Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Os melhores destinos de enoturismo na América do Sul

Redação

23/10/2019 | 10:18


As principais zonas vinicultoras da América do Sul fabricam rótulos premiados em todo o mundo e contam com belezas naturais encantadoras. Alguns destinos do Chile e da Argentina, por exemplo, são arborizados, floridos e primam pela arquitetura diferenciada, revelando-se perfeitos para quem deseja curtir o enoturismo na América do Sul.

Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas de viagem? Assine nossa newsletter neste link.

Dá para visitá-los o ano todo, mas a época mais especial e concorrida é o começo de março, quando ocorre a vindima. É o início da colheita das uvas, comemorado nas regiões vinícolas com festividades e eventos culturais e enogastronômicos.

LEIA MAIS: CONHEÇA AS ATRAÇÕES DE SÃO ROQUE, CIDADE DO INTERIOR PAULISTA
ENOTURISMO NA NOVA ZELÂNDIA: CONHEÇA OS MELHORES PASSEIOS

Enoturismo na América do Sul

Chile 

Vale de Colchagua

A apenas 160 km ao sul de Santiago, o Vale de Colchagua possui excelente infraestrutura turística. Apesar de ainda ser pouco conhecido por brasileiros, tende a ser tão querido quanto Mendoza, principalmente levando em consideração que mais da metade dos vinhos importados no Brasil são provenientes do Chile.

Casa Silva

A Casa Silva é a vinícola do Chile mais premiada nos últimos anos. Apenas em 2017 conquistou 111 títulos. Foi uma das que mais contribuíram para o desenvolvimento dos vinhos do país.

O tour pela vinícola conta a história do empreendimento, mostra as modernas instalações e permite degustar excelentes rótulos. Apenas nesta propriedade há mais de 150 hectares de vinhedos, somados a 850 em quatro outras regiões.

Para complementar, o complexo conta com um charmoso hotel com oito suítes, instalado na residência centenária da família, em estilo colonial. O restaurante, que fica ao lado do Clube de Polo, Rodeio e Equitação, tem vista para o campo onde ocorrem vários torneios.

Clos Apalta / Lapostolle 

A renomada Clos Apalta tem 190 hectares de vinhedos e muita beleza natural. Em 2005, foi o primeiro produtor sul-americano a ter um vinho do ano eleito pela renomada “Wine Spectator”.

As visitas guiadas são repletas de informações interessantes a respeito de seus vinhos orgânicos, produzidos por meio de viticultura biodinâmica. Por isso, transformou-se em um case do enoturismo na América do Sul.

Neyen

A história da viña começou em 1889, quando foram plantadas na propriedade as primeiras mudas de cabernet sauvignon trazidas da França. A construção foi iniciada no ano seguinte, e as paredes de adobe permanecem até hoje. É onde fica o Centro de Visitantes, ponto inicial e final dos tours.

Além de conhecer as instalações, os turistas podem ouvir a história e analisar o processo produtivo utilizado. O ponto alto do passeio é a visita aos vinhedos centenários. Além da beleza das parreiras, é possível aprender a diferenciar as uvas a partir de suas folhas.

Viña Montes

Mais famosa vinícola chilena e ícone do enoturismo na América do Sul, é produtora do Montes Alpha, primeiro vinho premium exportado pelo Chile. A moderna sede foi toda planejada de acordo com os princípios do Feng Shui e reúne os elementos básicos em seu design.

São várias opções de tour e degustação, com duração aproximada de 1h30. Durante o período, o turista tem a oportunidade de visitar mirantes, vinhedos e a adega principal, onde os vinhos envelhecem em barris de carvalho. Além disso, é possível fazer caminhadas de 6 km pelos vinhedos e jardins da propriedade, assim como alguns tipos de degustação.

Próximo à portaria principal, o viajante pode aproveitar o restaurante Fuegos de Apalta. Em um prédio envidraçado em meio aos vinhedos, é possível se deliciar com os pratos do badalado chef argentino Francis Mallman, inaugurado em 2017, que tem nos cortes argentinos seu grande diferencial.

Viu Manent

Queridinha entre os brasileiros, a Viu Manent está entre as mais bonitas do Chile e um dos principais destinos de enoturismo na América do Sul. O local oferece vários tipos de experiências, com alguns diferenciais entre si. No tour mais comum, o turista aprende um pouco a respeito a história da família Viu García, proprietária da vinícola. Há inclusive curiosidades sobre a inspiração e criação do logotipo.

Na sequência, uma charrete leva os visitantes pelos vinhedos até o local de produção. Além de se deparar com uma aula de história, é possível adquirir informações interessantes a respeito do processo produtivo. Ao final, dá para degustar bons rótulos.

Outras opções incluem passeios de bicicleta ou cavalgadas pela propriedade, experiência com um enólogo para preparar o próprio vinho e até minicursos sobre a bebida.

Para fechar com chave de ouro, vale o almoço no Rayuela, o restaurante do complexo comandado pelo chef Cristian Adrián. Com um cardápio baseado em carnes, pescados e acompanhamentos caseiros, está entre os melhores da região.

Argentina 

Mendoza

Cada região vinícola tem sua uva predominante, e a malbec é o ícone de Mendoza. Proveniente do sudoeste da França, foi levada por imigrantes e se adaptou muito bem ao clima da região. Entretanto, a atual variedade argentina em muito pouco lembra a original francesa, tanto em aparência quanto em sabor. Hoje em dia, a Argentina produz quase sete vezes mais malbec que a própria França e, por isso, é um dos destinos mais procurados de  enoturismo na América do Sul.

Catena Zapata

Localizada na cidade de Agrelo, a Bodega Catena Zapata impressiona à primeira vista. Em forma de pirâmide maia, seu prédio destaca-se em meio aos vinhedos.

A Catena é a vinícola mais famosa e concorrida na rota do vinho de Mendoza, um dos símbolos do enoturismo na América do Sul. Trata-se da adega familiar que mais contribuiu para o desenvolvimento do vinho argentino, tanto que tem, em sua linha, alguns dos melhores vinhos do mundo.

Apesar de o tour estar entre os mais caros da região e demandar maior antecedência nas reservas, vale incluí-lo no roteiro.

Norton

Norton tem o equilíbrio entre tradição e inovação. A propriedade, por exemplo, soube integrar com harmonia áreas novas e modernas à centenária construção. Atualmente, pertence a um dos herdeiros da Swarowski, Gernot Langes, que se apaixonou pela região.

Com cinco vinhedos aos pés da Cordilheira dos Andes, o local oferece uma ampla gama de experiências aos visitantes, como tours fotográficos de bicicleta, piqueniques gourmet com vista para os vinhedos, aulas de harmonização, culinária e enologia. Além disso, o Norton abriga um dos restaurantes mais charmosos da cidade: o La Vid.

Pulenta, 

A Pulenta Estate foi inaugurada em 2002 e pertence a uma tradicional família de vinicultores. O local recebe visitantes em pequenos grupos e os tours duram entre 1h e 2h, sempre seguidos por degustações cheias de curiosidades a respeito dos vinhos e da família.

Descendentes de imigrantes italianos, os irmãos Eduardo e Hugo Pulenta compartilham uma segunda paixão: carros esportivos. Eles também são representantes exclusivos da Porsche na Argentina, e seus vinhos são servidos nos eventos da montadora ao redor do mundo.

Clos de los Siete

O enoturismo na Clos de los Siete é conduzido com excelência. Experiências sensoriais estão disponíveis, e elas vão desde refeições harmonizadas a trilhas e cavalgadas pela região. Há quatro associadas à vinícola, que compartilham as paixões pelo vinho e o compromisso com a qualidade de modo diferente.

A Cuvelier los Andes, por exemplo, oferece experiências personalizadas, como passeios pelos belos vinhedos a explicações sobre o processo produtivo. A DiamAndes, por sua vez, tem ambientes em que cada detalhe foi pensado para receber os visitantes da melhor forma com salas de degustação, bistrô para refeições e uma vista encantadora.

A experiência na Monteviejo mescla beleza natural, bons vinhos, arte, ótima gastronomia e atendimento diferenciado. Os tours são realizados em pequenos grupos, em espanhol, inglês e português. Uma das características mais marcantes do passeio é a forte ligação com a arte. O Espaço Monteviejo, restaurante do complexo, tem um amplo terraço com vista privilegiada para os vinhedos e a Cordilheira.

Já a Bodega Rolland usou em sua arquitetura o mesmo conceito de seus vinhos. Apesar do design aparentemente simples, abriga o que há de melhor e mais moderno em termos de tecnologia para produção.

Destinos que promovem o turismo sustentável

Viajar em contato com a natureza é uma experiência encantadora, mas as opções vão muito além de enoturismo na América do Sul. Por isso, conhecer destinos que promovem o turismo sustentável, conceito de visitar algum lugar como turista e tentar causar um impacto positivo no meio ambiente, na sociedade e na economia, é uma boa pedida para quem gosta de se aventurar.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;