Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Risco de combustão assusta donos de Onix Plus

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Proprietários do modelo temem com possibilidade de o carro pegar fogo após duas ocorrências


Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC

08/11/2019 | 08:24


Lançado em 13 de setembro, o Onix Plus agradou em cheio ao consumidor, com 7.140 unidades vendidas do sedã. Dois casos de incêndio fizeram com que a curiosidade fosse trocada pelo medo. As ocorrências, uma no pátio da General Motors, em Gravataí, no Rio Grande do Sul, e outra em uma estrada do Maranhão, levaram a montadora a suspender as vendas do modelo e convocar os compradores para um recall.
Entre os que receberam a mensagem para correção está a gerente financeira Fátima Aparecida Ferreira, 58 anos, que comprou versão mais completa do modelo, e pagou à vista R$ 83 mil – colocou alguns acessórios no veículo – dia 1º de novembro, e na quarta-feira foi chamada para o recall.
Ontem ela foi à concessionária Viamar, na Avenida Pereira Barreto, em São Bernardo. Lá, segundo a cliente, enfrentou problemas também com o pós-venda. “Me disseraram para deixar o meu carro e ligar para o 0800 da GM e solicitar um veículo reserva. Liguei, e o atendimento automático indicava que eu deveria entrar no site”, relatou. Pior ainda foi a opção dada por uma atendente da Viamar. “Ela falou que se eu quisesse, poderia ir embora com o meu carro”, relatou.
Fátima usa o veículo para trabalhar e ficou indignada com a proposta. Ela se desloca diariamente de São Bernardo, onde mora, a Guarulhos. “Eu pego o Rodoanel (Mário Covas) todos os dias. Tenho medo de que o carro pegue fogo.”
No fim da tarde, Fátima acreditava que o caso estava resolvido, com a promessa de que voltaria para casa com um modelo semelhante ao seu. Na locadora indicada, descobriu que havia sido reservado um Onix hatch com câmbio manual. O dela é automático, assim como o Toyota Etios 2018 que deu como parte de pagamento na aquisição do sedã da Chevrolet. “O contrato é de 20 dias, podendo ser prorrogado. Estou preocupada com o tempo que irá demorar esse conserto”, afirmou.
Por nota, a General Motors declarou que está convocando os proprietários por conta de “atualização do software de gerenciamento do motor”, que este chamado tem como prioridade a segurança.
De acordo com a montadora, “em condições muito especificas e combinadas de pressão atmosférica, temperatura ambiente, umidade relativa do ar e composição do combustível o software de gerenciamento do motor pode, eventualmente, apresentar falha, com risco de danos ao motor e potencial incêndio, como no caso ocorrido na região Nordeste. Esta condição é precedida de um alerta visual no painel de instrumentos – a luz indicadora de funcionamento incorreto, referente ao motor, acende”.
Sobre a ocorrência de Gravataí, a GM afirma que “foi um caso isolado provocado por um fator que não tinha relação com o projeto do veículo”.

VECTRA
A GM foi investigada por outro caso envolvendo incêndios no modelo Vectra, que já saiu de linha. Houve relatos de 32 incêndios entre 2006 e 2009, com 24 vítimas fatais, além de feridos. A empresa fez acordos de indenização com os familiares dos envolvidos que recorreram à Justiça.
O primeiro processo pedindo o recall do modelo foi arquivado sem que fosse constatado o motivo dos incidentes. Foi depois reaberto em 2014, mas desde então está parado na Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Risco de combustão assusta donos de Onix Plus

Proprietários do modelo temem com possibilidade de o carro pegar fogo após duas ocorrências

Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC

08/11/2019 | 08:24


Lançado em 13 de setembro, o Onix Plus agradou em cheio ao consumidor, com 7.140 unidades vendidas do sedã. Dois casos de incêndio fizeram com que a curiosidade fosse trocada pelo medo. As ocorrências, uma no pátio da General Motors, em Gravataí, no Rio Grande do Sul, e outra em uma estrada do Maranhão, levaram a montadora a suspender as vendas do modelo e convocar os compradores para um recall.
Entre os que receberam a mensagem para correção está a gerente financeira Fátima Aparecida Ferreira, 58 anos, que comprou versão mais completa do modelo, e pagou à vista R$ 83 mil – colocou alguns acessórios no veículo – dia 1º de novembro, e na quarta-feira foi chamada para o recall.
Ontem ela foi à concessionária Viamar, na Avenida Pereira Barreto, em São Bernardo. Lá, segundo a cliente, enfrentou problemas também com o pós-venda. “Me disseraram para deixar o meu carro e ligar para o 0800 da GM e solicitar um veículo reserva. Liguei, e o atendimento automático indicava que eu deveria entrar no site”, relatou. Pior ainda foi a opção dada por uma atendente da Viamar. “Ela falou que se eu quisesse, poderia ir embora com o meu carro”, relatou.
Fátima usa o veículo para trabalhar e ficou indignada com a proposta. Ela se desloca diariamente de São Bernardo, onde mora, a Guarulhos. “Eu pego o Rodoanel (Mário Covas) todos os dias. Tenho medo de que o carro pegue fogo.”
No fim da tarde, Fátima acreditava que o caso estava resolvido, com a promessa de que voltaria para casa com um modelo semelhante ao seu. Na locadora indicada, descobriu que havia sido reservado um Onix hatch com câmbio manual. O dela é automático, assim como o Toyota Etios 2018 que deu como parte de pagamento na aquisição do sedã da Chevrolet. “O contrato é de 20 dias, podendo ser prorrogado. Estou preocupada com o tempo que irá demorar esse conserto”, afirmou.
Por nota, a General Motors declarou que está convocando os proprietários por conta de “atualização do software de gerenciamento do motor”, que este chamado tem como prioridade a segurança.
De acordo com a montadora, “em condições muito especificas e combinadas de pressão atmosférica, temperatura ambiente, umidade relativa do ar e composição do combustível o software de gerenciamento do motor pode, eventualmente, apresentar falha, com risco de danos ao motor e potencial incêndio, como no caso ocorrido na região Nordeste. Esta condição é precedida de um alerta visual no painel de instrumentos – a luz indicadora de funcionamento incorreto, referente ao motor, acende”.
Sobre a ocorrência de Gravataí, a GM afirma que “foi um caso isolado provocado por um fator que não tinha relação com o projeto do veículo”.

VECTRA
A GM foi investigada por outro caso envolvendo incêndios no modelo Vectra, que já saiu de linha. Houve relatos de 32 incêndios entre 2006 e 2009, com 24 vítimas fatais, além de feridos. A empresa fez acordos de indenização com os familiares dos envolvidos que recorreram à Justiça.
O primeiro processo pedindo o recall do modelo foi arquivado sem que fosse constatado o motivo dos incidentes. Foi depois reaberto em 2014, mas desde então está parado na Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;