Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Proporção de famílias endividadas cai a 64,7% em outubro, diz CNC

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Porcentual ainda é maior do que o registrado em outubro de 2018, quando 60,7% das famílias relatavam possuir dívidas



29/10/2019 | 11:20


A proporção de famílias endividadas no País diminuiu em outubro, a primeira queda no ano, informou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Após uma sequência de nove meses consecutivos de altas, a fatia que relatava ter dívidas saiu de 65,1% em setembro para 64,7% em outubro, apontou a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic).

No entanto, o porcentual ainda é maior do que o registrado em outubro de 2018, quando 60,7% das famílias relatavam possuir dívidas.

O crescimento do endividamento das famílias nos últimos meses acompanhava a expansão nas concessões de crédito, mas as liberações de saques do FGTS e PIS/Pasep e geração sazonal de vagas no mercado de trabalho interromperam essa trajetória em outubro, justificou a CNC, em nota.

Por outro lado, houve piora na inadimplência. A fatia de famílias com dívidas em atraso subiu de 24,5% em setembro para 24,9% em outubro, enquanto o total que afirmou não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceria inadimplente, avançou de 9,6% para 10,1% no período.

"O aumento dos indicadores de inadimplência reflete o maior comprometimento de renda das famílias com as dívidas", avaliou Marianne Hanson, economista da CNC responsável pela pesquisa, em nota oficial.

O cartão de crédito permanece como o principal tipo de dívida, apontado por 78,9% das famílias endividadas, seguido por carnês (15,5%) e financiamento de carro (9,5%).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Proporção de famílias endividadas cai a 64,7% em outubro, diz CNC

Porcentual ainda é maior do que o registrado em outubro de 2018, quando 60,7% das famílias relatavam possuir dívidas


29/10/2019 | 11:20


A proporção de famílias endividadas no País diminuiu em outubro, a primeira queda no ano, informou a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Após uma sequência de nove meses consecutivos de altas, a fatia que relatava ter dívidas saiu de 65,1% em setembro para 64,7% em outubro, apontou a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic).

No entanto, o porcentual ainda é maior do que o registrado em outubro de 2018, quando 60,7% das famílias relatavam possuir dívidas.

O crescimento do endividamento das famílias nos últimos meses acompanhava a expansão nas concessões de crédito, mas as liberações de saques do FGTS e PIS/Pasep e geração sazonal de vagas no mercado de trabalho interromperam essa trajetória em outubro, justificou a CNC, em nota.

Por outro lado, houve piora na inadimplência. A fatia de famílias com dívidas em atraso subiu de 24,5% em setembro para 24,9% em outubro, enquanto o total que afirmou não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceria inadimplente, avançou de 9,6% para 10,1% no período.

"O aumento dos indicadores de inadimplência reflete o maior comprometimento de renda das famílias com as dívidas", avaliou Marianne Hanson, economista da CNC responsável pela pesquisa, em nota oficial.

O cartão de crédito permanece como o principal tipo de dívida, apontado por 78,9% das famílias endividadas, seguido por carnês (15,5%) e financiamento de carro (9,5%).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;