Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Após suspensão temporária, Salles concede entrevista vestindo a camisa do Novo



01/11/2019 | 17:25


Após ser suspenso do Novo, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, concedeu entrevista à Rádio Jovem Pan vestindo uma camiseta estampada com a logo do partido. "Primeiro, eu estou aqui com esta camisa, porque ainda sou membro do partido. Fiz campanha por ele e defendo as suas ideias", afirmou o Salles no princípio da entrevista à emissora de rádio.

O ministro ainda declarou que o processo já havia sido rejeitado anteriormente pelo Conselho de Ética do Novo, por falta de procedência. A alegação dos autores da representação é de que Salles não consultou a legenda para ingressar no governo Bolsonaro e estaria afetando negativamente a imagem do partido.

O ministro também desqualificou os signatários do texto que pede a sua expulsão. "Um dos três teve que sair do partido logo em seguida à representação, porque foi delatado pelo Palocci na Lava Jato, o outro tinha sido um que condecorou alguém lá do PSOL por questões ideológicas e o terceiro eu não sei quem é".

Provocado pelos entrevistadores, Salles sugeriu que o recuo do Conselho de Ética, que decidiu por sua suspensão temporária, foi influenciada por ação de João Amoêdo, presidente da sigla, no processo. "Quem não reza a cartilha do Amoêdo, ele boicota", resumiu.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Após suspensão temporária, Salles concede entrevista vestindo a camisa do Novo


01/11/2019 | 17:25


Após ser suspenso do Novo, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, concedeu entrevista à Rádio Jovem Pan vestindo uma camiseta estampada com a logo do partido. "Primeiro, eu estou aqui com esta camisa, porque ainda sou membro do partido. Fiz campanha por ele e defendo as suas ideias", afirmou o Salles no princípio da entrevista à emissora de rádio.

O ministro ainda declarou que o processo já havia sido rejeitado anteriormente pelo Conselho de Ética do Novo, por falta de procedência. A alegação dos autores da representação é de que Salles não consultou a legenda para ingressar no governo Bolsonaro e estaria afetando negativamente a imagem do partido.

O ministro também desqualificou os signatários do texto que pede a sua expulsão. "Um dos três teve que sair do partido logo em seguida à representação, porque foi delatado pelo Palocci na Lava Jato, o outro tinha sido um que condecorou alguém lá do PSOL por questões ideológicas e o terceiro eu não sei quem é".

Provocado pelos entrevistadores, Salles sugeriu que o recuo do Conselho de Ética, que decidiu por sua suspensão temporária, foi influenciada por ação de João Amoêdo, presidente da sigla, no processo. "Quem não reza a cartilha do Amoêdo, ele boicota", resumiu.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;