Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Aguilar reinaugura Pinacoteca do Estado


Mario Gioia
Da Redaçao

28/11/1999 | 17:52


O artista plástico José Roberto Aguilar, 58 anos, lança nesta terça-feira para convidados (e na quarta-feira para o público) a exposiçao de telas e o livro Tantra Coisa - Insights de um Voyeur, reinaugurando o prédio da Pinacoteca do Estado, no Parque do Ibirapuera, em Sao Paulo.

Aguilar resume a sua trajetória artística com a mostra, reunindo elementos de videoarte, pintura, performance e poesia em um projeto multimídia. "Fiz um hino para o corpo e para a multiplicaçao dos seres, depois de falar sobre a gênese e sobre o olhar de Deus", afirma ele.

Tantra Coisa encerra a trilogia do artista iniciada com A Criaçao do Mundo e do Tempo, exibida no MAM-SP (Museu de Arte Moderna de Sao Paulo), em abril de 1996, e que continuou com Ossos e Asas, exposta no Gabinete de Arte Raquel Arnaud, em Sao Paulo, dois anos depois.

O também multimídia Arnaldo Antunes acredita que o artista plástico tenha alcançado um ponto de equilíbrio na sua obra. "Aguilar chega agora a uma nova encruzilhada-síntese dos diversos meios por onde a imagem corre. Onde matéria e realidade virtual se alimentam mutuamente, abrindo territórios e repertórios virgens, a serem explorados", escreve ele no livro.

As 29 telas, em grande escala (1,65 m x 2,20 m), resultam de um processo no qual as linguagens específicas de cada tipo de arte se cruzam e mudam suas características.

Trabalho - Inicialmente, os atores Celso Sim, Odara Carvalho, Cibele Forjaz e Camila Mota foram flagrados pela câmera de vídeo de Aguilar, com um fundo branco.

Após isso, ele pintou os corpos dos modelos, que espalharam as tintas neles próprios e mutuamente, com a câmera de vídeo registrando os movimentos, expressoes e jogos das pessoas.

A imagem em vídeo é impressa de forma digital e manejada por computador, para ser posteriormente modificada com novas camadas de pintura por Aguilar.

"As misturas de cores simulam efeitos eletrônicos de luz. Ao mesmo tempo, o mouse ou a câmera ganham características orgânicas em sua atuaçao. E assim vao surgindo essas imagens ao mesmo tempo táteis e evanescentes, concisamente amarradas pela presença do corpo", ressalta Antunes no livro.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;