Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 11 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Bombeiros controlam fogo no Pico do Jaraguá

Chico Ribeiro/Fotos Públicas Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Grande São Paulo já tem 1.032 focos de queimada



05/11/2019 | 08:16


O Corpo de Bombeiros controlou na noite desta segunda-feira, 4, um incêndio no Parque Estadual do Jaraguá, zona norte paulistana, que atingia a região desde a manhã. O fogo atingiu a área próxima ao Pico do Jaraguá. Com o tempo seco, a corporação recebeu 1.032 chamados para apagar focos de chamas na Grande São Paulo desde a sexta, 1º.

No início da tarde, a Defesa Civil Municipal decretou estado de atenção por causa da baixa umidade na capital, exceto em dois distritos da zona sul (Capela do Socorro e Parelheiros).

Segundo os bombeiros, nem a corporação nem a administração do parque calcularam a área atingida pelo fogo. Como as chamas atingiram uma área de difícil acesso a pedestres, as equipes contaram ainda com a ajuda de um helicóptero da Polícia Militar. Não houve registro de vítimas.

O estado de atenção é decretado quando o índice de umidade fica entre 21% e 30%. Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura, a temperatura máxima nesta segunda foi de 35,2° e os menores índices de umidade ficaram abaixo de 30%, chegando a 26% na Freguesia do Ó às 14h30. No sábado, também houve ainda um incêndio no Parque do Carmo, na zona leste.

"A baixa umidade e o longo período de poucas chuvas favorecem muito a proliferação dessas queimadas, espontâneas ou não", diz Thomaz Garcia, meteorologista do CGE. A falta de chuvas regulares desde meados de julho, acrescenta, faz com que o ar esteja mais carregado de poluição. O tempo seco também pode levar a problemas de saúde, como tosse seca, irritação nos olhos e na garganta e o agravamento de doenças crônicas, como asma.

Os Bombeiros não informaram a média de incêndios no mesmo período do ano passado. Já a Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente diz que, entre janeiro e outubro, as áreas de preservação ambiental tiveram queda de 28% nos focos e de 35% no número de hectares queimados.

Segundo a pasta, os meses de agosto e setembro registraram mais focos de incêndio, com queda em outubro. Ainda conforme o governo estadual, houve reforço da Operação Corta-Fogo com quatro drones, 89 viaturas e treinamentos para as equipes.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bombeiros controlam fogo no Pico do Jaraguá

Grande São Paulo já tem 1.032 focos de queimada


05/11/2019 | 08:16


O Corpo de Bombeiros controlou na noite desta segunda-feira, 4, um incêndio no Parque Estadual do Jaraguá, zona norte paulistana, que atingia a região desde a manhã. O fogo atingiu a área próxima ao Pico do Jaraguá. Com o tempo seco, a corporação recebeu 1.032 chamados para apagar focos de chamas na Grande São Paulo desde a sexta, 1º.

No início da tarde, a Defesa Civil Municipal decretou estado de atenção por causa da baixa umidade na capital, exceto em dois distritos da zona sul (Capela do Socorro e Parelheiros).

Segundo os bombeiros, nem a corporação nem a administração do parque calcularam a área atingida pelo fogo. Como as chamas atingiram uma área de difícil acesso a pedestres, as equipes contaram ainda com a ajuda de um helicóptero da Polícia Militar. Não houve registro de vítimas.

O estado de atenção é decretado quando o índice de umidade fica entre 21% e 30%. Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) da Prefeitura, a temperatura máxima nesta segunda foi de 35,2° e os menores índices de umidade ficaram abaixo de 30%, chegando a 26% na Freguesia do Ó às 14h30. No sábado, também houve ainda um incêndio no Parque do Carmo, na zona leste.

"A baixa umidade e o longo período de poucas chuvas favorecem muito a proliferação dessas queimadas, espontâneas ou não", diz Thomaz Garcia, meteorologista do CGE. A falta de chuvas regulares desde meados de julho, acrescenta, faz com que o ar esteja mais carregado de poluição. O tempo seco também pode levar a problemas de saúde, como tosse seca, irritação nos olhos e na garganta e o agravamento de doenças crônicas, como asma.

Os Bombeiros não informaram a média de incêndios no mesmo período do ano passado. Já a Secretaria Estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente diz que, entre janeiro e outubro, as áreas de preservação ambiental tiveram queda de 28% nos focos e de 35% no número de hectares queimados.

Segundo a pasta, os meses de agosto e setembro registraram mais focos de incêndio, com queda em outubro. Ainda conforme o governo estadual, houve reforço da Operação Corta-Fogo com quatro drones, 89 viaturas e treinamentos para as equipes.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;