Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 13 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Bozzella (PSL-SP) diz que Eduardo deve ser suspenso por ofensas ao partido



19/10/2019 | 20:27


O PSL deve suspender Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) de suas funções partidárias e, com isso, o deputado pode perder o comando do diretório estadual de São Paulo antes mesmo de ser destituído da função. O motivo é que o filho do presidente da República, Jair Bolsonaro, fez ataques ao partido e também a correligionários, por isso, será aplicada a ele a mesma penalidade que foi imposta a outros parlamentares na sexta-feira, segundo informou o deputado, Júnior Bozzella (SP), um dos principais porta-vozes do presidente da sigla, Luciano Bivar (PE).

Cinco deputados do PSL aliados a Jair Bolsonaro foram suspensos da atividade partidária: Carla Zambelli (SP), Filipe Barros (PR), Bibo Nunes (RS), Alê Silva (MG) e Carlos Jordy (RJ). De acordo com parlamentares da ala de Bivar, com a suspensão, a assinatura desses parlamentares em listas para indicar um líder na Câmara não será válida. O movimento visa a enfraquecer as chances de Eduardo ser posto na função.

"Precisamos salvar o Brasil dos filhos do presidente", disse Bozzella. A suspensão do partido pode implicar perda automática do cargo de Eduardo como presidente do diretório estadual de São Paulo, assim como a saída do deputado da presidência da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara, mas esses dois pontos ainda estão sendo tratados como possibilidades dentro da legenda, já que se trata de questões abertas a interpretações.

Na sexta-feira, o senador Major Olímpio (PSL-SP) já havia feito críticas à chamada "filhocracia" do governo Bolsonaro. Ele disse que os filhos, o senador Flávio, Eduardo e o vereador do Rio de Janeiro Carlos (PSC-RJ), "atrapalham tudo" no atual governo.

Bozzella não descarta que outras suspensões possam ainda acontecer. "Outros parlamentares que agridem parlamentares e partido podem ser suspensos também", disse.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bozzella (PSL-SP) diz que Eduardo deve ser suspenso por ofensas ao partido


19/10/2019 | 20:27


O PSL deve suspender Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) de suas funções partidárias e, com isso, o deputado pode perder o comando do diretório estadual de São Paulo antes mesmo de ser destituído da função. O motivo é que o filho do presidente da República, Jair Bolsonaro, fez ataques ao partido e também a correligionários, por isso, será aplicada a ele a mesma penalidade que foi imposta a outros parlamentares na sexta-feira, segundo informou o deputado, Júnior Bozzella (SP), um dos principais porta-vozes do presidente da sigla, Luciano Bivar (PE).

Cinco deputados do PSL aliados a Jair Bolsonaro foram suspensos da atividade partidária: Carla Zambelli (SP), Filipe Barros (PR), Bibo Nunes (RS), Alê Silva (MG) e Carlos Jordy (RJ). De acordo com parlamentares da ala de Bivar, com a suspensão, a assinatura desses parlamentares em listas para indicar um líder na Câmara não será válida. O movimento visa a enfraquecer as chances de Eduardo ser posto na função.

"Precisamos salvar o Brasil dos filhos do presidente", disse Bozzella. A suspensão do partido pode implicar perda automática do cargo de Eduardo como presidente do diretório estadual de São Paulo, assim como a saída do deputado da presidência da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara, mas esses dois pontos ainda estão sendo tratados como possibilidades dentro da legenda, já que se trata de questões abertas a interpretações.

Na sexta-feira, o senador Major Olímpio (PSL-SP) já havia feito críticas à chamada "filhocracia" do governo Bolsonaro. Ele disse que os filhos, o senador Flávio, Eduardo e o vereador do Rio de Janeiro Carlos (PSC-RJ), "atrapalham tudo" no atual governo.

Bozzella não descarta que outras suspensões possam ainda acontecer. "Outros parlamentares que agridem parlamentares e partido podem ser suspensos também", disse.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;