações com jovens rivais. Nesta edição, serão três estreantes, nenhum deles com mais de 23 anos: o russo Daniil Medvedev (23), o grego Stefanos Tsitsipas (21) e o italiano Matteo Berrettini (23).

Medvedev, Tsitsipas estarão na mesma chave de Nadal, o Grupo Andre Agassi, assim como o alemão Alexander Zverev, atual campeão. O Grupo Bjorn Borg terá Federer e Djokovic, além do austríaco Dominic Thiem e Berrettini. Na primeira fase, todos os tenistas se enfrentam dentro dos grupos e os dois melhores avançam às semifinais, no sábado. No domingo, os dois vencedores das semifinais entrarão em quadra.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Nadal e Djokovic brigam por topo e Federer tenta ampliar recorde no ATP Finals


10/11/2019 | 05:30


Considerados por muitos como os melhores da história, Rafael Nadal, Novak Djokovic e Roger Federer terão no ATP Finals, a partir deste domingo, mais um capítulo de uma disputa direta por recordes e pelo topo do ranking. Será a primeira vez desde 2015 que o trio estará junto em Londres, na competição que encerra a temporada ao reunir os oito melhores do ano.

Nadal e Djokovic vão fazer um duelo direto pela liderança do ranking. O espanhol reassumiu a posição de número 1 na semana passada, mesmo depois de o sérvio faturar o título do Masters 1000 de Paris. Apenas 640 pontos separam os dois tenistas.

Campeão em Roland Garros e no US Open, Nadal precisa chegar à final de forma invicta para se manter no topo e terminar o ano como número 1 pela quinta vez em sua carreira. Se isso acontecer, o tenista de 33 anos será o mais velho a obter este feito. Caso não tenha sucesso nesta busca, o espanhol verá Djokovic alcançar o recorde do norte-americano Pete Sampras, único a fechar a temporada na ponta por seis vezes.

O sérvio, contudo, terá que buscar o título na quadra dura de Londres e também torcer por tropeços de Nadal. Se for campeão, Djokovic igualará outro recorde, desta vez de Federer, único hexacampeão da competição - o sérvio soma cinco troféus até agora. Nadal, surpreendentemente, ainda mira sua primeira conquista no ATP Finals.

"Será uma tarefa extremamente difícil, levando em conta os adversários que vou enfrentar", admite o sérvio, campeão do Aberto da Austrália e de Wimbledon neste ano. Apesar disso, um fator extraquadra poderá ajudar o sérvio. Nadal se recupera de lesão muscular no abdome e, longe de estar 100%, poderá abandonar a competição no meio.

Sem chance de brigar pelo topo do ranking, Federer corre por fora nesta briga. O número três do mundo não venceu nenhum Grand Slam no ano e tenta o troféu do Finals para ampliar o seu recorde de conquistas. De quebra, poderá aumentar seu currículo para 104 títulos, de olho na marca histórica de 109, do americano Jimmy Connors.

Os três grandes tenistas vão voltar a se enfrentar na competição que encerra a temporada da ATP após quatro anos. Nas últimas edições, uma série de problemas físicos com o trio impediu que estivessem juntos na Arena O2.

Nesta disputa por recordes e marcas grandiosas, o trio terá o já recorrente duelo de gerações com jovens rivais. Nesta edição, serão três estreantes, nenhum deles com mais de 23 anos: o russo Daniil Medvedev (23), o grego Stefanos Tsitsipas (21) e o italiano Matteo Berrettini (23).

Medvedev, Tsitsipas estarão na mesma chave de Nadal, o Grupo Andre Agassi, assim como o alemão Alexander Zverev, atual campeão. O Grupo Bjorn Borg terá Federer e Djokovic, além do austríaco Dominic Thiem e Berrettini. Na primeira fase, todos os tenistas se enfrentam dentro dos grupos e os dois melhores avançam às semifinais, no sábado. No domingo, os dois vencedores das semifinais entrarão em quadra.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;