Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Fitch: Não ter vendido todo o megaleilão não compromete contas do governo



08/11/2019 | 14:34


O principal representante da agência de rating Fitch no Brasil, o diretor-executivo Rafael Guedes, disse que a venda abaixo do esperado no megaleilão de petróleo esta semana não compromete as contas do governo, mas que a agência dava como certos esses recursos. Ele ponderou que isso não deve afetar uma eventual revisão da nota do Brasil.

Guedes elogiou o programa de privatização do governo e as demais reformas que estão sendo anunciadas e destacou a falta de protestos com a venda da BR Distribuidora, o que indicaria que o processo está ocorrendo de maneira tranquila.

"Qualquer menção de privatização, até de tirar o cafezinho da Petrobras, a avenida Chile (onde fica a sede da Petrobras, no Rio) ficaria intransitável. Tivemos a privatização da BR Distribuidora sem nenhum ruído", afirmou. "Tem uma série de fatores da privatização, mas sem dúvida vender ativos é bom para as contas do governo", completou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fitch: Não ter vendido todo o megaleilão não compromete contas do governo


08/11/2019 | 14:34


O principal representante da agência de rating Fitch no Brasil, o diretor-executivo Rafael Guedes, disse que a venda abaixo do esperado no megaleilão de petróleo esta semana não compromete as contas do governo, mas que a agência dava como certos esses recursos. Ele ponderou que isso não deve afetar uma eventual revisão da nota do Brasil.

Guedes elogiou o programa de privatização do governo e as demais reformas que estão sendo anunciadas e destacou a falta de protestos com a venda da BR Distribuidora, o que indicaria que o processo está ocorrendo de maneira tranquila.

"Qualquer menção de privatização, até de tirar o cafezinho da Petrobras, a avenida Chile (onde fica a sede da Petrobras, no Rio) ficaria intransitável. Tivemos a privatização da BR Distribuidora sem nenhum ruído", afirmou. "Tem uma série de fatores da privatização, mas sem dúvida vender ativos é bom para as contas do governo", completou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;