Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Promotoria pede lista de gabinete de deputado de SP



22/10/2019 | 07:24


O Ministério Público de São Paulo deu prazo de 20 dias para a Assembleia Legislativa apresentar a lista de funcionários e os comprovantes de pagamento de todos os servidores que trabalham ou trabalharam para o deputado estadual Gil Diniz (PSL), um dos principais aliados da família Bolsonaro no diretório do partido no Estado. Diniz é acusado por um ex-assessor de operar um esquema de "rachadinha" - quando os funcionários têm de devolver parte ou a totalidade dos salários ao político que o emprega.

O pedido faz parte de um dos dois inquéritos abertos para investigar o caso - um na esfera cível e outro na criminal, tocado pelo procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, porque o deputado tem foro especial.

O autor da denúncia, Alexandre Junqueira, afirma que tinha de dar parte de seu salário - uma "gratificação" - para o deputado. Segundo ele, outros funcionários também tinham de repassar parte dos próprios vencimentos ao parlamentar, que nega. O dinheiro, segundo o ex-servidor, serviria para pagar apoiadores de Diniz.

Junqueira deve prestar depoimento dentro de 30 dias. Já Diniz deverá enviar sua defesa por escrito em um prazo de 15 dias. O gabinete do deputado afirmou que ainda não foi notificado sobre a abertura da investigação. Segundo o gabinete, na semana passada, assessores de Diniz juntaram voluntariamente seus extratos bancários e enviaram ao deputado, para auxiliá-lo na defesa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Promotoria pede lista de gabinete de deputado de SP


22/10/2019 | 07:24


O Ministério Público de São Paulo deu prazo de 20 dias para a Assembleia Legislativa apresentar a lista de funcionários e os comprovantes de pagamento de todos os servidores que trabalham ou trabalharam para o deputado estadual Gil Diniz (PSL), um dos principais aliados da família Bolsonaro no diretório do partido no Estado. Diniz é acusado por um ex-assessor de operar um esquema de "rachadinha" - quando os funcionários têm de devolver parte ou a totalidade dos salários ao político que o emprega.

O pedido faz parte de um dos dois inquéritos abertos para investigar o caso - um na esfera cível e outro na criminal, tocado pelo procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, porque o deputado tem foro especial.

O autor da denúncia, Alexandre Junqueira, afirma que tinha de dar parte de seu salário - uma "gratificação" - para o deputado. Segundo ele, outros funcionários também tinham de repassar parte dos próprios vencimentos ao parlamentar, que nega. O dinheiro, segundo o ex-servidor, serviria para pagar apoiadores de Diniz.

Junqueira deve prestar depoimento dentro de 30 dias. Já Diniz deverá enviar sua defesa por escrito em um prazo de 15 dias. O gabinete do deputado afirmou que ainda não foi notificado sobre a abertura da investigação. Segundo o gabinete, na semana passada, assessores de Diniz juntaram voluntariamente seus extratos bancários e enviaram ao deputado, para auxiliá-lo na defesa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;