Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Não entrar no leilão foi decisão de negócio, diz presidente da Shell



06/11/2019 | 13:33


O presidente da Shell Brasil, André Araujo, disse que não fazer ofertas na rodada de licitações do excedente da cessão onerosa, nesta quarta-feira, 6, foi uma decisão de negócio tomada com base na estratégia de disciplina de capital do grupo. O executivo afirmou que os blocos ofertados "não passaram no corte" da Shell por se tratar de "ofertas caras".

"Temos uma posição bastante positiva com os blocos já adquiridos e os blocos de hoje não passaram no nosso corte de aprovação. O grupo Shell vem adotando em 2019 uma postura de disciplina de investimento muito grande e essa nossa decisão foi tomada depois de um processo bem desafiante interno de (análise) todas essas propostas", disse Araujo, ao fim da rodada.

Coube à Petrobras, com a ajuda das chinesas CNOOC e CNODC, salvar o megaleilão de pré-sal promovido pelo governo nesta quarta-feira.

Ao todo, a estatal e sócias pagaram 66% dos R$ 106 bilhões de bônus de assinatura cobrados dos vencedores - R$ 69,96 bilhões. Duas das quatro áreas ficaram sem oferta e não foi oferecido ágio pelas outras duas que foram vendidas.

Apesar da falta de competição, Araujo afirmou ter considerado o leilão do excedente da cessão onerosa um sucesso.

Ele não descartou a participação da Shell no leilão de outras áreas do pré-sal marcado para a quinta-feira, 7. "Amanhã é amanhã. São novos blocos, novas áreas e nova avaliação", disse.

A decisão de não participar do megaleilão desta quarta-feira foi tomada em 23 de outubro pela Shell. "Tomamos uma decisão de negócio olhando todas as perspectivas de investimento do grupo e outros projetos em andamento", frisou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Não entrar no leilão foi decisão de negócio, diz presidente da Shell


06/11/2019 | 13:33


O presidente da Shell Brasil, André Araujo, disse que não fazer ofertas na rodada de licitações do excedente da cessão onerosa, nesta quarta-feira, 6, foi uma decisão de negócio tomada com base na estratégia de disciplina de capital do grupo. O executivo afirmou que os blocos ofertados "não passaram no corte" da Shell por se tratar de "ofertas caras".

"Temos uma posição bastante positiva com os blocos já adquiridos e os blocos de hoje não passaram no nosso corte de aprovação. O grupo Shell vem adotando em 2019 uma postura de disciplina de investimento muito grande e essa nossa decisão foi tomada depois de um processo bem desafiante interno de (análise) todas essas propostas", disse Araujo, ao fim da rodada.

Coube à Petrobras, com a ajuda das chinesas CNOOC e CNODC, salvar o megaleilão de pré-sal promovido pelo governo nesta quarta-feira.

Ao todo, a estatal e sócias pagaram 66% dos R$ 106 bilhões de bônus de assinatura cobrados dos vencedores - R$ 69,96 bilhões. Duas das quatro áreas ficaram sem oferta e não foi oferecido ágio pelas outras duas que foram vendidas.

Apesar da falta de competição, Araujo afirmou ter considerado o leilão do excedente da cessão onerosa um sucesso.

Ele não descartou a participação da Shell no leilão de outras áreas do pré-sal marcado para a quinta-feira, 7. "Amanhã é amanhã. São novos blocos, novas áreas e nova avaliação", disse.

A decisão de não participar do megaleilão desta quarta-feira foi tomada em 23 de outubro pela Shell. "Tomamos uma decisão de negócio olhando todas as perspectivas de investimento do grupo e outros projetos em andamento", frisou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;