Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 13 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

França diz que não há benefício em adiar decisão sobre Brexit



19/10/2019 | 15:31


O governo francês disse que não há nada a se ganhar ao prolongar uma decisão sobre o acordo do Brexit. O Palácio do Eliseu afirmou que "um adiamento suplementar não interessa a ninguém". As declarações foram feitas depois que os parlamentares britânicos votaram para adiar sua decisão sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, atualmente marcada para 31 de outubro. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, agora é obrigado a pedir à UE que adie a saída do país do bloco.

O escritório do presidente francês Emmanuel Mácron afirmou disse que, dado que um acordo foi negociado entre Reino Unido e UE, "agora cabe ao Parlamento britânico dizer se o aprova ou rejeita. Deve haver uma votação sobre os fundamentos". Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

França diz que não há benefício em adiar decisão sobre Brexit


19/10/2019 | 15:31


O governo francês disse que não há nada a se ganhar ao prolongar uma decisão sobre o acordo do Brexit. O Palácio do Eliseu afirmou que "um adiamento suplementar não interessa a ninguém". As declarações foram feitas depois que os parlamentares britânicos votaram para adiar sua decisão sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, atualmente marcada para 31 de outubro. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, agora é obrigado a pedir à UE que adie a saída do país do bloco.

O escritório do presidente francês Emmanuel Mácron afirmou disse que, dado que um acordo foi negociado entre Reino Unido e UE, "agora cabe ao Parlamento britânico dizer se o aprova ou rejeita. Deve haver uma votação sobre os fundamentos". Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;