Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Chávez: petróleo irá a US$ 200 se EUA atacarem Irã ou Venezuela


Da AFP

17/11/2007 | 18:40


O barril de petróleo chegará aos US$ 200 se os Estados Unidos atacarem o Irã ou agredirem a Venezuela, advertiu neste sábado o 'polêmico' presidente da Venezuela, Hugo Chávez, na abertura da Cúpula da Opep (Organização dos Países Produtores de Petróleo), na cidade de Riad, na Arábia Saudita.

"Se os Estados Unidos cometerem a loucura de invadir o Irã ou de agredirem novamente a Venezuela, o preço do petróleo não vai chegar aos US$ 100, e sim aos US$ 200", ameaçou Chávez depois de entregar simbolicamente a presidência da cúpula da Opep ao rei saudita Abdullah bin Abdelaziz.

Chávez, que fez o sinal da cruz antes de começara a falar e citou Jesus Cristo duas vezes, mesmo estando num país que segue uma estrita doutrina islâmica conhecida como wahabismo, denunciou "a permanente ameaça contra o Irã" e disse querer "que cessem as ameaças contra os países da Opep".

Em 1999, quando Chávez assumiu a presidência da Venezuela, o preço do barril "estava próximo dos US$ 10. Hoje entrego a presidência a sua majestade com o preço a US$ 100 ", comemorou o venezuelano. "Em Caracas, poderíamos dizer que a Opep renasceu", disse Chávez em referência à segunda cúpula do quartel, em 2000, realizada na capital venezuelana.

Chávez insistiu em que a Opep deve se transformar "em um ativo agente político, em um ator político, geopolítico" e disse sentir falta do caráter político que a organização tinha em seu início. A Opep "nasceu como um ator geopolítico, não só como um ator econômico tecnocrático", afirmou.

Durante a cúpula de 1975 na Argélia, a Opep era "fundamentalmente política e eu diria até mais do que política: sem dúvida, revolucionária", sentenciou. Chávez recordou a célebre frase do ex-presidente Ronald Reagan - "Poremos a Opep de joelhos."

No entanto, o rei saudita respondeu minutos depois que a Opep não pode permitir que o petróleo se converta em "instrumento de conflito". "O petróleo é uma energia para a construção, não um instrumento de conflito", afirmou o rei Abdullah.

Historicamente, a Opep utilizou seu petróleo como arma política e suspendeu suas exportações em 1973 em protesto contra a invasão de Israel pela Síria, mas hoje em dia a Arábia Saudita, um aliado forte - embora não servil- dos Estados Unidos, destaca a agenda puramente econômica do grupo.

Chávez afirmou desejar, também, que o cartel se ponha "à frente na luta contra a pobreza" no mundo e propôs a "criação de um banco da Opep", assim como o cancelamento das dívidas de várias nações subdesenvolvidas com os países membros do cartel.

A cúpula de Riad é a terceira do cartel em seus 47 anos de vida. A segunda foi organizada em Caracas em 2000, sob a presidência de Chávez e a primeira aconteceu em 1975 em Argel, sob a presidência de Abdelaziz Buteflika, também presente em Riad.


Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;