Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

INCC-M desacelera a 0,12% em outubro, após 0,60% em setembro, revela FGV



28/10/2019 | 08:30


O Índice Nacional de Custo da Construção -M (INCC-M) desacelerou a 0,12% em outubro, após atingir 0,60% em setembro, informou nesta segunda-feira, 28, a Fundação Getulio Vargas (FGV). No ano, o INCC-M acumula 3,84% e, em 12 meses, 4,23%.

A taxa relativa a Materiais, Equipamentos e Serviços variou 0,27% este mês, na comparação com 0,19% em setembro. Em contrapartida, Mão de Obra apresentou taxa zero, depois de subir 0,95%.

Em Materiais, Equipamentos e Serviços, o item Materiais e Equipamentos acelerou a alta a 0,37%, depois de 0,17% no mês anterior. Dois dos quatro subgrupos componentes apresentaram acréscimo, com destaque para instalação (de 0,35% para 1,51%).

A taxa registrada em Serviços passou de alta de 0,27% no mês passado para recuo de 0,08% em outubro. Neste grupo, a FGV cita o declínio apurado nos preços de projetos, que saiu de elevação de 0,74% para retração de 0,30%.

Por capitais, houve desaceleração do INCC-M em cinco das sete pesquisadas. Houve em alívio em Brasília (1,64% para 0,17%), Belo Horizonte (0,20% para 0,16%), Recife (0,11% para 0,10%), Rio de Janeiro (de 2,15% para 0,06%) e Porto Alegre (1,46% para 0,28%). Já São Paulo (de 0,10% para 0,11%) e Salvador (-0,07% para -0,02%) apresentaram acréscimo em suas taxas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

INCC-M desacelera a 0,12% em outubro, após 0,60% em setembro, revela FGV


28/10/2019 | 08:30


O Índice Nacional de Custo da Construção -M (INCC-M) desacelerou a 0,12% em outubro, após atingir 0,60% em setembro, informou nesta segunda-feira, 28, a Fundação Getulio Vargas (FGV). No ano, o INCC-M acumula 3,84% e, em 12 meses, 4,23%.

A taxa relativa a Materiais, Equipamentos e Serviços variou 0,27% este mês, na comparação com 0,19% em setembro. Em contrapartida, Mão de Obra apresentou taxa zero, depois de subir 0,95%.

Em Materiais, Equipamentos e Serviços, o item Materiais e Equipamentos acelerou a alta a 0,37%, depois de 0,17% no mês anterior. Dois dos quatro subgrupos componentes apresentaram acréscimo, com destaque para instalação (de 0,35% para 1,51%).

A taxa registrada em Serviços passou de alta de 0,27% no mês passado para recuo de 0,08% em outubro. Neste grupo, a FGV cita o declínio apurado nos preços de projetos, que saiu de elevação de 0,74% para retração de 0,30%.

Por capitais, houve desaceleração do INCC-M em cinco das sete pesquisadas. Houve em alívio em Brasília (1,64% para 0,17%), Belo Horizonte (0,20% para 0,16%), Recife (0,11% para 0,10%), Rio de Janeiro (de 2,15% para 0,06%) e Porto Alegre (1,46% para 0,28%). Já São Paulo (de 0,10% para 0,11%) e Salvador (-0,07% para -0,02%) apresentaram acréscimo em suas taxas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;