Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Governo envia modificação do projeto que abre crédito extra para Petrobras

Marcello Casal Jr/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


22/10/2019 | 14:36


O governo federal enviou ao Congresso nesta terça-feira (22) uma modificação do projeto de lei (PLN 45) que solicita a abertura de crédito especial para a União pagar à Petrobras os valores correspondentes à revisão do acordo do contrato de cessão onerosa. Nele, o governo amplia o valor do crédito extra em R$ 5,897 bilhões que, segundo o texto, destina-se à transferência a Estados, Distrito Federal e municípios de parte dos valores arrecadados com os leilões dos volumes excedentes. Dessa forma, o volume total endereçado no projeto aumenta para R$ 40,5 bilhões. O projeto está na pauta desta terça da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO).

Com isso, os valores relativos ao pagamento da Petrobras, de R$ 34,6 bilhões, e ao remanejamento entre despesas primárias obrigatórias, de R$ 16,7 milhões, não foram alterados. Na exposição de motivos, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirma que o acréscimo atende ao que está disposto na lei que divide os recursos do megaleilão, sancionada no último dia 17.

O texto esclarece também que a modificação proposta não afeta a obtenção da meta de resultado primário fixada para o exercício corrente, uma vez que o adicional refere-se a atendimento de despesas primárias discricionárias à conta de excesso de arrecadação de Recursos de Concessões e Permissões, tendo sido consideradas no cálculo do referido resultado, constante do Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas elaborado neste mês de forma extemporânea.

Ao divulgar o relatório orçamentário extemporâneo no último dia 14, o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues Junior, afirmou que o governo pode ter uma sobra de cerca de R$ 12 bilhões na reserva orçamentária constituída hoje com recursos esperados com o megaleilão de petróleo do pré-sal. No documento, o governo incluiu R$ 52,47 bilhões em receitas esperadas com o megaleilão, considerando apenas a primeira parcela do bônus dos dois blocos sobre os quais a Petrobras já exerceu direito de preferência. O dinheiro, porém, foi destinado a uma reserva e não será usado no primeiro momento.

Depois do leilão, ele será usado para pagar o dinheiro devido à Petrobras (em torno de R$ 34,5 bilhões). Sobram ao menos R$ 18 bilhões, sobre os quais haverá ainda repartição proporcional com Estados, municípios e Estados produtores - eles ficam com 33% do valor líquido após o pagamento à Petrobras.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Governo envia modificação do projeto que abre crédito extra para Petrobras


22/10/2019 | 14:36


O governo federal enviou ao Congresso nesta terça-feira (22) uma modificação do projeto de lei (PLN 45) que solicita a abertura de crédito especial para a União pagar à Petrobras os valores correspondentes à revisão do acordo do contrato de cessão onerosa. Nele, o governo amplia o valor do crédito extra em R$ 5,897 bilhões que, segundo o texto, destina-se à transferência a Estados, Distrito Federal e municípios de parte dos valores arrecadados com os leilões dos volumes excedentes. Dessa forma, o volume total endereçado no projeto aumenta para R$ 40,5 bilhões. O projeto está na pauta desta terça da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO).

Com isso, os valores relativos ao pagamento da Petrobras, de R$ 34,6 bilhões, e ao remanejamento entre despesas primárias obrigatórias, de R$ 16,7 milhões, não foram alterados. Na exposição de motivos, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirma que o acréscimo atende ao que está disposto na lei que divide os recursos do megaleilão, sancionada no último dia 17.

O texto esclarece também que a modificação proposta não afeta a obtenção da meta de resultado primário fixada para o exercício corrente, uma vez que o adicional refere-se a atendimento de despesas primárias discricionárias à conta de excesso de arrecadação de Recursos de Concessões e Permissões, tendo sido consideradas no cálculo do referido resultado, constante do Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas elaborado neste mês de forma extemporânea.

Ao divulgar o relatório orçamentário extemporâneo no último dia 14, o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues Junior, afirmou que o governo pode ter uma sobra de cerca de R$ 12 bilhões na reserva orçamentária constituída hoje com recursos esperados com o megaleilão de petróleo do pré-sal. No documento, o governo incluiu R$ 52,47 bilhões em receitas esperadas com o megaleilão, considerando apenas a primeira parcela do bônus dos dois blocos sobre os quais a Petrobras já exerceu direito de preferência. O dinheiro, porém, foi destinado a uma reserva e não será usado no primeiro momento.

Depois do leilão, ele será usado para pagar o dinheiro devido à Petrobras (em torno de R$ 34,5 bilhões). Sobram ao menos R$ 18 bilhões, sobre os quais haverá ainda repartição proporcional com Estados, municípios e Estados produtores - eles ficam com 33% do valor líquido após o pagamento à Petrobras.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;