Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

São Caetano leva clássico e elimina rival sob olhares de 130 pessoas

Nário Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Já classificado, Azulão derruba Santo André em dérbi histórico realizado na cidade de Suzano


Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

17/10/2019 | 07:00


O acanhado Estádio Francisco Marques Figueira, em Suzano, foi palco de clássico histórico. Pela primeira vez Santo André e São Caetano se enfrentaram longe da região. Com o Bruno Daniel em reforma, a diretoria ramalhina recorreu ao local para mandar o duelo contra o Azulão, que valia a sequência do time na Copa Paulista. Em dia útil, à tarde, só 130 pessoas se animaram em assistir ao duelo, que terminou com vitória azulina por 2 a 1, eliminando os andreenses.

Com três pontos, o Santo André não alcança mais nem Mirassol e nem o São Caetano, que entrou em campo já garantido nas semifinais.
A proximidade do alambrado com o campo e com os bancos de reservas permitia flagrar os diálogos entre os jogadores, tamanho silêncio que se fazia em alguns momentos. O público só não foi menor porque atletas da base do União Suzano estavam na arquibancada, que era predominantemente andreense – do lado do São Caetano eram quatro torcedores.

Frustrante para o ambulante da pipoca, que em uma das primeiras investidas desistiu de tentar vender algo com tão pouca gente. João Carioca, dono da lanchonete do estádio, só não ficou mais decepcionado porque via o jogo como preliminar de dois duelos da várzea local que viriam na sequência. “Tá péssimo (o movimento), mas à noite acho que vai ser melhor”, projetou ele, que está no local há 12 anos e acostumado com públicos pequenos. “Essa é a média dos jogos do União Suzano, não fica muito diferente”.

Os primeiros minutos do jogo definiram a vitória do Azulão. Mais concentrado, o time abriu placar com Clayton, aos nove, e ampliou com Marlon, aos 16. O Ramalhão diminuiu com Vitor Vieira, aos 35, e correu muito em busca do empate, mas quase ninguém viu. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

São Caetano leva clássico e elimina rival sob olhares de 130 pessoas

Já classificado, Azulão derruba Santo André em dérbi histórico realizado na cidade de Suzano

Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

17/10/2019 | 07:00


O acanhado Estádio Francisco Marques Figueira, em Suzano, foi palco de clássico histórico. Pela primeira vez Santo André e São Caetano se enfrentaram longe da região. Com o Bruno Daniel em reforma, a diretoria ramalhina recorreu ao local para mandar o duelo contra o Azulão, que valia a sequência do time na Copa Paulista. Em dia útil, à tarde, só 130 pessoas se animaram em assistir ao duelo, que terminou com vitória azulina por 2 a 1, eliminando os andreenses.

Com três pontos, o Santo André não alcança mais nem Mirassol e nem o São Caetano, que entrou em campo já garantido nas semifinais.
A proximidade do alambrado com o campo e com os bancos de reservas permitia flagrar os diálogos entre os jogadores, tamanho silêncio que se fazia em alguns momentos. O público só não foi menor porque atletas da base do União Suzano estavam na arquibancada, que era predominantemente andreense – do lado do São Caetano eram quatro torcedores.

Frustrante para o ambulante da pipoca, que em uma das primeiras investidas desistiu de tentar vender algo com tão pouca gente. João Carioca, dono da lanchonete do estádio, só não ficou mais decepcionado porque via o jogo como preliminar de dois duelos da várzea local que viriam na sequência. “Tá péssimo (o movimento), mas à noite acho que vai ser melhor”, projetou ele, que está no local há 12 anos e acostumado com públicos pequenos. “Essa é a média dos jogos do União Suzano, não fica muito diferente”.

Os primeiros minutos do jogo definiram a vitória do Azulão. Mais concentrado, o time abriu placar com Clayton, aos nove, e ampliou com Marlon, aos 16. O Ramalhão diminuiu com Vitor Vieira, aos 35, e correu muito em busca do empate, mas quase ninguém viu. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;