Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 12 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Oddone diz que acordo posterior com Petrobras trouxe mais risco para o leilão

Tomaz Silva/ Fotos Públicas  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


06/11/2019 | 14:21


O diretor-geral da ANP ( Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis ), Décio Oddone, admitiu que a compensação que deveria ser dada à Petrobras pelos benefícios que já realizou nos campos da cessão onerosa pode ter afastado as petroleiras do leilão realizado nesta quarta-feira pelo governo.

"Com certeza o acordo posterior com a Petrobras trouxe mais risco para o leilão", disse durante coletiva de imprensa após o certame.

Apesar de ter sido considerado um sucesso pelo executivo, o leilão vendeu apenas dois dos quatro campos ofertados e a única grande compradora foi a Petrobras, que teve parceria apenas para a principal área, Búzios, a mais cara do leilão, com bônus de assinatura de R$ 68,2 bilhões. As chinesas CNOOC e CNODC fizeram parceria com a estatal brasileira, mas ficaram apenas com 5% cada uma.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Oddone diz que acordo posterior com Petrobras trouxe mais risco para o leilão


06/11/2019 | 14:21


O diretor-geral da ANP ( Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis ), Décio Oddone, admitiu que a compensação que deveria ser dada à Petrobras pelos benefícios que já realizou nos campos da cessão onerosa pode ter afastado as petroleiras do leilão realizado nesta quarta-feira pelo governo.

"Com certeza o acordo posterior com a Petrobras trouxe mais risco para o leilão", disse durante coletiva de imprensa após o certame.

Apesar de ter sido considerado um sucesso pelo executivo, o leilão vendeu apenas dois dos quatro campos ofertados e a única grande compradora foi a Petrobras, que teve parceria apenas para a principal área, Búzios, a mais cara do leilão, com bônus de assinatura de R$ 68,2 bilhões. As chinesas CNOOC e CNODC fizeram parceria com a estatal brasileira, mas ficaram apenas com 5% cada uma.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;