Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

PF e Promotoria deflagram Operação Pacto contra cartel de cegonheiros

Marcelo Camargo/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ação cumpre mandato de busca e apreensão em Santo André e São Bernardo; mais três estados estão sendo investigados


Bia Moço
Do Diário do Grande ABC
Com agências

17/10/2019 | 08:57


A PF (Polícia Federal) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (17), a Operação Pacto para apurar a formação de um cartel envolvendo "cegonheiros", empresas de transporte rodoviário de veículos novos. Cerca de 60 policiais cumprem dez mandados de busca e apreensão em cidades de quatro estados. Na região, Santo André e São Bernardo são alvo da ação, além dos municípios de Serra, no Espiríto Santo, Betim, em Minas Gerais, e Simões Filho, na Bahia.

A operação é realizada em conjunto com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), órgão ligado ao MP (Ministério Público), e com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

De acordo com a PF, a investigação identificou um "acordo anticompetitivo" que fixava artificialmente o valor do frete dos veículos zero km e dividia o mercado entre os participantes do cartel. "A estratégia adotada elimina a livre concorrência e impede a entrada de novas empresas no mercado, o que eleva substancialmente o valor do serviço", anotou a corporação.

A Polícia Federal indicou que os investigados podem responder por crimes contra a ordem econômica e de organização criminosa, cujas penas, somadas, podem chegar a 13 anos de prisão. O nome da operação faz referência ao acordo anticompetitivo entre as empresas envolvidas, indicou a PF.

Procurado pelo Diário, o presidente do Sinaceg (Sindicato Nacional dos Cegonheiros), Jaime Ferreira dos Santos, afirmou que em relação ao sindicato "não houve nenhuma abordagem". "Nosso departamento jurídico está buscando informações para entender o que está acontecendo para que possamos nos manifestar formalmente".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

PF e Promotoria deflagram Operação Pacto contra cartel de cegonheiros

Ação cumpre mandato de busca e apreensão em Santo André e São Bernardo; mais três estados estão sendo investigados

Bia Moço
Do Diário do Grande ABC
Com agências

17/10/2019 | 08:57


A PF (Polícia Federal) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (17), a Operação Pacto para apurar a formação de um cartel envolvendo "cegonheiros", empresas de transporte rodoviário de veículos novos. Cerca de 60 policiais cumprem dez mandados de busca e apreensão em cidades de quatro estados. Na região, Santo André e São Bernardo são alvo da ação, além dos municípios de Serra, no Espiríto Santo, Betim, em Minas Gerais, e Simões Filho, na Bahia.

A operação é realizada em conjunto com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), órgão ligado ao MP (Ministério Público), e com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

De acordo com a PF, a investigação identificou um "acordo anticompetitivo" que fixava artificialmente o valor do frete dos veículos zero km e dividia o mercado entre os participantes do cartel. "A estratégia adotada elimina a livre concorrência e impede a entrada de novas empresas no mercado, o que eleva substancialmente o valor do serviço", anotou a corporação.

A Polícia Federal indicou que os investigados podem responder por crimes contra a ordem econômica e de organização criminosa, cujas penas, somadas, podem chegar a 13 anos de prisão. O nome da operação faz referência ao acordo anticompetitivo entre as empresas envolvidas, indicou a PF.

Procurado pelo Diário, o presidente do Sinaceg (Sindicato Nacional dos Cegonheiros), Jaime Ferreira dos Santos, afirmou que em relação ao sindicato "não houve nenhuma abordagem". "Nosso departamento jurídico está buscando informações para entender o que está acontecendo para que possamos nos manifestar formalmente".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;