Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Prêmios são obrigados a se reestruturarem com novas regras da lei de incentivo



27/10/2019 | 15:10


Com a diminuição na quantidade de musicais em cena, os prêmios dedicados aos artistas da área também foram obrigados a se adaptarem. Precavido, o Bibi Ferreira, o mais prestigioso, já abriu, na edição deste ano (a sétima), espaço para profissionais do teatro não cantado.

Também alterado será o Prêmio Reverência, criado em 2015 por Antonia Prado: se, até o ano passado, seu formato era tradicional ao premiar os melhores do ano em atuação no Rio e em São Paulo, agora ele deixará de ter um caráter competitivo. E também não contará com uma cerimônia de entregas habitual, transformando-se em um programa a se exibido por uma emissora de TV.

"Eu vinha pensando em uma mudança antes mesmo das alterações nas leis de incentivo", conta Antonia. "O Reverência nasceu com o objetivo de valorizar a arte dos profissionais do musical, portanto, não havia motivos para apontar ganhadores e perdedores. Penso como evolução."

Dessa forma, o projeto deixa de utilizar a palavra "prêmio", tornando-se apenas Reverência. "O momento atual pede união, portanto não podemos ter algo competitivo", conta ela, que ainda negocia com uma TV. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prêmios são obrigados a se reestruturarem com novas regras da lei de incentivo


27/10/2019 | 15:10


Com a diminuição na quantidade de musicais em cena, os prêmios dedicados aos artistas da área também foram obrigados a se adaptarem. Precavido, o Bibi Ferreira, o mais prestigioso, já abriu, na edição deste ano (a sétima), espaço para profissionais do teatro não cantado.

Também alterado será o Prêmio Reverência, criado em 2015 por Antonia Prado: se, até o ano passado, seu formato era tradicional ao premiar os melhores do ano em atuação no Rio e em São Paulo, agora ele deixará de ter um caráter competitivo. E também não contará com uma cerimônia de entregas habitual, transformando-se em um programa a se exibido por uma emissora de TV.

"Eu vinha pensando em uma mudança antes mesmo das alterações nas leis de incentivo", conta Antonia. "O Reverência nasceu com o objetivo de valorizar a arte dos profissionais do musical, portanto, não havia motivos para apontar ganhadores e perdedores. Penso como evolução."

Dessa forma, o projeto deixa de utilizar a palavra "prêmio", tornando-se apenas Reverência. "O momento atual pede união, portanto não podemos ter algo competitivo", conta ela, que ainda negocia com uma TV. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;