Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Pacotaço da saúde


Do Diário do Grande ABC

09/11/2019 | 09:52


Como se tivessem combinado, três autoridades políticas do Grande ABC aproveitaram a sexta-feira para anunciar projetos de saúde pública. Juntas, as obras configuram pacotaço de investimentos no setor, que há muito está a demandar maior atenção dos administradores. Tão abrangente é o programa que inclui a saúde animal, com a inauguração do primeiro hospital veterinário totalmente gratuito, em São Caetano. Embora municipais, os empreendimentos tendem a solucionar questões que vão muito além dos limites territoriais das cidades, como se verá nestas considerações.

A se crer nas projeções, a população regional assistirá em 2020 a algo próximo de uma revolução no setor de saúde do Grande ABC. Além da novidade regional na área veterinária, anunciada pelo prefeito são-caetanense José Auricchio Júnior (PSDB), o correligionário andreense Paulo Serra (PSDB) resgatará a Faisa (Fundação de Assistência à Infância de Santo André) e poderá dizer que se empenhou na entrega de projeto similar ao hospital do servidor, posto que plano de saúde do funcionalismo pretende abrir unidade na cidade. Já o deputado estadual Márcio da Farmácia (Podemos) obteve do Estado a confirmação do início do funcionamento da Rede Lucy Montoro, especializada no tratamento de males da mobilidade.

A ampliação das redes locais de assistência médica é algo a ser festejado. Se cada cidade oferecer atenção na saúde capaz de atender às necessidades de sua população, estancar-se-á um dos principais problemas do segmento no Grande ABC, qual seja, o descontrolado fluxo intermunicipal de pacientes em busca de tratamento que não encontra na localidade em que possui residência, algo que prejudica sobremaneira o planejamento dos gestores da área da saúde.

O próximo passo dos políticos que ora anunciam os empreendimentos é garantir recursos para que, inaugurados, funcionem a toda capacidade. Afinal, de nada adianta construir prédios suntuosos se não houver recursos, humanos e materiais, capazes de manter tudo em plena atividade.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pacotaço da saúde

Do Diário do Grande ABC

09/11/2019 | 09:52


Como se tivessem combinado, três autoridades políticas do Grande ABC aproveitaram a sexta-feira para anunciar projetos de saúde pública. Juntas, as obras configuram pacotaço de investimentos no setor, que há muito está a demandar maior atenção dos administradores. Tão abrangente é o programa que inclui a saúde animal, com a inauguração do primeiro hospital veterinário totalmente gratuito, em São Caetano. Embora municipais, os empreendimentos tendem a solucionar questões que vão muito além dos limites territoriais das cidades, como se verá nestas considerações.

A se crer nas projeções, a população regional assistirá em 2020 a algo próximo de uma revolução no setor de saúde do Grande ABC. Além da novidade regional na área veterinária, anunciada pelo prefeito são-caetanense José Auricchio Júnior (PSDB), o correligionário andreense Paulo Serra (PSDB) resgatará a Faisa (Fundação de Assistência à Infância de Santo André) e poderá dizer que se empenhou na entrega de projeto similar ao hospital do servidor, posto que plano de saúde do funcionalismo pretende abrir unidade na cidade. Já o deputado estadual Márcio da Farmácia (Podemos) obteve do Estado a confirmação do início do funcionamento da Rede Lucy Montoro, especializada no tratamento de males da mobilidade.

A ampliação das redes locais de assistência médica é algo a ser festejado. Se cada cidade oferecer atenção na saúde capaz de atender às necessidades de sua população, estancar-se-á um dos principais problemas do segmento no Grande ABC, qual seja, o descontrolado fluxo intermunicipal de pacientes em busca de tratamento que não encontra na localidade em que possui residência, algo que prejudica sobremaneira o planejamento dos gestores da área da saúde.

O próximo passo dos políticos que ora anunciam os empreendimentos é garantir recursos para que, inaugurados, funcionem a toda capacidade. Afinal, de nada adianta construir prédios suntuosos se não houver recursos, humanos e materiais, capazes de manter tudo em plena atividade.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;