Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Santo André encaminha reclassificação de 17 cargos


Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

30/10/2019 | 06:16


A Prefeitura de Santo André, chefiada por Paulo Serra (PSDB), protocolou ontem na Câmara projeto de lei que trata da reclassificação de 17 categorias de servidores da administração municipal. A proposta, separada por períodos de efetivação a partir de 2020, tem como objetivo corrigir distorções na tabela de vencimentos dos cargos envolvidos, adequando-se aos valores do mercado. O impacto financeiro da matéria, segundo o prefeito, gira em torno de R$ 5 milhões ao ano.

O documento elaborado pelo Paço alega que o projeto é “pleito antigo e legítimo” de diversos postos. O texto destaca que a partir de janeiro entram duas categorias do quadro: assistente social e fiscal de obras particulares. A contar de julho passa a contemplar desenhista, desenhista projetista, fiscal de limpeza pública, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, motorista, pedagogo, porteiro, químico, sociólogo, técnico agrícola, técnico em agrimensura, telefonista, terapeuta ocupacional e tratador de animais.

Paulo Serra sustentou que a reclassificação faz parte de programa permanente do governo, que busca ainda “soluções para plano de carreira”. “Não há no horizonte a curto prazo estudo viável que seja aceito (pelo funcionalismo), pois, via de regra, esbarra na questão do biênio. Diante disso, demos um passo para trás antes de discutir plano de carreira, corrigindo distorções de série de categorias na comparação com prefeituras do mesmo porte, e dentro do nosso orçamento.”

O tucano adiantou que existe compromisso acertado de todo fim de semestre enviar redução de outras disparidades. “Há análise essencialmente econômica, deixando curva (salarial) mais próxima, paralelamente equilibrada entre as classes. A diferença atrapalha muito tentativa de plano de carreira. Em um segundo momento, com melhoria da arrecadação, devemos ter 2020, 2021 e 2022 um pouco mais aliviado do ponto de vista do endividamento. Nos últimos 20 anos não houve organização administrativa. Foram pequenas correções pontuais, sem planejamento.”

Representante do Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos), Durval Ludovico alegou que o texto atende reivindicações apresentadas pela entidade. A medida, segundo ele, contempla boa parte dos pleitos. “Agora temos de garantir junto à LOA (Lei Orçamentária Anual) a inclusão dos índices necessários para a efetiva adequação dos recursos.”  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santo André encaminha reclassificação de 17 cargos

Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

30/10/2019 | 06:16


A Prefeitura de Santo André, chefiada por Paulo Serra (PSDB), protocolou ontem na Câmara projeto de lei que trata da reclassificação de 17 categorias de servidores da administração municipal. A proposta, separada por períodos de efetivação a partir de 2020, tem como objetivo corrigir distorções na tabela de vencimentos dos cargos envolvidos, adequando-se aos valores do mercado. O impacto financeiro da matéria, segundo o prefeito, gira em torno de R$ 5 milhões ao ano.

O documento elaborado pelo Paço alega que o projeto é “pleito antigo e legítimo” de diversos postos. O texto destaca que a partir de janeiro entram duas categorias do quadro: assistente social e fiscal de obras particulares. A contar de julho passa a contemplar desenhista, desenhista projetista, fiscal de limpeza pública, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, motorista, pedagogo, porteiro, químico, sociólogo, técnico agrícola, técnico em agrimensura, telefonista, terapeuta ocupacional e tratador de animais.

Paulo Serra sustentou que a reclassificação faz parte de programa permanente do governo, que busca ainda “soluções para plano de carreira”. “Não há no horizonte a curto prazo estudo viável que seja aceito (pelo funcionalismo), pois, via de regra, esbarra na questão do biênio. Diante disso, demos um passo para trás antes de discutir plano de carreira, corrigindo distorções de série de categorias na comparação com prefeituras do mesmo porte, e dentro do nosso orçamento.”

O tucano adiantou que existe compromisso acertado de todo fim de semestre enviar redução de outras disparidades. “Há análise essencialmente econômica, deixando curva (salarial) mais próxima, paralelamente equilibrada entre as classes. A diferença atrapalha muito tentativa de plano de carreira. Em um segundo momento, com melhoria da arrecadação, devemos ter 2020, 2021 e 2022 um pouco mais aliviado do ponto de vista do endividamento. Nos últimos 20 anos não houve organização administrativa. Foram pequenas correções pontuais, sem planejamento.”

Representante do Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos), Durval Ludovico alegou que o texto atende reivindicações apresentadas pela entidade. A medida, segundo ele, contempla boa parte dos pleitos. “Agora temos de garantir junto à LOA (Lei Orçamentária Anual) a inclusão dos índices necessários para a efetiva adequação dos recursos.”  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;